J. K. Rowling ︎◆ Lumos

JK Rowling devolve prêmio de direitos humanos após instituição acusá-la de transfobia

A autora de Harry Potter, JK Rowling, decidiu devolver um prêmio de direitos humanos que recebeu no ano passado por seu trabalho com a ONG Lumos, que busca fechar orfanatos e levar as crianças de volta à própria família.

O prêmio, batizado de Ripple of Hope (Onda de Esperança, em tradução literal), foi entregue a JK Rowling pela fundação Robert F. Kennedy de Direitos Humanos em dezembro de 2019 durante uma cerimônia em Nova York, nos Estados Unidos.

Na premiação, a autora disse que se tratava de uma das maiores honrarias que ela havia recebido ao longo da carreira, mas, na quinta-feira (27), anunciou que devolverá o prêmio após a presidente da fundação Robert F. Kennedy chamá-la de transfóbica.

Filha do presidente Kennedy e umas das principais responsáveis pela premiação, a advogada Kerry Kennedy publicou no site oficial da fundação que repudia as visões da autora de Harry Potter a respeito da comunidade transgênero.

“JK Rowling publicou tweets e declarações transfóbicas extremamente problemáticas”, escreveu Kerry. “Direitos trans são direitos humanos. Os ataques dela à comunidade transgênero são incompatíveis com os valores primordiais da fundação Kennedy e com o que meu pai pensava.”

O prêmio celebra líderes internacionais, do entretenimento e do ativismo, que demonstraram comprometimento com a mudança da sociedade. Ao longo de 50 anos, a honraria já foi entregue a Barack Obama, Bill e Hillary Clinton, Tim Cook e Robert De Niro.

JK Rowling escreveu um artigo para responder à acusação e afirmou que, apesar de admirar o presidente Kennedy, nenhum prêmio é importante o bastante para fazê-la desistir de lutar pelo que ela acredita ser o certo.

“Como apoiadora do direito dos trans viverem livres de perseguição, eu refuto totalmente a acusação de que odeio trans, quero prejudicá-los, ou que lutar pelos diretos das mulheres seja errado”, escreveu.

Entenda o caso