Atores


As vozes brasileiras de “Animais Fantásticos e Onde Habitam”

//Por Pedro Martins - sábado, 19 de novembro de 2016 às 12:58


Os fãs de Harry Potter sempre assistiram aos filmes da série em suas versões dubladas. Ainda hoje, a conexão com as vozes brasileiras é tão forte que muitos sequer conseguem assistir à versão legendada. Com a chegada dos Animais Fantásticos aos cinemas, o Potterish conversou com os dubladores do filme, que, como nós, estão em êxtase.

Por Aryanne Valenzuela e Pedro Martins
Revisão: Kaio Rodrigues

Mabel Cezar, que trabalha com dublagem há quase 22 anos e diz ter sido esta a melhor escolha de sua vida, leu apenas Harry Potter e a Pedra Filosofal e, apesar de tê-lo achado incrível, não completou a leitura da série. Quando foi convidada a fazer o teste para Tina Goldstein, contudo, sua esposa a levou novamente à Plataforma 9 ¾ e a fez conhecer a fundo até mesmo a biografia de J.K. Rowling: “a história dela é incrível, essa mulher é um gênio.”

Com Renan Vidal, que dá voz ao filho adotivo da líder do grupo bruxofóbico Segundos Salemianos, a história foi um pouco diferente. Potterhead desde sempre, este ano ele reassistiu a todos os oito filmes de Harry a fim de saciar sua ansiedade. E isto sem imaginar que dublaria Credence Barebone: “eu fiquei sabendo um dia antes que faria o filme, e fiquei muito feliz e empolgado, obviamente.”

Provavelmente conhecida pelos fãs por ter dublado Lilá Brown em Harry Potter e o Enigma do Príncipe, Evie Saide, que desta vez interpreta a legilimente Queenie Goldstein, revela que o processo de dublagem de Animais Fantásticos foi mais minucioso que o normal, seguindo à risca os aspectos e a tonalidade do original: “O cliente pediu que tivéssemos cuidado com os sussurros, pois a dublagem brasileira tem o vício de falar um pouco mais alto que o [áudio] original. Muitas vezes por questão técnica. Se você fala muito sussurrado, eles pedem mais.”

Como ocorreu com todos os filmes de Harry Potter, a dublagem foi realizada no Rio de Janeiro, no mês passado, onde cada artista, com excessão de Philippe Maia (Newt Scamander), levou apenas um dia para gravar. Os trailers, entretanto, foram dublados antes, e para pequenas correções e cenas adicionadas posteriormente, os dubladores voltaram ao estúdio algumas vezes. “Quando dublamos, assistimos apenas às partes em que os nossos personagens aparecem. Mesmo assim, as imagens têm restrições. Tudo para manter a produção em segredo”, revela Nando Lopes, que dubla Percival Graves, chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia do MACUSA.


Uma recente enquete no nosso Twitter revelou que, apesar de os fãs apreciarem a dublagem de Harry Potter, muitos “odeiam” outras dublagens. Para Evie, é algo infundamentado, uma vez que “as pessoas que dizem odiar filmes dublados são aquelas que não os assistem”. Nando, por sua vez, opina que “o preconceito existe, mas é menor do que as pessoas divulgam. Cada vez mais os canais se preocupam em dar a opção dublada para os espectadores, porque sabem que existe uma demanda gigante” – especificamente com Animais Fantásticos, a pesquisa mostra que tal demanda é de 61%. Elogiada até mesmo por Rowling com Potter, Mabel diz que existe uma evolução constante, tanto na na parte técnica quanto na preparação dos atores, e que, muitas vezes, recebe e-mails das distribuidoras dizendo que a dublagem brasileira foi considerada a melhor do projeto no mundo inteiro.

“Respeito quem não gosta de dublagem, mas o trabalho é necessário para crianças, pessoas com deficiência visual e inúmeros outros casos”, diz Philippe Maia, fã declarado e, agora, a voz brasileira de Newt Scamander.

Enquanto Nando Lopes alerta – “espero que tenham fôlego, porque vamos perder a respiração em vários momentos do filme” –, Philippe termina fazendo um pedido aos fãs: “Assistam em inglês e na versão dublada também! São diversões diferentes, fazem a brincadeira de assistir ao filme mais de uma vez bem mais legal!”

Dirigido por David Yates e produzido por David Heyman, Animais Fantásticos e Onde Habitam marca a estreia de J.K. Rowling como roteirista e já está em cartaz em cinemas do Brasil todo em 3D e IMAX!

Comentários: 0

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (6 votos, média: 4,33 de 5)
Loading...

Como o mundo de J.K. Rowling se moldou em torno de Alison Sudol e Dan Fogler

//Por Donizete Junior - quinta-feira, 17 de novembro de 2016 às 10:54


Seguindo a coletiva de imprensa que aconteceu na última segunda-feira, 14, com a participação do Potterish, os atores Dan Fogler e Alison Sudol conversaram a respeito de seus personagens e as impressões que tiveram da extensão do Mundo Bruxo de J.K. Rowling.

Os inseparáveis atores foram entrevistados juntos. O intérprete do no-maj Jacob Kowalski foi quem iniciou a conversa, falando a respeito de como ele apreciou o filme e notou que o universo de Rowling era parecido em alguns aspectos com outros que conhecemos.

O ator confessou que não estava tão animado até realmente estar por dentro de tudo: “Eu sempre fui mais fã de Star Wars.” Ao se aprofundar na obra de Rowling, logo Fogler percebeu que a história seguia a mesma jornada do herói e arquétipo de personagens que estamos acostumados. Mas em comparação com Star Wars, o ator diz que o Mundo Bruxo é muito mais tangível e elegante que as galáxias distantes de George Lucas.

quennie-jacob-1

Tal descoberta tem muita relação com o personagem do ator. Sendo o primeiro protagonista não-mágico da franquia, Dan diz que Jacob é icônico como Alice de Lewis Carroll e Max do livro infantil Onde Vivem os Monstros. Ambos personagens são a porta de entrada para o desconhecido. Em uma comparação mais próxima, Jacob é como Nick Bottom de Sonho de Uma Noite de Verão, e Dan, já tendo o interpretado por diversas vezes, diz que há muitas semelhanças.

E falando sobre mundos desconhecidos, Alison Sudol comentou a respeito das diferenças entre as sociedades bruxas na América e Inglaterra. Para a intérprete de Queenie Goldstein, a diferença mais notável está na perseguição e opressão sofrida pelos bruxos durante a época. “Há uma clara distinção, separatismo e temor neste lugar.”.

Alison revelou que também há distinções na forma pela qual os bruxos americanos usam a varinha. A atriz imaginou já saber como usá-las, baseada nos filmes da série Harry Potter, mas teve que aprender de novo. Afinal, sua personagem estudou na Escola de Magia e Bruxaria de Ilvermorny, não em Hogwarts.

Ainda sobre varinhas, Alison disse que os atores eram autorizados a moldar, de acordo com seus personagens e características, uma maneira individual de produzir magia. Para ela, o individualismo de cada personagem é uma característica bem americana, assim como o orgulho. Além disso, imaginou que, diferente dos bruxos britânicos, os americanos fazem acampamentos e se reúnem em volta de uma fogueira, como vemos tipicamente em diversos elementos da cultura estadunidense.

Conhecida anteriormente pelo nome artístico A Fine Frenzy, a artista foi uma cantora prestigiada. Sua experiência como musicista a ajudou a moldar Queenie, que compartilha muito da vulnerabilidade que Alison transmitia em suas músicas: “Há uma maneira musical na fala e nos gestos de Queenie.”

Segundo Dan, o humor acrescentado no filme por ele bebe muito da fonte de clássicos do cinema mudo, inspirando-se em diversos ícones do cinema da década de 20 para realizar as cenas de comédia com Eddie Redmayne, especialmente na dupla O Gordo e o Magro. Atores como Charlie Chaplin, Buster Keaton e Max Linder também serviram de inspiração.

quennie-jacob-3

Sobre o futuro dos personagens, os atores revelaram já saber um pouco a mais – Rowling os contou -, mas não podem compartilhar. Para Alison, o encontro com Jo foi inspirador e como encontrar a rainha.

Em relação as continuações, Fogler disse que adoraria ver outro filme retornando aos Estados Unidos. Já Alison disse que é adorável que haja uma característica de mente aberta nos americanos que permitirá experiências interessantes ou engraçadas em Paris, como Jacob tentando se comunicar em francês.

Dirigido por David Yates e produzido por David Heyman, Animais Fantásticos e Onde Habitam chega aos cinemas brasileiros em IMAX e 3D hoje, 17. O filme marca a estreia de J.K Rowling como roteirista.

Comentários: 0

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

A Bela e a Fera bate seu primeiro recorde

//Por Aline Michel - quarta-feira, 16 de novembro de 2016 às 07:45


”A Bela e a Fera”, estrelando Emma Watson no papel principal, já quebrou seu primeiro recorde, meses antes de chegar aos cinemas.

O primeiro trailer do filme, que foi lançado na última 2a feira, teve 127,6 milhões de visualizações nas primeiras 24 horas, sendo 27 milhões de visualizações somente na página de Emma no Facebook. O recorde anterior era de “Cinquenta Tons Mais Escuros”, com 114 milhões de visualizações, seguido por “Star Wars: O Despertar da Força”, com 112 milhões.

Ainda não assitiu ao trailer? Confira abaixo:

Além disso, a hashtag #BeautyandTheBeast tornou-se trend no Twitter e o trailer está no topo da página de vídeos mais assistidos do Youtube.

“A Bela e a Fera” chega aos cinemas em março de 2017. Entre as estrelas do filme teremos Emma Watson como Bela, Dan Stevens (Downton Abbey) como Fera, Luke Evans (The Hobbit) será Gaston, and Josh Gad (Frozen) o melhor amigo de Gaston, Le Fou e Emma Thompson (Harry Potter) como Senhora Potts.

Comentários: 0

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (5 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Eddie Redmayne e Katherine Waterston contam os aspectos mais interessantes de “Animais Fantásticos”

//Por Pedro Martins - terça-feira, 15 de novembro de 2016 às 20:28


Em uma coletiva que aconteceu nesta segunda-feira, 14, os atores Eddie Redmayne e Katherine Waterston falaram sobre seus personagens em Animais Fantásticos e Onde Habitam.

Vencedor do Oscar de melhor ator em 2015 (A Teoria de Tudo), Redmayne revela que, na época da universidade, fez o teste de elenco para viver Tom Riddle na franquia Harry Potter: “Eu sobrevivi a mais ou menos três falas do texto. Então pensei que não teria outra chance, especialmente depois que os filmes terminaram.”

Na época, isso entristeceu o ator britânico, que citou Game of Thrones e Downtown Abbey: séries de seu país nas quais ele não está presente.

Já para Katherine, sua escolha para o papel de Porpentina Goldstein foi ainda mais surpreendente: “Eu sabia que não faria parte do elenco. Sou americana.”

Quando perguntado sobre o futuro de seu personagem, Eddie revela que teve uma longa conversa com J.K. Rowling na semana anterior às filmagens. Ele conta, porém, que só recebeu poucas dicas sobre o que espera Newt Scamander nos próximos filmes da franquia: “O que foi muito interessante para mim nesse roteiro é que Newt é, para mim, apenas uma introdução a uma história muito maior.”

Especificamente sobre esse longa, o ator de 34 anos conta um aspecto intrigante do seu personagem e dos demais: “Eles começaram de um jeito e mudaram completamente no final. O Newt começa a sentir confiança no relacionamento com pessoas.”

Eddie comenta que desenvolveu, com a ajuda de um rastreador de animais, a forma de caminhar e a característica mais reclusa do Magizoologista Newt Scamander. Segundo Katherine, esse é o diferencial do filme: os personagens são bem fundamentados e verossímeis. Eddie completa: “O que eu realmente amo é que Newt tem essa particularidade de ser bastante tímido com as pessoas. Com suas criaturas, porém, ele se liberta!”

Katherine Waterston revela que Porpentina Goldstein é uma mulher com grandes certezas, mas com inseguranças maiores ainda. A atriz compara sua personagem à J.K. Rowling, que em algumas entrevistas revelou se sentir, por muitas vezes, insegura em seu processo de escrita, apesar de todo o sucesso.

Outro questionamento diz respeito à permanência dos atores nos próximos filmes. Eddie e Katherine assinaram contrato para três deles, mas, como os fãs, foram surpreendidos pela existência de mais dois roteiros. Kat descontraiu: “Eu ouvi de um jornalista que a história se estenderá por dezessete anos! Só consegui pensar no meu envelhecimento. Eu, de bengala, lutando contra o mal!”

Sobre a maleta com a qual foi visto no aeroporto no dia anterior, Redmayne afirmou se tratar de uma peça antiga de seus itens de viagem: “Essa é minha maleta velha, e agora tenho esse problema. Ando por aí com ela, e parece que estou sendo Newt o tempo inteiro.”

E com a confirmação de Jhonny Depp para dar vida a Gellert Grindewald, a pergunta final não poderia deixar de ser sobre o intérprete do jovem Dumbledore nos filmes futuros. Os atores, contudo, se esquivaram da resposta, evitando um clima ruim caso as suas apostas não fossem escolhidas para o elenco.

Como não somos atores, podemos especular à vontade. Por isso, escrevam nos comentários sobre quem vocês gostariam que interpretassem o jovem Alvo.

Dirigido por David Yates e produzido por David Heyman, Animais Fantásticos e Onde Habitam chega aos cinemas brasileiros em IMAX e 3D nesta quinta-feira, 17. O filme marca a estreia de J.K Rowling como roteirista.

Entrevista: Marcelo Neves.
Redação: Kaio Rodrigues.
Tradução: Aline Michel.
Edição: Aryanne Valenzuela.

Comentários: 0

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (3 votos, média: 4,67 de 5)
Loading...

Ezra Miller fala sobre relação com Emma Watson e J.K. Rowling em “Animais Fantásticos”

//Por Pedro Martins - segunda-feira, 14 de novembro de 2016 às 19:37


Em uma coletiva que aconteceu hoje, 14, em Londres, o ator Ezra Miller falou sobre sua amizade com Emma Watson, as visitas de J.K. Rowling aos sets e mais segredos dos bastidores de Animais Fantásticos e Onde Habitam. Participamos da coletiva e trazemos agora alguns destaques.

Já familiar aos fãs da série Harry Potter por ter contracenado com Watson em As Vantagens de Ser Invisível (2012), Ezra contou que, ao receber a confirmação para o papel de Credence Barebone, primeiro avisou à mãe, e depois telefonou diretamente para a amiga Watson:

“Ela não me deu conselhos, na verdade. Ela fez eu ficar ainda mais animado, particularmente sobre trabalhar com David Yates. Foi nisso que ela focou: como essa parceria trouxe frutos para sua carreira, o quanto ela o admira e que eu soubesse que estava em mãos capazes. E é tudo verdade, David é um mestre. Ele me fez sentir seguro como ator, sentir seguro em me arriscar.”

Potterhead nato, conhecer a criadora do Mundo Bruxo foi uma tarefa árdua para o ator: “Eu não era mais um ser humano. Eu era uma poça de água no chão. Mas ela tem experiência em lidar com isso. Ela me fez sentir muito confortável e seguro, conseguiu curar meu nervosismo.”

E detalha:

“Sempre que ela vinha ao set, fazia tudo parar, então tiveram que restringir suas visitas, se não, você sabe… Cabeças se viravam, câmeras caiam, atores simplesmente desapareciam e dali a pouco estavam em volta dela como filhotinhos animados. E ela fazia comentários infinitamente valiosos, contando segredinhos e nos dando mais material para trabalhar.”

A relação de Rowling com os atores de Harry Potter sempre foi valiosa. Prova disso é que o único que sempre soube de toda a história de Severo Snape era o próprio Alan Rickman. “Ela realmente sabe tudo! Não sei se ela tem algum fiel do segredo, mas tenho certeza que ela é a única pessoa que realmente sabe o que esses cinco filmes vão dizer.”

Mas e com relação a Credence em si? Será que a autora teve conversas extensas com Miller também? Apesar de ela ter “sussurrado alguns segredos”, “sua visão sobre o personagem estava tão clara no roteiro que não houve necessidade. Eu Nunca tinha lido um roteiro com a estrutura tão voltada para os atores, com tantos pequenos detalhes.”

Sobre a história, o ator comentou que, de fato, o enredo é mais sombrio do que era em “Harry Potter”. Para ele, Rowling tenta manter a acessibilidade universal da história ao mesmo tempo em que fala diretamente com a Geração Y. “É muito bom ter uma nova história do mesmo universo, vinda dela, que se encaixa onde estamos em termos de maturidade”. Os dilemas morais, contudo, não são pontas soltas: “Essas ideias morais são muito úteis. Nunca é escapismo puro, sempre haverão paralelos. Algo que reflete o mundo real.”

Para os fãs, Credence Barebone é, até então, um personagem misterioso. Quase nada foi revelado sobre ele no material de divulgação do filme. Um dos jornalistas, que como nós já assistiu ao filme ontem, comentou sobre um “olhar raivoso de Credence”. Ezra, então, revelou que conversou diretamente com sobreviventes de abuso. “Raiva é uma parte muito real e válida dessa experiência.”

“Eles dividiram suas histórias comigo. Passaram por situações parecidas com a de Credence em instituições ou orfanatos depois de serem retirados de suas famílias. Foi a coisa mais importante para mim, e às vezes quero agradecê-los diretamente pelos nomes, mas, obviamente, eles ficam anônimos.”

Encerrando a conversa, Ezra nos desejou um bom dia. Com tantas entrevistas pela frente, “lembrem-se de se alongar de vez em quando”. Pode deixar que nos lembraremos, sim, Ezra!

Entrevista: Marcelo Neves.
Tradução: Julianna Martins e Rodrigo Cavalheiro.
Redação: Pedro Martins.
Edição: Aryanne Valenzuela e Kaio Rodrigues.

Leia também a nossa crítica do filme!

Dirigido por David Yates e produzido por David Heyman, Animais Fantásticos e Onde Habitam chega aos cinemas brasileiros em IMAX e 3D daqui a três dias!

Comentários: 0

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

“Harry Potter e a Criança Amaldiçoada” recebe prêmio de melhor peça

//Por Donizete Junior - domingo, 13 de novembro de 2016 às 22:12


Após o anúncio das nomeações de “Harry Potter and the Cursed Child” ao prêmio teatral Evening Standard Awards, a peça recebeu um dos principais prêmios da noite durante a cerimônia realizada na noite de 13 de novembro.

A peça havia recebido nomeações nas categorias de melhor direção (para John Tiffany), melhor design (Christine Jones) e de melhor ator revelação (para Anthony Boyle, interprete de Escórpio Malfoy), mas acabou recebendo maior prêmio da noite na categoria de melhor peça, apresentada pela renomada atriz Dame Maggie Smith (Minerva McGonagall).

Confira trechos e detalhes da cerimônia na extensão da notícia!

E não se esqueça! O roteiro de “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada” concorre ao prêmio de melhor livro de fantasia do ano na semi-final do Goodreads Choice Awards 2016, saiba como votar!

Comentários: 0

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Magia do Cinema: “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, de J.K. Rowling

//Por Pedro Martins - domingo, 13 de novembro de 2016 às 00:00


Nossa correspondente em Nova York Larissa Helena teve a honra de fazer parte de uma seleta equipe de repórteres que assistiram Animais Fantásticos e Onde Habitam na última quarta-feira, 09, para participar da coletiva de imprensa do dia seguinte com o elenco, a equipe técnica e a roteirista J.K. Rowling. Pouco depois da virada do dia, à uma da manhã, ela traz sua crítica sem spoilers do filme.

Por Larissa Helena
Edição por Pedro Martins

Antes de começar a parte puramente crítica do texto, vale a pena comentar que aquele esforço de objetividade e imparcialidade de que a gente tenta se investir quando a tarefa é resenhar uma obra de arte não se sustentou por um minuto inteiro sequer quando comecei a ouvir pelos alto-falantes do cinema os primeiros acordes de Hedwig’s Theme: um arrepio na coluna de estar prestes a assistir a um capítulo inédito da historia bruxa me avisou desde o início que essa tarefa seria muito mais difícil do que eu esperava.

Mas vamos lá! Sem spoilers, tudo o que vocês devem estar se perguntando sobre o filme (menos comentários sobre a participação do Johnny Depp. Não me odeiem.)

A primeira coisa que merece atenção sem dúvida é a ambientação e o cenário. Parabéns a todos os envolvidos pela escolha de Nova York na década de vinte. Isso permitiu um filme bem menos asséptico e com locações variadas, entre o o ostentoso e a sujeira dos becos, que fazem com que o filme seja um prazer visual não apenas no Mundo Bruxo, mas também em tudo o que se passa fora dele. De certa forma, a atmosfera art nouveau da época tem sua própria magia, e o efeito também é uma certa dissolução das barreiras entre dois mundos: parece mais plausível que houvesse magia pelas ruas naquela época!

Eddie Redmayne faz jus a todas as expectativas no papel de Newt Scamander – um Magizoologista recém chegado nos Estados Unidos, onde suas amadas criaturas foram proibidas. Ele acredita que esses Animais Fantásticos são apenas incompreendidos, e que se os bruxos soubessem mais sobre eles, parariam de temê-los. Esse é parte do motivo pelo qual ele empreende suas pesquisas, mas o motivo maior dá para ver nos olhos do personagem a cada momento que ele vê uma dessas criaturas – é um olhar de amor tão intenso e genuíno que faz a gente pensar na nossa própria relação com os nossos bichinhos de estimação. Só que os dele, no caso, ficam invisíveis ou têm chifres capazes de colocar fogo em uma árvore. Detalhes.

Em seu primeiro roteiro cinematográfico, Rowling não desaponta. Para não dar spoilers, só dá para dizer que os fãs da série vão sentir um deleite especial em reconhecer os aspectos totalmente J.K. Rowling de uma história no primeiro do que promete ser uma série de cinco filmes. Sendo ela o espírito elevado que é, na coletiva de imprensa entregou todos os louros aos seus mentores, mas a gente sabe de qual cabeça veio uma história tão absurdamente incrível e capaz de cativar um público de todas as idades, ainda que seja claramente orientado para jovens adultos e adultos que cresceram lendo a série Harry Potter, devido ao teor das piadas e a seriedade do enredo.

Há inclusive algumas menções passageiras a assuntos políticos que, especialmente por conta da história se passar nos EUA, certamente ganharão uma nova conotação diante dos recentes acontecimentos. Mas Jo já anteviu essa possibilidade e fez questão de frisar na coletiva de imprensa que o filme foi escrito há muito tempo e portanto distante da sombra desses acontecimentos – e evitou fazer comentários mais profundos para não correr o risco de desviar a atenção do lançamento.

As criaturas seguem a excelente tradição dos oito filmes anteriores, que nunca decepcionaram no design e em dar à luz na tela aos personagens mágicos. Eu esperava que houvesse mais, mas Jo sendo a Jo, o clima é mais de concentração em algumas criaturas-chave de personalidades muito bem desenvolvidas e que são usadas em várias cenas diferentes com funções distintas. Ainda assim, esperemos que a cada novo filme a gente possa aprender sobre mais criaturas e volte a ver as que apareceram neste.

Para qualquer Potterhead, o que tem de melhor no filme são os muitos novos insights e detalhes sobre o Mundo Bruxo: a estrutura de seu funcionamento nos Estados Unidos, com uma versão própria do Ministério da Magia – o MACUSA -, nomes específicos para os trouxas – no-mags em vez de muggles, o que resultou em um termo bem mais politicamente correto em português (no-majs) – e muito mais.

No fim das contas, a grande maldição deste filme é também sua grande bênção: o fato de ele não ser inspirado em nenhum livro anterior faz com que os fãs comecem a assisti-lo um pouco céticos de que não se trata apenas de mais uma tentativa de esticar o sucesso da série para fins de caixa. Entretanto, entrar em uma sala de cinema sem saber ao certo o que esperar da história acaba sendo um presente raríssimo e bastante positivo para quem já teve o desfecho da história do Harry há quase uma década.

Desejo a vocês o mesmo arrepio de felicidade que tive frente à telona e mal posso esperar pelos quatro próximos arrepios!

Malfeito feito!

Responsável pelas negociações dos livros mais recentes da saga no Brasil, Larissa Helena é tradutora, editora e agente literária. Corvinal de coração, sua tese de mestrado foi sobre Harry Potter.

Comentários: 0

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (14 votos, média: 4,71 de 5)
Loading...

Emma Watson revela novo poster oficial de “A Bela e a Fera”

//Por Vinicius Bellemo - sexta-feira, 11 de novembro de 2016 às 13:16


Não é novidade dizer que Emma Watson têm reconquistado seus inúmeros fãs com seus trabalhos “pós-potter”. Desde “As Vantagens de Ser Invisível” até o seu mais novo trabalho, o live-action de “A Bela e a Fera” da Disney, a atriz continua a manter sua imagem firme e forte, mesmo cinco anos após o final da série Harry Potter nos cinemas.

Então, não seria surpresa dizer que a internet surtou quando a atriz divulgou, em sua conta oficial no Twitter, um inédito poster de “A Bela e a Fera”, surpreendendo a todos com a novidade.

Estou tão feliz em mostrar a todos vocês o novo poster de “A Bela e a Fera”. Espero que gostem! Com amor, Emma.

“A Bela e a Fera” estreia em 17 de março de 2017 nos EUA, e traz Bill Condon (Deuses e Monstros) na direção e Stephen Chbosky – escritor, roteirista e diretor de “As Vantagens de Ser Invisível” – no roteiro. A data de estreia do filme no Brasil ainda não foi oficialmente divulgada, mas podemos esperar que o mesmo estreie no mesmo dia que nos EUA.

 

 

Comentários: 0

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

POTTERISH NO YOUTUBE: ANIMAIS FANTÁSTICOS E JOHNNY DEPP

//Por Aline Michel - quinta-feira, 10 de novembro de 2016 às 07:42


O canal do Potterish no Youtube lançou dois vídeos novos essa semana.

No primeiro vídeo o nosso social media Jonathan Teles foi à editora Rocco explicar tudo sobre o filme “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, no #ParaSempreHP de outubro.

Já no segundo vídeo, Marina Anderi discute a presença de Johnny Depp como Gellert Grindelwald nos próximos filmes de “Animais Fantásticos”.

Assine aqui o canal oficial do Potterish no Youtube para conferir vídeos novos toda semana!

Comentários: 2

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (3 votos, média: 2,33 de 5)
Loading...

Matthew Lewis se encanta com Harry Potter novamente

//Por Aline Michel - quinta-feira, 10 de novembro de 2016 às 06:54


Matthew Lewis acaba de redescobrir seu amor pelo universo “Harry Potter”.

O ator, conhecido por interpretar Neville Longbottom nos filmes de Harry Potter, assitiu no último final de semana a peça teatral “Harry Potter and the Cursed Child”, a oitava adaptação de J.K. Rowling para a saga.

Matthew escreveu suas impressões da peça em sua conta no Instagram:

Um grande parabéns e um enorme obrigado para essas pessoas e para o resto do elenco de Cursed Child. Fazer parte dos filmes foi um sonho realizado e eu me esqueci há muito tempo atrás de como é ser fã. Entretanto, nas últimas duas noites eu pude aproveitar o mundo de Harry Potter novamente. Poder me perder em uma história tão rica e poderosa e, mais importante de tudo, eu não tinha nenhuma relação com ela, foi realmente mágico. Eu me senti com nove anos de idade novamente, descobrindo tudo pela primeira vez e é muito, muito especial.”

O ator também postou uma foto com parte do elenco de Cursed Child:

matthew-lewis_cursed-child

Matthew não foi o primeiro membro do elenco de Harry Potter a assistir a peça. Emma Watson, Rupert Grint, Bonnie Wright e Helena Bonham-Carter também já assistiram o show. Daniel Radcliffe, entretanto, disse que pode demorar um pouco até ele assistir a peça.

Eu quero assistir o show, estou genuinamente intrigado e ouvi dizer que é fantástico. Só acho que sentar em uma platéia que será, em grande parte em um futuro próximo, de fãs entusiasmados de Harry Potter talvez não seja um… jeito muito relaxante de assistir ao show. Então acho que não por enquanto.”

Comentários: 0

Nota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5 (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...