A Câmara Secreta ︎◆ A Pedra Filosofal ︎◆ Filmes e peças

Columbus: “Dan, Emma e Rupert são adultos magníficos”

Deixando de lado o jeito mais sério de um diretor de cinema, Chris Columbus concedeu, recentemente, uma entrevista ao Los Angeles Times, onde mostrou todo o seu lado paternal com o trio principal dos filmes da série Potter, Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint.

Garoto, eu estou te dizendo, pra vê-los crescer como atores e na verdade ter a oportunidade de ver Dan na peça ‘Equus’… Eu estava realmente impressionado. Foi o sentimento de um pai orgulhoso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Como muitos dos atores seriam crianças, ele e David Heyman fizeram uma espécie de trato, selecionando crianças baseados em suas famílias e na segurança que estas famílias podem dar a elas nessa época de suas vidas.

Então David Heyman e eu fizemos uma espécie de pacto de que iríamos selecionar as famílias tão bem quanto as crianças. E em entrevista com as famílias de Dan, Rupert e Emma, eles se mostraram como um grupo bastante sólido. Os pais deles eram bastante prestativos e estiveram lá com eles todo o tempo.

Confira a entrevista completa com Chris Columbus na extensão desta notícia.

CHRIS COLUMBUS
Chris Columbus age como um pai orgulhoso quando assiste as estrelas de “Harry Potter” de longe

Los Angeles Times ~ Geoff Boucher
16 de novembro de 2009
Tradução: Larissa França

Já se passou bastante tempo desde que Chris Columbus era o diretor cinematográfico em Hogwarts, mas ele disse que foi um prazer assistir Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint crescerem para coisas maiores e melhores.

“Meu maior orgulho é ver os filmes agora, e assistir os três de longe, e vê-los fazer uma cena inteira sozinhos”, disse o diretor dois primeiros filmes de Harry Potter, lançados em 2001 e 2002. “Eu sei que soa engraçado, mas nos velhos tempos – e, você sabe, os velhos tempos significa há oito anos atrás – e no primeiro filme em particular, está repleto de cortes porque eles não conseguiam sair da primeira linha sem olhar para a câmera, rindo ou olhando para as luzes.”

Eu falei com Columbus recentemente sobre o seu próximo filme, Percy Jackson & the Olynpians: The Lightning Thief, uma adaptação de uma série sobre um jovem garoto com um espírito forasteiro que descobre ter uma herança mágica e tem que lutar contra inimigos poderosos com a ajuda de seus amigos. Sim, isso nos soa algo familiar, não?

“Eu sei, eu sei, é a pergunta inevitável nesse filme”, Columbus disse com um riso.

“Nós obviamente seríamos tolos em não esperar o mesmo tipo de audiência.” Ele continuou a explicar as muitas diferenças entre Percy e Harry, mas você pode ler sobre tudo isso na nossa cobertura sobre o Lightning Thief. Hoje estou focado apenas em Columbus e seu legado de Hogwarts.

Em 8 de dezembro, duas novas edições para colecionadores chegaram às lojas: Harry Potter e a Pedra Filosofal e Harry Potter e a Câmara Secreta, e vêem com muitos extras, incluindo os testes, nunca vistos antes, dos membros do elenco e as duas primeiras partes do novo documentário de oito partes Ciando o Mundo de Harry Potter.

Columbus lançou uma franquia que, em menos de uma década, foi contabilizada em 5,3 bilhões de dólares em todo o mundo, sem mencionar os bilhões feitos em direitos autorais. Columbus não é saudado como um pai criador por muito fãs,embora; como franquia estava crescendo, mais estilizada e bem atuada (que só se deve a maturidade das novas estrelas), a percepção é de que os filmes de Columbus não foram tão bem.

Para mim, eles se sentem bastante fora do comum agora e, em alguns momentos, têm a atmosfera suave de um comercial da Hallmark. Estou certo de que uma espécie de estimativa soará um pouco injusto para Columbus e seus ajudantes – eles não estavam tentando fazer Let the Right One In afinal, era um filme para crianças sobre crianças.

Eu lembro que no início desse ano, o produtor da franquia Potter David Heyman me disse que a melhor forma de se emoldurar aqueles dois primeiros filmes é julgá-los pelo impacto pioneiro, sem rivalizar com as suas seqüências.

“Chris Columbus foi o diretor certo para aqueles filmes”, ele disse, lembrando que Columbus é incomparável em sua habilidade para trabalhar com crianças. De fato, Columbus não possui a habilidade de contar histórias do atual diretor David Yates, mas parte do seu trabalho nos dois primeiros filmes nos trouxe a certeza de que suas jovens estrelas estavam seguras no meio da tempestade.

“Tendo feito os filmes Home Alone, percebi que nós precisávamos começar a selecionar crianças baseados em suas famílias e na segurança que estas famílias poder dar a elas nessa época de suas vidas – esse foi particularmente o caso com as crianças de Potter, que estavam prestes a se tornarem três das crianças mais famosas do mundo”, disse Columbus. “Então David Heyman e eu fizemos uma espécie de pacto de que iríamos selecionar as famílias tão bem quanto as crianças. E em entrevista com as famílias de Dan, Rupert e Emma, eles se mostraram como um grupo bastante sólido. Os pais deles eram bastante prestativos e estiveram lá com eles todo o tempo”.

Eu disse a Columbus que a coisa mais legal sobre as estrelas de Potter é como o trio está calmo e atencioso com toda essa fama que já tomou metade de suas vidas. Não há uma Britney no grupo, eu disse a Columbus e ele concordou.

“Não havia essa obsessão pela fama”, disse o diretor de 51 anos. “No entanto aconteceu – particularmente com Daniel Radcliffe – relutantemente. Com as outras duas crianças aconteceu acidentalmente – eles não estavam esperando por isso. E eu acho que como resultado disso, porque eles tiveram senso de apoio de nós no início, e de seus pais do início ao fim, eles se tornaram adultos magníficos. E tendo dito, eles também se tornaram magníficos atores, você sabe.”

Debata, se quiser, as qualidades de Columbus como diretor, mas não duvide nem por um minuto de seu valor para a franquia que é agora uma grande parte da história de Hollywood. “Garoto, eu estou te dizendo, pra vê-los crescer como atores e na verdade ter a oportunidade de ver Dan na peça ‘Equus’… Eu estava realmente impressionado. Foi o sentimento de um pai orgulhoso.”