Filmes e peças ︎◆ O Enigma do Príncipe

Yates: ‘eu percebi que era uma coisa tão grande para tantas pessoas’

borda2 - Yates: 'eu percebi que era uma coisa tão grande para tantas pessoas'davidyates1 - Yates: 'eu percebi que era uma coisa tão grande para tantas pessoas'
Em recente entrevista ao online Telegraph, o diretor David Yates comentou mais sobre o filme, reiterando o sexo, drogas e roc’n’roll mas falando também sobre a evolução dos atores e o quão especial a franquia é para os fãs.
Ele comenta que ficou feliz em ver a evolução do trio em relação ao primeiro filme, lançado em 2001. E ainda diz que trouxe a comicidade para os filmes porque não haviam tido essa oportunidade antes.

Yates ficou impressionado com o que a franquia causa com as pessoas. Ele disse que quando veio até a América [do Norte] para o lançamento de Ordem da Fênix compreendeu o quão massivo e grandioso é a estreia neste continente.

“É engraçado como as coisas mudam, ele oferece. Eu me senti muito auto-consciente fazendo esse último filme. Na primeira vez, eu não percebi o quão grande era até ir na estreia e ir para a América e ver o quão massivo era o lançamento, e o quão gigante era a reação. Foi então que a ficha caiu, quando eu percebi que isso era uma coisa tão grande para tantas pessoas.”

Para acompanhar toda a entrevista você pode acessar a extensão.

DAVID YATES
HP e EdP – Entrevista com o diretor David Yates

Telegraph.co.uk – Will Lawrence
02 de julho de 2009
Tradução: Thaís Teixeira Tardivo

O amor está no ar em Hogwarts, de acordo com o diretor de O Enigma do Príncipe David Yates.

De acordo com o seu director, Harry Potter e o Enigma do Príncipe é muito bom. “É tudo sobre sexo, drogas e rock n’roll”, sorri David Yates da sua cadeira de diretor no cavernoso set de filmagens no Leavesden Studios em Hertfordshire. “Ok, talvez devessemos tirar as ‘drogas’. Realmente, esse filme é mais sexo, poções e rock n’roll; mas há todas essas coisas maravilhosas em nossa história”.

Ele para e sorri. “Para começar, há a Felix Felicis, que é uma poção que te dá uma sorte perfeita. Você a toma e tudo dá certo para você, mas também intensifica bastante seus sentidos e te deixa um tanto quanto ‘feliz’ com isso. E também há a poção do amor que te faz bastante tátil com todo mundo”.

O amor, pelo que parece, está no ar em Hogwarts. Os hormônios adolescentes estão alvoroçados, os estudantes estão sendo atacados por adversários emocionais e também materiais. Harry (interpretado por Daniel Radcliffe) se vê atraído por Gina (Bonnie Wright), enquanto Lilá Brown (Jessie Cave) decidiu que Rony (Rupert Grint) é o homem para ela. E também, é claro, tem a Hermione (Emma Watson), fervendo de ciúmes “Rony deve ser dela”, mas determinada a esconder seus verdadeiros sentimentos.

“Há algumas partes realmente encantadoras e cômicas lá”, continua o cineasta britânico de 46 anos. “Com a poção de amor, por exemplo, Rupert por um lado fica muito tátil com o personagem de Jim Broadbent [recentemente apresentado], Professor Slughorn, o que é hilário. Nós realmente não tivémos a chance de trazer esses momentos na última vez”.

Como Chris Columbus, que supervisionou os dois primeiros filmes de Potter, Yates está martelando múltiplos filmes na franquia (Alfonso Cuaron e Mike Newell filmaram um cada um), pegando a cadeira para o quinto capítulo, Harry Potter e a Ordem da Fênix, em 2007.Com O Enigma do Príncipe há apenas duas semanas de sua estreia geral, ele já começou a filmar Harry Potter e as Relíquias da Morte Partes 1 e 2, os capítulos finais da série, que estão sendo filmados juntos.

Inicialmente, O Enigma do Príncipe estava programado para estrear em novembro do ano passado, mas a própria Warner Bros se viu sem um sucesso de bilheteria de verão em 2009, por causa da greve dos roteiristas de Hollywood, e mudou o filme para julho desse ano. Além disso, A Ordem da Fênix ganhou mais de $1 bilhão em receitas de bilheterias internacionais em um lançamento de meio de julho. Yates, que estabeleceu sua carreira na televisão com séries dramáticas como Sex Traffic e State of Play, pode muito bem ficar com o filme mais rentável do verão. Ele está se sentindo confiante?

“É engraçado como as coisas mudam”, ele oferece. “Eu me senti muito auto-consciente fazendo esse último filme. Na primeira vez, eu não percebi o quão grande era até ir na estreia e ir para a América e ver o quão massivo era o lançamento, e o quão gigante era a reação. Foi então que a ficha caiu, quando eu percebi que isso era uma coisa tão grande para tantas pessoas.

“De maneira estranha, isso significou que quando eu comecei esse, eu estava mais preocupado com tudo do que mais confiante. Na primeira vez você apenas faz; você vai fundo. Mas eu me adaptei e esse é um pouco diferente do último. É um pouco mais maduro e espirituoso. É uma vibração diferente”.

Essa vibração exige que o elenco principal olhe através do fato de que eles cresceram juntos (o primeiro filme chegou em 2001) e abrace as mudanças naturais de seu relacionamento (há até cenas de beijos). “Eu acho que o elenco está cada vez melhor”, diz Yates, “e a Emma parece muito mais confiante dessa vez. Ela realmente mudou no útlimo filme, mas agora ela está ainda mais à vontade. E o Dan, tendo feito a peça Equus, está apenas encontrando momentos e ritmos que são realmente surpreendentes e encantadores”.

Junto com o enredeamento emocional, o Enigma do Príncipe está também cheio de ação, e o filme começa com uma cena que traz um dos grandes pontos de referência de Londres sendo destruído. J.K. Rowling fala sobre o ataque em seu livro, mas Yates vai mostrá-lo com toda a sua glória ameaçadora. O filme também apresenta alguns personagens desagradáveis, como o lobisomem Fenrir Greyback, e os Inferis.

“Eu lembro quando o Jurassic Park saiu e ele era um filme um tanto violento, com efeitos especiais de última geração”, diz Yates. “Mas porque era Steven Spielberg, as pessoas disseram, ‘Nós achamos que as crianças irão gostar’. E eu acho que isso é verdade aqui: porque é Harry Potter e por causa dos fãs, eu acho que há uma tolerância alta para o que nós apresentamos para a audiência. Os espectadores conhecem o mundo e eles leram sobre essas coisas e eles as experimentaram nas páginas. Portanto nós somos capazes de fazer um pouco mais do que os outros filmes podem”. Ele sorri. “Essa é a beleza em Harry Potter”.