Não categorizado

Watson aborda HP, carreira, estudos e curiosidades!

Conforme prometemos ontem à noite, a nossa equipe terminou de traduzir a espirituosa entrevista concedida por Emma Watson à Interview Magazine, durante a qual a jovem fala sobre sua carreira, o trabalho em Potter, a amizade com o trio, o que sentirá quando a série acabar, estudos, viagens, dentre outras curiosidades!

Você consegue imaginar o último dia de filmagem?
Não consigo. Eu vou ficar… incontrolável. Foi metade das nossas vidas. Isso nos criou, nos formou. É uma parte tão grande da minha vida, por isso vai ser realmente triste – e várias pessoas da equipe que estão lá desde o início são como a minha família.

Emma também revelou que tem ido filmar às 6:30 da manhã, e está tentando fazer todas as suas cenas agora e durante o verão para poder estar livre para a universidade em setembro, embora talvez ela precise voltar a trabalhar nas pausas do Natal e março.

A tradução de toda a parte divulgada pode ser lida na extensão. A matéria completa, com toda a história e entrevista feita com Emma, será divulgada na edição de maio da revista, e quando ela for divulgada online nós a traremos traduzida na íntegra para vocês!

EMMA WATSON
Interview Magazine ~ Derek Blasberg
20 de abril de 2009
Tradução: Daniel Mählmann
Revisão: Matheus Lisboa

Desde que o primeiro romance de Harry Potter foi publicado em 1997, milhões e milhões têm sonhado em ser transportados para o mundo Potter. Mas o que eles provavelmente não sabem é que, na realidade, ele fica a apenas algumas milhas a noroeste do centro de Londres – parte de uma antiga fábrica de aeronaves da II Guerra Mundial se tornou o set do filme chamado Leavesden Studios. É lá onde Emma Watson, conhecida por estas partes como Hermione Granger, senta-se, na maioria dos dias, empoleirando-se em seu trailer, beliscando um almoço de batatas fritas, enquanto espera por uma tomada ser feita em um hangar transformado.

Para Watson, a série de testes de som, camarins e departamentos de arte – também conhecido como o mundo Potter – tem sido tanto um lugar de trabalho, como também, em muitos aspectos, uma segunda casa durante a última década. Ela foi escolhida aos 9 anos para interpretar uma das personagens mais queridas da ficção contemporânea, e, desde então, tem agido ao contrário.

Daniel Radcliffe (Harry Potter) e Rupert Grint (Rony Weasley) em uma situação difícil, todos cumprindo a tabela de horário das filmagens para lançar as oito partes para a fome excessiva de um público obcecado por Potter. (Até o momento, os cinco filmes que já foram lançados arrecadaram mais de $4 bilhões ao redor do mundo. O sexto capítulo, Harry Potter e o Enigma do Príncipe, que sairá nesse verão, espera elevar muito mais esse número). Os filmes que fizeram Watson famosa não são mera brincadeira de criança. Eles podem ser bastante obscuros, tratar de assuntos inquietantes, os quais, para a personagem de Watson, significaram seguir a progressão de uma garotinha bem comportada com pais trouxas (trouxa significa “não-mágico”, para qualquer iniciante perdido por aí) em uma jovem mulher articulada e bem sucedida que soca vilões e ainda assim cai bem em um vestido redondo cor de rosa.

Embora Watson tenha comprometido seus anos de desenvolvimento aos sets do Leavesden Studios, ela não parece guardar rancor por ter lidado com festas cansativas, clubes noturnos e jogos de futebol para ensaios, filmagens e premieres. Embora agora ela finalmente seja uma adulta, a [atriz de] 19 anos de idade começou a guiar seu próprio barco (ou, no caso de Watson, o Prius que ela comprou no ano passado). Ela recentemente saiu da casa dos pais e foi para um duplex em Londres, que compartilha com uma colega de quarto (a sua proximidade com o mundo de Potter foi um fator decisivo na escolha da locação). Ela adquiriu um interesse em moda (e [virou] uma nova fã de Karl Lagerfeld, que recentemente a fotografou para uma revista). E, o mais interessante (ao menos para os alardes da celebridade), ela está considerando deixar o Reino Unido no segundo semestre para começar a estudar na Ivy League nos Estados Unidos. Ela ainda sugeriu que a sua carreira de atriz pode terminar quando Potter acabar.

A vida de Watson está de repente se separando do roteiro – mas definitivamente não está decaindo. A pouca ingenuidade que ela possui gira principalmente em torno de seu próprio senso de celebridade. Claro, ela reconhece os paparazzi fora de um restaurante, mas é completamente inconsciente das bonificações. Ela uma vez me perguntou se seria possível conseguir para ela uma entrada para um show de moda em Paris – pouco depois de saber que o designer da PR a teria pego em um helicóptero se eles soubessem que ela queria comparecer. Esperei por uma mesa com ela no seu restaurante mexicano favorito, em Covent Garden, Londres. Eu a levei a shows em clubes no Brooklyn, que foram cobertos por um tapete de garrafas de cerveja vazias. E uma vez nós brincamos na piscina num bar de Londres frequentado por homens gays cabeludos em calças de couro. Ela parece estar simplesmente tão feliz fora do mundo Potter como quando está trabalhando no centro dele. Como esperado, a agenda dela é ridícula: os dias são meticulosamente planejados, as gravações são, muitas vezes, antes do sol nascer, e ela é a Hermione por dias inteiros que se transformam em semanas inteiras. Ao contrário da maioria das garotas inglesas, Watson nunca tinha ido a uma partida de futebol tradicional. Então, no dia seguinte a minha visita ao mundo Potter, nós fomos a um jogo Chelsea x Manchester City. Depois, voltamos para o apartamento dela, que fica na parte de cima de uma casa de dois andares. Apesar do fato de Watson ter realizado um jantar especial na noite anterior, o lugar estava arrumado. Ela continuou a fazer chá e torradas comprimidas enquanto nós sentamos para conversar sobre Potter, Hogwarts e tudo mais.

Não posso acreditar que foi o seu primeiro jogo de futebol. O que você tem feito durante toda a sua vida?
Ah, não sei. Eu faço esses pequenos filmes dos quais ninguém nunca ouviu falar. Apenas alguns independentes.

E eu ouvi que você acabou de realizar seu primeiro jantar ontem à noite. Como ele foi?
Bem, foi um desastre. Não porque eu sou uma terrível cozinheira, mas porque o prazo era muito curto. Eu só fui capaz de fazer metade da torta – uma cottage pie, que é essa refeição muito britânica de carne moída – e então tive que abandoná-la.

Foi esta uma daquelas situações onde você deseja ter uma varinha mágica?
Ah, meu Deus. Esta é a primeira vez em todo o tempo que o conheço que você utiliza uma piada ruim de Harry Potter. Este é um momento triste. Mas, sim, eu corri para longe em tempo. Foi como MasterChef em minha cozinha ontem à noite, uma atmosfera realmente estressante…

Com o suor escorrendo de seu nariz, e você arquejando fortemente?
Exatamente. Mas como um ataque estreante em entretenimento, eu o golpeei sem chances de rebatida.

Que fim de semana de estréias: primeiro jantar especial, primeiro jogo de futebol. O que mais?
Primeira vez que eu trabalhei com [o fotógrafo] Nick Knight. Ele foi muito legal, muito inglês.

Você prefere trabalhar com uma equipe inglesa? Quando visitei você no set Harry Potter, a maioria das pessoas eram inglesas.
Bem, eu não deveria dizer que tenho um diretor favorito – isso não seria muito diplomático. Mas uma das pessoas que eu mais gostei de trabalhar foi Alfonso Cuarón [que dirigiu Watson no terceiro filme Potter, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (2004)]. Eu tenho uma coisa real por diretores mexicanos. E eu amo Guillermo del Toro e Alejandro González Iñárritu.

Foi por isso que você esteve no México no início deste ano?
Eu fui porque queria viajar e tinha ouvido coisas ótimas sobre o país. Eu não cheguei a ver nenhum desses caras.

Claro que não. Uma jovem garota no México significa férias de primavera! Cancún, querida! Doses de Tequila no Señor Frogs!
Esse foi o lugar mais estranho de todos. Em Cancún, eu senti como se tivesse andado em um filme americano adolescente. Eu fiquei sozinha lá por dois dias – felizmente, meus amigos e eu estávamos mais interessados em viajar por outras partes do país. Mas eu pensei seriamente que era daquele jeito apenas nos filmes.

Quando eu estava na escola, fui ao México para as férias da primavera, e foi surreal. Tipo, nerds da escola entrando em competições de camisetas molhadas, e escoceses do ensino médio dominando o secreto teatro de prostitutas góticas.
É tão animador.

Isto é o que você perdeu enquanto estava fazendo Harry Potter, Emma.
Eu sei. Sinto-me tão desprovida. Mas Cancún certamente não foi o meu favorito. Nós fomos à Ixtapa, onde estão as ruínas. Era uma parte linda e resfriada do país. Fomos à Cidade do México, que era maravilhosa, mas muito perigosa. Ficamos felizes em sair de lá no final. E fomos para Cuba – eu diria a todos para ir a Cuba agora, porque em 10 anos ela estará completamente diferente.

Você gosta de viajar?
Sim, e é nisso que os filmes têm me ajudado. Com Harry Potter, eu estive no mundo todo. Eu provavelmente não teria ido a Nova Iorque tão jovem se não fosse pelos filmes. Eu tinha 11 anos, e me lembro disso claramente porque foi logo depois do 11 de setembro. Eu estava no marco zero, olhando para esta galeria que tinha mensagens e desenhos sobre todas as paredes.

Isso é algo pesado para alguém de 11 anos.
Sim, foi. Lembro-me de um dos produtores dar este grande discurso enquanto estávamos lá, dizendo que talvez a razão pela qual Harry Potter foi tão bem sucedido, especialmente em seguida, era porque as pessoas realmente queriam ser erguidas ou ser levado a outro lugar.

Acho intrigante você ter iniciado essa jornada quando tinha 9. Como você mesma soube sobre os livros?
Meu pai costumava lê-los para mim antes de eu ir para a cama e durante longos percursos de carro.

Então depois você simplesmente foi a um convite aberto?
Não, não houve nenhuma audição aberta – eles foram por toda a Inglaterra para encontrar esses personagens, e não apenas em escolas de dramaturgia. Eles vieram para a minha escola e perguntaram se poderiam apresentar um grupo de 20 crianças entre as idades de 9 e 12 anos. Tiraram a minha fotografia no ginásio da escola, e então recebi uma ligação três semanas depois.

O que aconteceu entre a foto do ginásio e o primeiro dia de filmagem?
Foi um longo período – oito audições…

Você conheceu alguma das outras garotas que estavam indo para os papéis?
Sim! Não vou dizer o nome, mas havia essa garota que já tinha feito um filme antes. Lembro-me apenas do desmoronamento ao vê-la, pensando, “Ela esteve em um filme antes, e ela sabe como fazer isso. Não tenho nenhuma chance”. Pior ainda, uma vez eu vim para os estúdios, e ela estava lá jogando cartas com um dos outros garotos apresentados para Harry – não era Daniel Radcliffe. E eu fiquei como “Ah, meu Deus, eles já estão fazendo amigos! Definitivamente, eu não vou conseguir [o papel]”. Eu fiquei tão, tão chateada.

Aposto que esses dois têm fotos de você e Daniel Radcliffe em seus tiro ao alvo agora.
Provavelmente. Mas eu queria tanto o papel.

Por quê? Porque você queria estar nos filmes e ser famosa, ou porque você se identificava com o papel?
Eu amava os livros – era uma grande fã. Simplesmente senti como se aquele papel pertencesse a mim. Sei que parece loucura, mas a partir da primeira audição, eu sempre soube. No início, eles estavam escalando os outros personagens também – mas eu sempre soube que eu sairia para Hermione. Ela veio tão naturalmente para mim. Talvez muito de mim, naquela época, fosse semelhante a ela. Claro, tudo isso aterrorizava meus pais – lá estavam literalmente milhares e milhares de garotas indo para a audição, e meus pais estavam preocupados sobre o que eu faria se não conseguisse o papel.

Tenho certeza que eles estavam como “O que vamos comprar para se ela não consegui-lo? Um pônei?”
Eles estavam tentando me fazer ficar mais realista – mas eu não estava tendo nada disso. Eu estava indo conseguir o papel. Essa é uma coisa doce: meu pai fez um assado em um domingo e me deu uma fúrcula (osso esternal de galinha utilizado para fazer um pedido ou pedir a realização de um desejo), e eu obviamente fiz o desejo de que eu iria ganhar esse papel. Ainda tenho o osso de galinha lá em cima no meu porta-jóias.

Foi um feitiço de boa sorte bastante efetivo. E agora você não está apenas fazendo filmes, você se tornou amiga de Karl Laagerfeld. Como vai essa amizade?
Encontrei Karl algumas vezes antes, em festas ou algo onde nós realmente não podíamos nos falar. Mas este foi um sonho que virou realidade. Passamos o dia inteiro juntos, e ele pode falar sobre qualquer coisa – literatura, arte, ciência, cultura moderna. Fiquei totalmente seduzida. Sinto-me estragada por estar passando tanto tempo com ele.

Agora que você fez algum dinheiro, você está gastando todo ele na moda?
Eu realmente não compro coisas de designer. Tenho algumas coisas legais, mas realmente não tenho ocasião para vestir alta costura muito frequentemente. Quando estou em uma situação onde preciso me vestir, tipicamente alugo algo – o que significa que eu tenho de devolvê-lo à meia noite, como a Cinderela.

Qual foi o seu primeiro grande consumo quando o dinheiro de Potter chegou?
Humm… comprei um laptop para mim. Levei meu pai para Toscana. Ele trabalha tanto, meu pai, então liguei para o secretário dele e perguntei quando ele estaria livre, e reservei um feriado para a gente. O que mais? Ah, comprei um carro para mim.

Eu vi o carro. Acho muito bom que a Hermione Granger dirija um Prius.
Tirei minha carteira de motorista no ano passado, e eu amo o Prius, mesmo que os meus amigos digam que é feio. Eles dizem que eu dirijo um tijolo. E, para ser honesta, ele não é o carro mais bonito nas ruas, mas é bom para o meio-ambiente. É sensível e tedioso – como eu.

É educado e eficiente, como você.
Sim, eu sou o Prius do meu grupo de amigos.

Você disse anteriormente que depois dos filmes Harry Potter terem sido feitos, você não tinha certeza se vai continuar a ser uma atriz de tempo integral. Eu pessoalmente achei que o comentário recebeu um monte de críticas sem razão. Quando eu tinha 9 anos, se alguém tivesse me perguntado o que queria ser para vida toda, teria dito um pirata, ou um bombeiro. Você consegue imaginar se alguém me apoiou nisso?
Rá! Também fiquei um pouco chocada com as respostas das pessoas. Talvez seja porque, neste momento, existe muita gente querendo ser famosa, então como eu poderia não querer isso? Ou como eu poderia não querer manter a fama para sempre? Mas acho que só quero estar certa do que quero. Eu era tão nova, e acho que realmente não sabia da grandeza daquilo que eu estava assinando. Eu realmente quero estudar. Adoraria tentar teatro. Preciso tentar coisas por fora. Mas digo tudo isso agora – tenho certeza que ainda estarei aqui em 10 anos, fazendo Harry Potter 30.

Talvez você possa interpretar a mãe de Hermione?
Ah, não! Isso seria tão repulsivo! Você não acha que as pessoas ficariam entediadas de me ver no mundo Potter até lá?

Não só isso, é provavelmente cansativo ser Hermione. Eu estive no set com você, e esses são dias muito longos. Que horas você está lá todas as manhãs?
No momento, estamos lá por volta de 6:30 da manhã, o que significa que sou apanhada [em casa] cerca de 5:45. Estamos filmando ambos os sétimo e oitavo filmes de uma vez, e estou tentando fazer todas as minhas cenas agora e durante o verão, assim estarei disponível para a universidade em setembro – embora já pareça que eu estarei trabalhando nas pausas do Natal e de março.

Nesses dois filmes, a maioria das suas cenas é com Dan e Rupert?
Sim. No último livro, eles deixaram Hogwarts e estão viajando por aí juntos. Parece certo que comece com nós três e termine com nós três. É sobre a nossa amizade.

Como você é com esses homens jovens fora do set? Vocês são amigos?
Para ser honesta, nos vemos tanto uns aos outros quando estamos trabalhando, que sair juntos seria sobrecarregado. Eu os amo, mas preciso ver outros amigos fora do set. Eles são como os meus irmãos agora.

Apesar de tudo, vocês três têm compartilhado essa estranha experiência. Não há mais ninguém que vá realmente entender como foi crescer nesses papeis, nessa franquia, nessa fama repentina, como vocês três entendem.
Eu concordo completamente com isso, mas nós três também somos pessoas diferentes. Nós seremos sempre muito importantes para o outro. Mas, ao mesmo tempo, depois de oito filmes Harry Potter, estaremos prontos para ir e fazer outras coisas, e ser outras pessoas, e ter tempo para nós mesmos.

Você consegue imaginar o último dia de filmagem?
Não consigo. Eu vou ficar… incontrolável. Foi metade das nossas vidas. Isso nos criou, nos formou. É uma parte tão grande da minha vida, por isso vai ser realmente triste – e várias pessoas da equipe que estão lá desde o início são como a minha família.

Como o seu adorável motorista, Nigel.
Sim, eu adoro o Nigel! Você sabe, ele me levou lá para a minha primeira audição, e tem sido meu motorista desde então. Ele é como meu melhor amigo – sabe tudo sobre a minha vida. Se você tiver de sentar em um carro com alguém por duas horas por dia, é melhor você gostar dele! Eu fico muito enciumada quando ele dirige para outra pessoa.

Nós falamos sobre você possivelmente vir para a América para a universidade. O que há de tão atraente sobre ir a uma escola Ivy League?
Eu nunca pensei que iria querer ir à América para a universidade. Quando criança, eu pretendia ir para a Oxbridge, porque é para onde os meus pais foram. Quando meu pai fala sobre sua época por lá, ele diz que foi a sua experiência mais incrível.

Então o que fez você se entreter com a idéia dos Estados Unidos?
Bem, eu fiz um curso de Shakespeare no RADA [Royal Academy of Dramatic Art] no verão passado, e três quartos dos estudantes eram estrangeiros, principalmente dos Estados Unidos. Comecei a falar com eles sobre o que estavam fazendo em suas escolas, e respeitei a aproximação. Aqui, sinto que a especificação é muito estreita, enquanto que na América, você é incentivado a ser amplo e escolher os mais diversos temas. Para alguém que perdeu tanto da escola como eu, quero voltar e descobrir o que mais existe. Eu sempre amei a escola – eu era uma nerd oficial. Só quero isso de volta novamente.

O que você vai estudar?
História, Inglês… quero continuar aprendendo Francês, talvez alguma política. Quero continuar estudando arte.

Acho que você deveria se dedicar absolutamente a alguns estudos para sua pintura. Continuo olhando para esta grande pintura que você fez de seu meio-irmão, que está pendurado acima do seu sofá.
Acho que sou um pouco tímida sobre a minha arte, mas amo pintar pessoas e expressões e rostos. Sempre fiz arte, embora muita gente não saiba disso.

Quais artistas influenciaram você?
Para esta peça em particular, diria que Jenny Saville. A maior parte dos trabalhos dela é muito ameaçadora, mas amo a sua técnica de pintura. Gosto de qualquer coisa que tenha a ver com o corpo… eu amo Egon Schiele, Gustav Klimt e Francis Bacon. Você e eu fomos à exibição de Bacon na Tate Britain no ano passado, e eu a achei tão comovente.

Então esta é uma exigência de quando você se deparou com a época da Ivy League no estúdio?
É muito importante para mim fazer isso. Uma vez que eu não vou para a escola desde julho, só agora percebi o quanto sinto falta dela. Eu não tenho tempo para isso agora, e você realmente tem que se sentar e pensar sobre isso e fazê-lo. Enquanto eu podia, quando eu não estava filmando, eu ia à escola. Quando estava filmando, enviava todo o meu trabalho de volta para ser marcado pelos meus professores. Conforme fiquei mais velha, porém, se tornou mais difícil escorregar para dentro e para fora.

Esse é um enxerto da história de capa de maio. Para ler a entrevista completa de Emma Watson adquira uma cópia de Interview.

Derek Blasberg é um jornalista de moda e escritor baseado em Nova Iorque. Ele é um dos editores sênior da V Magazine e editor contribuinte do style.com.