O Cálice de Fogo

Revista espanhola elogia estilo de Emma Watson

Potterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Revista espanhola elogia estilo de Emma WatsonPotterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Revista espanhola elogia estilo de Emma Watson
A revista Vogue España publicou em sua edição de outubro um artigo sobre Emma Watson, comentado os erros e acertos da jovem atriz no mundo da moda, afirmando que a jovem já conquistou a muitos com sua simplicidade.
O artigo salienta, em suma, o estilo de Watson no tapete vermelho, dizendo que a atriz não costuma arriscar muito em seus looks. Mas também, não nega que o estilo de Emma já conquistou muitos:

Embora, definitivamente, não vá substituir Keira Knightley como imagem do perfume Coco Mademoiselle ou sequer vá a muitos eventos sociais, a Vogue e Harper’s Bazaar já falam dela como de uma entendida da moda. Está claro: presenciamos ao nascimento de outra estrela do tapete vermelho.

Você pode conferir o scan da revista em nossa galeria, clicando aqui e conferir a tradução do artigo em notícia completa.

EMMA WATSON
Ensaio e erro

Vogue España ~ Olga Ruiz
Outubro de 2008
Tradução: Renan Lazzarin

Se você tem 18 anos, até o tapete vermelho permite um escorregão. É sério.

Quando, no quarto filme de Harry Potter, Hermione chegou ao baile com um vestido longo de princesa com metros e metros de tecido rosa, minha filha Lucía (com 7 anos à época) teve um acesso de risos e cobriu a cara com as mãos. De pura emoção. Às vezes, acho que apenas o pudor me impede de fazer o mesmo gesto quando vejo as proezas estilísticas de Carine Roitfeld, de Madonna ou de Kirsten Dunst.

Emma Watson – assim se chama a britânica que interpreta Hermione – tem 18 anos, é a melhor atriz (a única boa) das três crianças bruxas, foi a capa mais jovem da história da Teen Vogue e, embora, definitivamente, não vá substituir Keira Knightley como imagem do perfume Coco Mademoiselle ou sequer vá a muitos eventos sociais, a Vogue e Harper’s Bazaar já falam dela como de uma entendida da moda. Está claro: presenciamos ao nascimento de outra estrela do tapete vermelho.

“Tento escolher vestidos que sejam eu,” assegura Watson, “de modo que possa vesti-los com convicção.” Até aí, tudo perfeito. E Chanel, a marca pela qual ela geralmente opta, sempre sai vitoriosa. Um look seguro. Um acerto. Mas sinto falta de uma aposta ousada, uma mistura incompreensível. Um ensaio. E um erro. Como as crianças quando aprendem a andar, como os pintinhos que Thorndike investigava, que o ajudaram a formular sua teoria da aprendizagem. Se dá certo, dá certo e chega à família de pintinhos. E se não dá, o pintinho tenta outro caminho, outra opção. Quantas vezes Madonna não chegou ao nível do desastre com um look inapropriado, pouco vestida demais, vestida demais ou simplesmente demais? Mas aquele que não arrisca, não aprende. É a teoria do ensaio-erro. E não se pode ter o mesmo medo de se enganar se você é uma atriz adolescente ou um astronauta. Definitivamente não.