Filmes e peças

Radcliffe fala sobre Equus em nova entrevista

Potterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Radcliffe fala sobre Equus em nova entrevistaPotterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Radcliffe fala sobre Equus em nova entrevista
Foi disponibilizada hoje pelo Snitch Seeker uma nova entrevista em que Daniel Radcliffe, atualmente trabalhando em exibições da peça Equus no “The Broadhurst Theatre” em Nova york, fala sobre filmes e também sobre a peça teatral, da qual é protagonista.
Confiram um trecho da entrevista:

Radcliffe, 19, rejeita a noção de que apresentações ao vivo precisem ser maiores em escala ou que fazer oito apresentações por semana exija mais energia do que um filme, “onde pode haver horas realmente longas, e você pode fazer 20 tomadas em qualquer cena.

O trabalho de Daniel na série Potter o ajudou a desenvolver a resistência necessária para as cargas sexual e espiritual exigidas em Equus, em que ele interpreta Allan Strang, um adolescente que sofre intensa psicanálise depois de cometer um crime brutal e bizarro.

Têm uma quantidade grande de suor em mim no fim da peça” afirma Radcliffe. “Tenho uma coisa fisicamente repelente. Pelo menos é um bom exercício e eu não tenho que ir a academia.”

A entrevista que fora feita pelo USA Today, pode ser vista na íntegra clicando aqui ou em notícia completa.

DANIEL RADCLIFFE
Daniel Radcliffe defende seu papel em Equus

Elysa Gardner – USA TODAY
25 de setembro de 2008
Tradução: Iago Sales
Revisão: Renata Grando

Daniel Radcliffe não entende “a agitação sobre a diferença entre atuar no palco e atuar nas telas”.

A estrela de Harry Potter, que faz sua estréia em Equus, de Peter Shaffer, na Broadway hoje a noite no “The Broadhurst Theatre”, diz que o palco faz determinadas exigências técnicas.

Radcliffe, 19, rejeita a noção de que apresentações ao vivo precisem ser maiores em escala ou que fazer oito apresentações por semana exija mais energia do que um filme, “onde pode haver horas realmente longas, e você pode fazer 20 tomadas em qualquer cena.”

O trabalho de Daniel na série Potter o ajudou a desenvolver a resistência necessária para as cargas sexual e espiritual exigidas em Equus, em que ele interpreta Allan Strang, um adolescente que sofre intensa psicanálise depois de cometer um crime brutal e bizarro.

Têm uma quantidade grande de suor em mim no fim da peça” afirma Radcliffe. “Tenho uma coisa fisicamente repelente. Pelo menos é um bom exercício e eu não tenho que ir a academia.”

Seu cronograma de ensaios e apresentações lhe permite “deitar na cama muito mais tarde do que anteriormente, em Londres, o que é fantástico.”

Embora a experiência de Radcliffe no palco tenha sido limitada a um papel de macaco na escola, os críticos londrinos o abraçaram quando Equus estreou no West End em fevereiro de 2007. Na peça teatral, Radcliffe tem trabalhado com outra figura dos filmes de Harry Potter, Richard Griffiths, que na peça é psicanalista de Alan: Griffiths fez o tio de Harry, Válter.

Radcliffe está à vontade com os outros co-atores também, Anna Camp, como Jill, que partilha o interesse por cavalos com Alan, entre outras coisas. “Quando você tem que ficar nu no palco com alguém, você quer se sentir relaxado com eles”, diz Radcliffe. “E com ela, tenho um ótimo relacionamento.”

Ele está referindo-se, naturalmente, à cena que tem recebido mais atenção: “Eu estou nu apenas durante cerca de sete minutos, em um show que ocorre em cerca de 2 ¼ horas.”

Ainda assim, o presidente da New York Drama Critics’Circle, Adam Feldman diz que esse fator “não pode ser esquecido” na avaliação do interesse.  Há um pouco mais nisto, porque Radcliffe foi recentemente uma estrela-mirim. Há certa excitação maliciosa, vagamente sexual.”

Os críticos de Nova York não vão avaliar oficialmente até sexta-feira, mas Radcliffe tem sido incentivado pela platéia durante várias exibições. Os fãs que esperam por ele na porta do teatro “são realmente a favor. Alguém me disse outro dia ‘Eu nunca mais vou ver Harry Potter da mesma maneira’.”

Eu queria ter dito, ‘Veja-o da maneira como você sempre deve vê-lo, como um personagem – exatamente como Alan.’ Espero poder representar o máximo de personagens que conseguir. Eu vou continuar voltando aos palcos e ao cinema até quando eles me receberem.”