Filmes e peças ︎◆ O Enigma do Príncipe

Nova foto de EdP mostra Harry e Dumbledore

Potterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Nova foto de EdP mostra Harry e DumbledorePotterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Nova foto de EdP mostra Harry e Dumbledore
Em um novo artigo relacionado à sexta adaptação cinematográfica da série Potter, Enigma do Príncipe, o Los Angeles Times divulgou uma foto inédita da película. A nova imagem mostra Dumbledore e Harry usando suas varinhas para iluminar a casa do pomposo Slughorn.
Ao que podemos presumir, a cena retratada na figura é a do início da história, na qual o diretor leva Potter para convencer Horácio, já aposentado, a voltar a lecionar Poções em Hogwarts. A morada do velho, entretanto, está toda revirada, dando a ideia de que ele fora atacado.

Além da imagem, o artigo analisa a adaptação do filme, o atraso na estreia e contém trechos de entrevistas com os atores integrantes do trio principal. Fique atento a novidades, já que nossa equipe está trabalhando na tradução do texto.

Atualizado: Você já pode conferir, na extensão, o artigo traduzido na íntegra.

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
Hormônios à solta em Hogwarts

Los Angeles Times ~ Geoff Boucher
03 de maio de 2009
Tradução: Renan Lazzarin

O altamente esperado ‘Enigma do Príncipe’ promete mais momentos de humor que os volumes anteriores de ‘Harry Potter,’ mas um dos personagens principais morrerá.

Watford, Inglaterra — Daniel Radcliffe passou metade de sua vida com o papel do menino-bruxo Harry Potter, então, para ele, é difícil imaginar alguma surpresa aparecendo no set do sexto filme, “Harry Potter e o enigma do Príncipe,” que chega aos cinemas em 15 de julho.

“Você pensaria assim, mas, na verdade, cada filme é diferente, e o aspecto renovado dessa vez foi o foco romântico adolescente deste filme, o que deve torná-lo absolutamente charmoso e muito engraçado,” disse Radcliffe durante uma pausa nas gravações. “Então, desse ponto de vista, é um filme diferente, porque nunca tivemos esse tipo de centro tão leve e caloroso antes.”

Radcliffe tinha acabado de terminar de gravar uma cena de festa num cenário especialmente vibrante numa fábrica de aviões que há uma década se tornou a murada Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts.

Era uma refrescante tarde de fevereiro de 2008, e o ator não fazia a mínima ideia de que o Natal chegaria e iria embora antes de “Enigma do Príncipe” chegar aos cinemas; a sexta aventura de Potter foi marcada para ser lançada em novembro passado, mas, para a decepção dos fãs, os executivos da Warner Bros. anunciaram no último verão que postergariam o filme em oito meses, para maximiar sua posição de mercado.

Ainda veremos se os fãs continuam guardando rancor pelo filme ter sido adiado – muitos organizaram boicotes ou, ao menos, deixar de conferi-lo no fim de semana de estreia para expressar sua ira – mas é difícil imaginar esse monstro da pipoca ter sua velocidade dimunuída, quanto mais zerada. O último filme, “Harry Potter e a Ordem da Fênix,” conseguiu US$938 milhões em todo o mundo, fazendo dele a edição mais bem-sucedida desde que o primeiro volume, “Harry Potter e a Pedra Filosofal” arrecadou US$974 milhões em 2001. A franquia já atraiu quase US$4,5 bilhões, um número que faria qualquer trouxa acreditar em magia.

Sete romances “Potter” foram publicados, mas o estúdio e os produtores dividirão o último filme em dois, uma decisão que atribuem à densidade da história, repleta de ação, e não para arrancar outra bolada de bilheteria da série. Estes capítulos finais da grande aventura cinematográfica Potter estão pautadas para sair em novembro de 2010 e julho de 2011.

Enquanto o quinto filme de Potter foi largamente dedicado ao personagem-título, o “enigma do Príncipe” dará lugar a uma gama maior de personagens e estabelece um início para os clímaxes que dominarão os dos filmes derradeiros.

O sexto volume se aprofunda no horripilante passado do vilão Voldemort (Ralph Fiennes), apresenta um novato na pele do pachá Horácio Slughorn (Jim Broadbent) e também ápices, como bem sabem os leitores dos romances, que transformão um dos personagens principais em fantasma.

Apesar da amarga perda, o diretor David Yates, que também dirigiu o quinto filme, foi contratado para cuidar da franquia até a sua conclusão, diz que há “charme e doçura” neste volume da série literária de JK Rowling, em particular, e que isso se reflitará nas telas. O obcecado por aparências Slughorn e suas tramoias injetam muito humor no filme (e deve lembrar alguns espectadores do alívio cômico proporcionado por Kenneth Branagh e seu vanglorioso Gilderoy Lockhart, em “Harry Potter e a Câmara Secreta”), e o momento central é a hilária estreia de Rony como jogador de quadribol.

Radcliffe afirma que a cena será engraçadíssima para os fãs da franquia, mas nem todos ficaram contentes durante as filmagens — Rupert Grint, que dá vida a Rony, há muito invejava os atores que voavam pela telona nesse tipo de versão em vassoura do basquetebol.

“Descobri que não era tão divertido quanto eu pensava,” disse Grint, esgotado e dolorido pelo cabo de vassoura mecânico e com dores de cabeça por trabalhar com a gigantesca tela verdade que proporciona um cenário virtual para que os artistas de computador mais tarde prencham os espaços e as edificações para formar o campo. “Vai ser mais divertido assisti-lo que filmá-lo.”

Também há muito daquele romance, à medida que os alunos, agora no fim de suas adolescências, aprendem as agridoces lições do amor. Emma Watson, que completa o trio de amigos como Hermione, disse que depois de tantos anos de batalha com criaturas mágicas, é um conforto para os pupilos de Hogwarts lutar com suas próprias paixões e aproveitar alguns chutes no traseiro.

‘É tão divertido, realmente estou gostando,” disse Watson, sentando-se em seu camarim decorado com rosa. “E isso faz uma diferença, porque o último foi tão pesado, e é muito legal ter… É um bom intervalo para mim. E para os fãs, acho que vai ser muito, muito, muito engraçado.”