fbpx
O Cálice de Fogo ︎◆ O Enigma do Príncipe

Na IstoÉ este Sábado

A jornalista Lena Castellón, que escreveu a matéria para a revista IstoÉ sobre Harry Potter e que estará este sábado nas bancas, esteve na coletiva de imprensa do filme em Londres e nos enviou um relato, para ler Clique aqui (é ótimo, eu recomendo a leitura!!) .
Ela diz, ainda, que até o fechamento da matéria não se tinha decidido a censura do filme a ser lançado no próximo dia 25, e que o lançamento da tradução do sexto livro da série, Harry Potter e o Enigma do Príncipe tem lançamento confirmado pela Rocco para o dia 26.
Obrigada Lena!

Uma entrevista coletiva
Por Lena Castellón

Qualquer fã de Harry Potter exultaria com a possibilidade de encontrar o trio de atores que dá vida ao bruxo e seus dois amigos. Por isso, compreendo perfeitamente quando ouço alguém dizer que está com inveja de mim, “mas aquela inveja boa”. Sim, eu tive essa oportunidade. Os dias que antecederam a viagem que fiz a Londres para ver o filme novo e participar da entrevista coletiva a respeito de O Cálice de Fogo foram marcados por pedidos do gênero: “tire um monte de fotos”, “peça um autógrafo”, “dê um beijo por mim”. Estava claro desde o princípio que isso não seria permitido. Avisei todo mundo, só que o ditado “a esperança é a última que morre” deve ter rondando diversas pessoas.

Parti para Londres com um grupo de jornalistas brasileiros. A sessão começou às 8h30, numa sala de exibição da Warner. Havia repórteres de vários lugares. Antes desse dia, o filme já havia sido exibido para outros profissionais da imprensa. A entrevista coletiva, no entanto, tinha sido marcada para uma terça-feira, 25 de outubro, a mesma data em que vi o longa. Foi uma correria. Acabada a sessão, partimos para a coletiva, que aconteceu no Merchant Taylor´s Hall, um prédio histórico e elegante onde se realizam conferências.

Eram 12h24 quando os entrevistados entraram na sala, especialmente preparada com objetos que fizeram parte do cenário do filme. Vieram em fila encabeçada pelo Robert Pattinson (Cedrico). Na seqüência, vieram Clémence Poésy (Fleur), David Heyman (produtor), Emma Watson, Daniel Radcliffe, Rupert Grint, Mike Newell (diretor), Katie Leung (Cho) e Stanislav Ianevski (Krum). Os atores, o diretor e o produtor instalaram-se numa mesa comprida. Havia duas cadeiras de espaldar alto. Uma ficou com Dan, o que era bem justificável. Ele ficou no centro da mesa e é realmente o centro das atenções. A outra ficou com o Stan. Era a última da mesa.

O Dan estava vestido num estilo muito… formal. Gravata??!! Ok, ok. Parece que ele quer ser adulto logo. Ele é simpático. Fala bastante e tem uns trejeitos engraçadinhos. Do tipo. “ahn, ah… humm… eu não sei. Ah… (respira forte)… Bom, eu…”. O Dan faz muito isso. Na cabeça dele devem correr mil coisas ao mesmo tempo na hora em que quer responder. Imagino que ele se cobra muito e imagino também que deva ter sido exaustivamente preparado para dar entrevistas porque dá a entender que está pensando na melhor forma de se expressar. A Emma é bastante segura. Ela chegou usando um casaco sobre um vestido bem bonito (mais do que o usado no Baile de Inverno). Tirou o casaco com uma expressão de enfado. Aí, falei para os meus botões que só faltava a garota virar prima-dona. Mas não é isso. Logo ela entrou no clima. Fala com muita naturalidade. O Rupert quase não abre a boca. Fica olhando as pessoas, sorri bastante. É do tipo discreto. Só que dá a impressão de ser o cara mais perto do nosso mundo. Usou uma camiseta que qualquer um de nós poderia usar – se bem que tem gente que não gosta de verde e… rosa (havia uns detalhes nessa cor). Estava de calça jeans e tênis. Apesar de ser bem discreto, o Rupert faz os comentários mais divertidos. Ele está ali, na dele. Aí perguntam algo e ele responde com simplicidade e graça. “Namorar? Eu estou aprendendo a dirigir. Não estou com tempo de procurar garotas”. As gargalhadas explodem. A Katie é ainda mais discreta do que o Rupert. A voz dela sai bem baixinho, quase como se não quisesse ser ouvida. O Robert é lindo e vaidoso. Não parava de arrumar o cabelo. O Stan tem sotaque de verdade. Não é uma simples parte do roteiro do filme.

Quando eles entraram na sala, deu para perceber como Dan é baixo perto dos colegas de elenco. Não. Ele não é nanico. É só que os outros são maiores. O Robert é bem alto. O Stan, que me pareceu mais alto no filme, não é tão grande assim. Basta conferir fotos. O Rupert está com uma altura normal para a idade. Ele é um ano mais velho do que o Dan. A Emma é mais nova do que o Dan por alguns meses. Enfim, tirem suas conclusões.

A entrevista durou menos de uma hora. Algumas respostas dadas durante a coletiva poderão ser conferidas depois no site da IstoÉ. Também podem checar informações que não entraram na reportagem. Há material que é puro spoiler. Ah, não tirei fotos. Nem pedi autógrafos. Não é o tipo de coisa que se faz num evento desses.

Mais detalhes além destes, só perguntando diretamente para mim.

Obrigada e leiam a reportagem – cinco páginas com o filme, o livro e o game novos e mais uma parte com fãs – que estará na edição que chega às bancas neste final de semana. Há, inclusive, a primeira página de O enigma do Príncipe.

Lena Castellón é jornalista da revista IstoÉ (www.istoe.com.br). Já leu os seis livros (o último em inglês) e viu todos os filmes. Todos mesmo! E é membro do grupo de discussão Hogwarts Express.