A Ordem da Fênix ︎◆ Filmes e peças

Mais uma resenha (positiva)

borda1 - Mais uma resenha (positiva)trio - Mais uma resenha (positiva)
Dessa vez foi a vez do Sunday Mirror dar sua opinião sobre Harry Potter e a Ordem da Fênix. A crítica em si é positiva, embora seja dito que o filme precisa equilibrar melhor a magia com a excitação. Leia um trecho abaixo.

Dessa vez os jovens mágicos fazem uma difícil transição para jovens adultos. Amor, traição, independência e comprometimento têm seus papéis na trama. O filme é uma bela peça de entretenimento – tem mais de duas horas, mas você simplesmente não as vê passar. Maravilhosamente dirigido por David Yates, é um épico enérgico que manterá os fãs de Potter mais contentes enquanto fazem a contagem regressiva para o novo – e último – livro da série.

Para ler a crítica inteira, clique aqui ou aqui.

Thanks, TLC.

Resenha Ordem da Fênix
Sunday Mirror ~ Mark Adams
01 de Julho de 2007
Tradução: Adriana

AS ESTRELAS: Daniel Radcliffe, Rupert Grint, Emma Watson, Imelda Staunton, Helena Bonham Carter, Ralph Fiennes, Robbie Coltrane, Katie Leung.

A HISTÓRIA: No final do verão, Harry Potter (Radcliffe) tem um horrível encontro com dois espectrais dementadores e se vê sendo cobrado pelo Ministro da Magia por uso indevido da magia.

Salvo pela intervenção de Dumbledore (Michael Gambon), ele começa um novo ano letivo em Hogwarts acusado de mentir sobre seu encontro com o cruel Voldemort (Fiennes) e desacreditado por alguns alunos. Com a escola fazendo muito pouco para aprimorar suas habilidades mágicas, Harry, Hermione (Watson) e Rony (Grint) se unem a um seleto grupo de alunos para formar a Armada de Dumbledore e começar a treinar para as batalhas que virão. Com a ameaça de Voldemort cada vez mais próxima, Harry e um grupo rebelde de alunos voam para Londres para uma batalha clímax contra Voldemort e seus capangas em um depósito do Ministério da Magia.

O VEREDITO: Este quinto lançamento da série Harry Potter é um caso deliciosamente sombrio, vibrante com as performances impressionantemente corajosas mas ainda precisa equilibrar melhor a magia com a excitação de tirar o fôlego. Dessa vez, Harry (interpretado com zelo muscular por Daniel Radcliffe) é um adolescente atormentado, com todos aqueles hormônios adolescentes – e mais a briga iminente com o sombrio Lorde Voldemort – que o fazem maldizer os colegas e gritar com os professores.

Note que, além disso, ele se ocupa em um caso festivo muito extendido com Cho Chang (Katie Leung) sob um ramo de visgo que brotou magicamente.

O filme impressiona por seu humor, preocupação com maus presságios, e é até meio pesado em suas emoções e dramas que deixam para trás as infantilidades escolares, brincadeiras e pegadinhas, com o cerne da história centrado em Harry e seu grupo de alunos rebeldes começando a treinar para as batalhas que virão.

A diversão aparece, entretanto, na forma robusta e rosada da nova professora (e palhaça do Ministro da Magia) Dolores Umbridge, que dirige os estudantes com uma varinha de ferro. Belamente interpretada pela aterradora Imelda Staunton, ela exala um charme terrível e determinação férrea e fica bem feliz ao torturar crianças para fazerem o que quer. Para nosso deleite, seu escritório cor-de-rosa tem as paredes cobertas por pratos decorativos, cada um apresentando um gatinho animado que ronrona ou silva conforme ela repreende os alunos.

Harry Potter e a Ordem da Fênix está inundado de intrigas maliciosas, planos e maquinações inteligentes, e entretém constantemente, condensando maravilhosamente o mais longo livro de J.K. Rowling.

Algumas coisas sumiram – não há quadribol, e infelizmente pouca coisa dos maravilhosos professores.

Deve-se dizer que Alan Rickman desenvolve uma verdadeiramente maravilhosa performance como o sombrio e perigoso Snape, e Helena Bonham Carter surge nas cenas finais como a maníaca vilã Bellatrix Lestrange.

Os mais novos são também muito impressionantes. Mas Rony (o sempre bom Rupert Grint) nunca tem muito o que fazer, e enquanto Hermione (Emma Watson) é enérgica como sempre, é Bonnie Wright que, como a irmã de Rony, Gina, faz o mais súbito e memorável impacto… sua hora está chegando.

Estranhamente, a personagem de Cho Chang simplesmente evapora após sua ação labial com Harry, mas não se preocupe muito porque a última meia hora é um pedaço clássico de ação e aventura. Os efeitos especiais estão soberbos, e dessa vez nós realmente temos duelos de magia apropriados, com as varinhas agindo como armas mortais e sangue espirrado enquanto os jovens heróis combatem um grisalho grupo de bruxos malvados.

Tem até um momento Star Wars onde Dumbledore (o Obi-Wan Kenobi dessa versão) batalha varinha-a-varinha com Voldemort (Darth Vader) pela vida e alma de Harry Potter.

Dessa vez os jovens mágicos fazem uma difícil transição para jovens adultos. Amor, traição, independência e comprometimento têm seus papéis na trama. O filme é uma bela peça de entretenimento – tem mais de duas horas, mas você simplesmente não as vê passar.

Maravilhosamente dirigido por David Yates, é um épico enérgico que manterá os fãs de Potter mais contentes enquanto fazem a contagem regressiva para o novo – e último – livro da série.

TOMADA FINAL

MAL humorado e mágico – a Fênix transborda de diversão e ação. Uma delícia sombria e gostosa… um filme que não se deve perder.