J. K. Rowling

JK Rowling homenageada no ‘Mês da História da Mulher’

Potterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling JK Rowling homenageada no 'Mês da História da Mulher'Potterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling JK Rowling homenageada no 'Mês da História da Mulher'
Seguindo com as homenagens do mês de março – período no qual celebramos o dia internacional da Mulher – o site LifeLime vem prestigiando diversas mulheres que se destacam de alguma forma, seja na sua área de atuação, criação ou simplesmente em seu estilo próprio.
E, é claro, a renomada autora da série Harry Potter, JK Rowling, recebeu a condecoração do site na categoria “Mulheres que escrevem”.

Além de ser lembrada por sua enorme capacidade de cativar seus leitores, o texto a descreve e divaga sobre seus méritos como escritora. Também é possível ler uma espécie de curiosidade sobre a forma como seu pseudônimo aparece nos livros, que exemplifica fortemente os tabus por ela quebrados:

Não é necessário olhar muito mais que seu nome para perceber as barreiras que Rowling tem quebrado. Embora sempre tenha se chamado Joanne, ou Jo, sua editora pediu que Rowling usasse duas iniciais ao invés de uma para não revelar seu nome – para que ele não espantasse os jovens garotos que eram o público-alvo de seus livros de Harry Potter.

Você pode conferir a tradução completa da inspiradora descrição clicando em notícia completa.

JK ROWLING
JK Rowling – Mulheres Que Escrevem

LimeLife ~ Liz
22 de fevereiro de 2009
Tradução: Renan Lazzarin

Como milhões ao redor do mundo, me sinto estranhamente íntima de J. K. Rowling. Passei horas e horas de minha vida lendo suas palavras cuidadosamente cunhadas, meses e meses discutindo seu trabalho e ainda mais tempo que isso esperando que seu mundo mágico, maravilhoso e inteligente continuasse. O que JK, cujo nome verdadeiro é Joanne, conseguiu criar com Harry Potter foi fenomenal – para seus fãs, ela mesma, suas crianças necessitadas e escritoras de todo o mundo. Não é nem um pouco surpreendente que estejamos escolhendo JK Rowling como parte do Mês da História das Mulheres na seção Mulheres Que Escrevem.

Não é necessário olhar muito mais que seu nome para perceber as barreiras que Rowling tem quebrado. Embora sempre tenha se chamado Joanne, ou Jo, sua editora pediu que Rowling usasse duas iniciais ao invés de uma para não revelar seu nome – para que ele não espantasse os jovens garotos que eram o público-alvo de seus livros de Harry Potter.

Jo obedeceu, escolhendo as iniciais JK (J de Joanne e K de Kathleen, sua avó), mas não precisava ter se incomodado. Como editores, livrarias, e leitores de toda a Grã-Bretanha e além-mar logo descobriram, Harry Potter se conectou com um público muito maior que apenas jovens garotos.

Com suas histórias sobre um bruxo jovem e órfão e seus dois leais amigos, Rowling abriu caminho para o gênero da fantasia, fazendo dele um lugar ao qual escritoras mulheres pertencem e no qual até as garotas querem duelar. A maré instantânea ocorreu – e não em pequena escala – devido aos fortes personagens femininos que Rowling criou e aos enredos repletos de ação que nunca se afastavam de sua humanidade.

Na essência de todos os livros de Harry Potter está uma escritora que ama sua trama e seus personagens com tal devoção que se dispôs a viver de benefícios estatais para dar vida à sua paixão. Por essa dedicação, ela recebeu uma recompensa. Um bocado substancial. Os livros de Rowling venderam mais de 400 milhões de exemplares e sua riqueza está estimada em US$800 milhões.

Com tais ganhos, Joanne se tornou uma impressionante filantropa, apoiando instituições de caridade como a Comic Relief, One Parent Families e a Sociedade de Esclerose Múltipla da Grã-Bretanha. Quando publicou Os Contos de Beedle, o Bardo (um desdobramento da série Harry Potter) no ano passado, doou todos os royalties para a caridade, mais especificamente a Children’s High Level Group (CHLG), a instituição que Rowling cofundou. A organização faz campanha para proteger e promover o direito das crianças por toda a Europa.

Por entreter grandes e pequenos, e por manter as crianças a salvo e protegidas, lhe agradecemos. E “Expelliarmus, velhos conceitos.” Temos um novo tipo de magia no mundo.