Não categorizado

Harry Potter vira tema de estudos em Universidades

Potterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Harry Potter vira tema de estudos em UniversidadesPotterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Harry Potter vira tema de estudos em Universidades
O sucesso da série Harry Potter é indiscutível. Por conta disso, universidades iniciaram cursos acerca da temática dos livros, chamando a atenção de estudantes ávidos para entender um pouco mais as entrelinhas da história.
Danielle Tumminio faz parte desse grupo. O interesse pela série de livros de J.K. Rowling e o gosto pela literatura e teologia a levaram a ser instrutora do curso de Harry Potter na Yale Divinity School.

Para ler a reportagem na íntegra, clique em Notícia Completa.

Pottermania Vive em Salas de Aula de Universidades
CNN Internacional ~ Patrick Lee
25 de março de 2008
Tradução: Renata Grando

New Haven, Connecticut (CNN) – JK Rowling aposentou Harry Potter, mas o menino bruxo de ficção está vivo em aulas de faculdades pelo país onde livros infantis são adotados como textos literários e acadêmicos.

Usando seus conhecimentos de teologia, literatura infantil, estudos de globalização e até mesmo história da bruxaria, professores têm sido capazes de usar Harry Potter para atrair multidões de estudantes ansiosos para ter um estudo disciplinar dos livros.

Danielle Tumminio, estudante de Yale Divinity School e instrutora do curso de Harry Potter de Yale “Christian Theology and Harry Potter” (Teologia Cristã e Harry Potter), disse que seu passado acadêmico em literatura e teologia, combinado ao seu interesse pessoal nos livros, a inspirou a fazer o curso.

O curso usa todos os sete livros Potter e os estudantes examinam os temas Cristãos como pecado, mal, e ressurreição.

“Foi difícil para mim quando eu coloquei a classe junta, porque eu sabia que se eu não construísse isso muito bem… Que muito do que eu estava fazendo seria perdido ou mal interpretado. Eu certamente não queria parecer alguém tentando doutrinar meus alunos”, disse Tumminio. “Eu também queria deixar claro que era um esforço crítico, e que não estava… Que você ia sentar o dia todo conversando sobre como Luna Lovegood é ótima”.

A aula foi um atrativo imediato para os estudantes. Setenta e nove alunos apareceram na primeira sessão para os 18 lugares abertos.

Embora o curso de Yale seja sua primeira oferta do tema Harry Potter, outras universidades, incluindo Georgetown University, Liberty University, Pepperdine University, Stanford University, Lawrence University, Swarthmore e Kansas State University, também integraram a série em seu currículo.

Os livros de Rowling geralmente são analisados no contexto de outros textos relevantes, como fantasia britânica contemporânea, incluindo C.S. Lewis e J.R.R. Tolkien.

Philip Nel, autor de “J.K. Rowling’s Harry Potter Novels: A Reader’s Guide” e professor de literatura infantil na Kansas State University, começou a ensinar os livros em 2002.

“Injustamente mal-dizem Harry Potter simplesmente por causa da audiência para o qual ele é intencionado. Literatura infantil é literatura infantil, e se as pessoas não concordam com essa definição, é meio difícil ter uma conversa com elas”, Nel disse. “Eles vêem coisas que… São facilmente acessíveis como não sendo sérias e, portanto, não dignas de sério estudo”.

John Granger, autor de “Looking for God in Harry Potter”, defende que literatura infantil é a mais importante porque possui o maior impacto formativo.

“Se você sentar com qualquer um agora, de quase qualquer idade, se eles forem alfabetizados, eles conhecem Harry Potter. Eles conhecem essas histórias”, disse Granger.

Entre os estudantes, há uma considerável diversidade de opiniões sobre como os livros deveriam ser lidos.

Cat Terrell, um estudante do curso de Tumminio em Yale, disse que independente de se os livros são válidos como livros literários, eles ajudaram a enriquecer sua compreensão de outras disciplinas acadêmicas, incluindo teologia.

“Se alguém disser que isso não é digno de uma aula em Yale, eu diria que se nós estivéssemos apenas lendo Harry Potter pelo mérito literário… Eu provavelmente concordaria com eles. (Mas) as lentes dos livros Harry Potter realmente fazem teologia… Mais fácil de entender”, ela disse. “É incrível quantas conexões você pode fazer entre a teologia que nós estamos lendo fora de aula e o Harry Potter que nós conhecemos há 10 anos”.

Edmund Kern, autor de “The Wisdom of Harry Potter” e professor no Lawrence University, foi originalmente atraído aos livros baseado em seu treinamento como um historiador de religião antiga, magia e bruxaria. Para ele, o impacto histórico dos livros, em vez de seu contexto literário, faz uma análise mais intrigante.

“Como um tipo de fenômeno cultural global, Harry Potter em um sentido não têm precedentes. Eu acho que filmes têm sido extremamente populares pelo mundo, acho que músicas têm sido extremamente populares pelo mundo, mas nunca antes um único atrativo literário capturou a atenção de tantas pessoas”, disse Kern.

Érika Slaymaker, uma estudante de Swarthmore, onde outra aula com tema Potter é oferecida, acha que os livros contêm sua maior significância como um fenômeno cultural.

“Eu não estou completamente convencida de que seja um fabuloso conjunto de profunda escrita que mereça estar no cânone Ocidental”, Slaymaker disse. Ela disse que considerou fazer algumas das aulas de Swarthmore, mas acabou indo para um outro seminário do primeiro-ano chamado “Woman and Popular Culture”.

Independente de argumentos acadêmicos, o fenômeno de Harry Potter em geral continua a gerar espanto e maravilha.

Lisa Lowe, professora de American Studies em Yale, leu todos os sete livros, mas como mãe.

“O que (Rowling) realmente está fazendo é criando um modo de cativar uma geração inteira: uma forma de cativar concentração que tomou seu lugar em um período de quase 10 anos”, disse Lowe.