Não categorizado

Fotos do elenco e equipe técnica no photocall de EdP!

borda2 - Fotos do elenco e equipe técnica no photocall de EdP!photocall1 - Fotos do elenco e equipe técnica no photocall de EdP!
O elenco e a equipe técnica do filme Harry Potter e o Enigma do Príncipe compareceu hoje à photocall do longa, realizada no Claridge’s Hotel em Londres. Aos que não conhecem o termo, trata-se de uma sessão fotográfica para a imprensa.
Podemos ver diversas imagens dos veteranos Daniel Radcliffe, Rupert Grint, Emma Watson, Bonnie Wright, Tom Felton e Michael Gambon, algumas dos novatos Jim Broadbent e Jessie Cave, e outras do diretor David Yates e dos produtores David Barron e David Heyman.

Confiram todas em nossa galeria através desse link, cortesia Snitch Seeker!

Além disso, trazemos agora a vocês a tradução de uma entrevista que o Dan concedeu ao LA Times como parte da contagem regressiva do jornal para a sexta película Potter. Confiram o material clicando em notícia completa!

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
Dan Radcliffe fala sobre a vida em Hogwarts e além

Los Angeles Times ~ Geoff Boucher
03 de julho de 2009
Tradução: Thais Teixeira e Juliana Poli

Nossa contagem regressiva para “Harry Potter e o Enigma do Príncipe” continua. Hoje, é a nossa entrevista exclusiva com a estrela da franquia mágica, Daniel Radcliffe, que não está muito pronto para deixar os muros de Hogwarts, mas admite que está começando a olhar em direção à vida além dos muros familiares.

A maioria dos sets de filmagens são fachadas fracas – as paredes geralmente te mexem quando você encosta nelas – mas não a fábrica de aviões em Watford, Inglaterra, que há uma década atrás foi transformada na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts e construída até o fim. O piso e as paredes são pedras de verdade, e ninguém conhece suas rachaduras e ecos melhor que Daniel Radcliffe.

Bem, talvez isso não seja inteiramente verdade. “Eu ainda me perco aqui”, disse Radcliffe enquanto andava por um corredor especialmente escuro. “Eu não poderia te dizer o nome desse set mas eu sei o caminho para todos os sets. Bem, praticamente”.

Radcliffe estava usando um terno preto com uma camisa e uma gravata da cor de um vinho tinto escuro, seu figurino para uma cena de uma festa em “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”. Ele parece menor pessoalmente do que na tela; ele é um compacto de 1.65m mas tem o físico forte de um cavalo de jóquei graças a anos de treinamento como um herói de ação. Pessoalmente, ele tem um sorriso rápido e o mesmo entusiasmo do seu personagem conhecido mundialmente, mas o ator também possui um olhar furtivo, espirituoso e calculista que rapidamente o separa do olhar de cachorrinho do menino mágico que interpreta.

Radcliffe, que completa 20 anos nesse mês, tem vestido as roupas de Hogwarts desde o verão de 2000, quando a autora de “Harry Potter” J.K. Rowling aprovou a escalação dele para o papel. É difícil minimizar o impacto em sua vida na Inglaterra, onde a mania por livros e filmes é ainda mais intensa do que é nos Estados Unidos.
Nos anos posteriores, Radcliffe tem sido chamado de o jovem mais rico do mundo (ele ganhou $25 milhões só no ano passado, de acordo com a Forbes, e assinou um contrato de $43 milhões para mais dois filmes “Potter”) e aos 16 anos de idade ele se tornou a pessoa não-realeza mais jovem a ter um retrato individual colocado no National Portrait Gallery britânco de 153 anos de idade.

“Eu comecei isso quando eu tinha mais ou menos 10 ou 11 anos; é um pouco loucura quando você pensa nisso”, disse Radcliffe com uma expressão serena que sugeriu que ele está acostumado com a balbúrdia. O oitavo e último filme de “Potter” está programado para lançar em 2011 e fechará uma dos mais massivos empreendimentos na história dominante do cinema.

Ninguém invejaria Radcliffe por dar um longo tempo depois, mas ninguém que o conhece realmente esperaria que isso acontecesse. O ator atuou para fortes críticas em Londres e Nova Iorque na peça “Equus” de Peter Shaffer, e os temas pungentes, espirituais e sexuais (juntamente com as cenas de nudez do astro) foram uma declaração enfática de que Radcliffe quer ser mais do que o órfão mágico de Rowling.

“Ele é um jovem extremamente centrado e perspicaz para aprender o máximo que ele conseguir no momento”, disse o diretor de “Enigma do Príncipe” David Yates. “Ele está perseguindo uma carreira que irá carregá-lo para além desse papel e desses filmes. Eu tenho visto poucas pessoas com a idade dele com tanto propósito nelas”.

Dos sets de filmagens em Watford, o Salão Principal e o escritório de Dumbledore são os mais impressionantes de visitar. “Eu tenho pena dos coitados que irão desmontar tudo isso”, diz Radcliffe. “Vai levar anos”.

Radcliffe disse que os cenários de “Potter” têm sido uma segunda casa e uma escola de atuação única. Várias gerações dos melhores atores de cinema e teatro britânicos e irlandeses passaram pela franquia, como Maggie Smith, Alan Rickman, Michael Gambon, Kenneth Branagh, Emma Thompson e o falecido Richard Harris, e Radcliffe tentou aprender alguma coisa com cada um deles.

Perguntado por um exemplo, ele frisou que Richard Griffiths, que interpreta o tio azedo de Harry, foi criado por pais surdos e, sintonizado a expressões não-verbais, aproxima seu trabalho com uma estratégia mais interna que a maioria dos atores. Ele primeiro aprende o que seus personagens estão pensando em cada cena se opondo ao que eles estão dizendo.

Griffiths também aconselhou ao Radcliffe uma vez de nunca deixar a câmera o pegar quando ele não estiver pensando, porque o vazio seria lido em seus olhos; o veterano pronunciou aquele conselho dizendo que isso foi dito a ele por Lee Marvin, que ouviu de Spencer Tracy.

“Apenas pense”, disse Radcliffe, “quantos jovens conseguem acesso a esse tipo de conselho e esse tipo de história?”.

Mas foram Gary Oldman e Imelda Staunton que deixaram as maiores impressões em Radcliffe. “Para mim aqueles são os dois que estão no firmamento”, disse Radcliffe enquanto relaxada entre as gravações. “Todos eles, todo mundo, têm sido brilhantes, mas eles são os dois que significam algo de especial para mim”.

Em “Enigma do Príncipe”, Potter lida bem em ser “o escolhido” e ele se diverte um pouco com isso, especialmente quando seus amigos mais próximos o criticam por estar levando-o muito a sério. O mesmo parece se aplicar ao ator que acena a varinha.

Radcliffe ama ir ao cinema e ao teatro, mas ele só o faz com amigos e somente em noites que não tem o tapete vermelho. “Ele não vai a estreias”, diz um membro de longa data da equipe de produção de “Potter”. “Ele não se expõe à publicidade. Ele coloca um boné de beisebol e vai ao cinema em Londres numa sexta à noite com os amigos”.

Radcliffe é um fã intenso de música e pulou para a oportunidade de conversar sobre alguns de suas bandas favoritas, que no dia da entrevista incluíam o Arctic Monkeys e os Libertines. Ele até toca; Oldman (que uma vez gravou um dueto com David Bowie e que famosamente interpretou Sid Vicious no cinema) ensinou o seu amigo mais novo a tocar baixo. Ele claramente desfruta da energia imprudente da música e, talvez, da ideia de separar ele mesmo de Harry Potter; ele também um pouco de gosta de usar uma linguagem crua e, com uma piscadela, falar sobre o número de mulheres bonitas em Londres.

Os pais de Radcliffe estavam com ele quando o destino o pegou para o papel de Harry. A família estava assistindo a uma peça, “Stones in His Pockets”, quando eles encontraram David Heyman, o produtor de “Potter” que tentou convencer o jovem, que já tinha naquele momento estrelado no filme da BBC “David Copperfield”, a fazer um teste.

A fama não tirou Radcliffe, filho único, de sua família. Seu pai, Alan Radcliffe, não ficou muito longe dele durante a filmagem da cena da festa e depois eles fizeram uma pequena caminhada. Observados à distância, a dupla tem o mesmo passo e o mesmo perfil. Radcliffe deu risada ao ser perguntado sobre isso. “É verdade não é? As pessoas dizem que me pareço com meu pai. Não pareço. Só tenho todos os mesmos trejeitos, se descermos a rua por 30 segundos andaremos lado a lado”.

Sua mãe, Marcia Jeannine Gresham, disse a seu filho que conforme a série Potter ia avançando, ela via mais de seu filho no personagem e vice-versa.

“Ela leu ‘Enigma do Príncipe’ e disse ‘Harry começou a discutir como você discute’”, disse Radcliffe revirando os olhos. “Ele é muito bom com analogias e eu também me utilizo muito da semântica e isso realmente irrita as pessoas até elas sucumbirem. Obviamente, a JK Rowling colocou câmeras na minha casa e sabe que é assim que eu discuto…”.

Radcliffe deu risada, mas então ficou sério.

“Eu gosto de pensar que não fui muito influenciado por ele só por tê-lo interpretado por tanto tempo”, disse Radcliffe. “É maravilhoso ter isso em minha vida, mas é separado da minha vida sabe? É bom ser chamado de Dan. E na verdade eu comecei a corrigir as pessoas agora. Você se sente meio idiota fazendo isso, mas ao mesmo tempo, no final das contas, é melhor para nós. Eu sei que é melhor para mim.”