Filmes e peças

Emma Watson é capa da revista italiana Top Girl

Potterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Emma Watson é capa da revista italiana Top GirlPotterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Emma Watson é capa da revista italiana Top Girl
Capa de diversas revistas nos últimos tempos, a atriz Emma Watson soma mais uma a seu extenso currículo: a italiana Top Girl. Na matéria, feita para promover o lançamento de Despereaux, a intérprete de Hermione divaga sobre a série, a vida pessoal e o futuro.
Centrada, como sempre, mas mais solta que o normal, Watson conversou sobre a pressão midiática exercida sobre ela e comentou com ironia as inúmeras falsas relações que a imprensa inventa para ela:

“Não tenho mais o direito de ter um amigo, sou forçada a ter uma relação com todos os rapazes com quem converso. Uma semana, me fotografam com Daniel (Radcliffe, intérprete de Harry Potter), noutra com um amigo meu (Johnny Borrel, guitarrista dos Razorlight) e todos, exatamente todos, de acordo com a imprensa sensacionalista, são meus amantes. Mas conto com a inteligência de quem lê os jornais.”

No decorrer da entrevista, Emma se indaga se realmente quer seguir a carreira de atriz e menciona que o que manteve seus pés no chão foi continuar indo à escola e a boa relação com seus pais.

Os scans da matéria estão disponíveis neste álbum de nossa galeria, e a tradução na íntegra e com qualidade você confere só aqui no Ish, clicando em notícia completa.

Como nota relacionada, o ator Tom Felton – que encarna o sonserino Draco Malfoy – está de passeio por Majorca, na Espanha, e ajudou a arrecadar fundos para um hospital londrino através de um evento lá organizado. Você pode conferir uma foto sua com dois piratas do espetáculo clicando aqui.

EMMA WATSON
As roupas não se passam com a varinha mágica

Top Girl
Maio de 2009
Tradução: Renan Lazzarin

Aqui está o porquê de Hermione ainda viver com seus pais. Com 19 anos recém-completos, dez dos quais passou nas telonas, a bruxinha de Hogwarts cresceu. Muito embora tenta tenha estado sob os holofotes nos anos mais difíceis, NÃO perdeu a bússola do bom senso, acabando numa clínica de reabilitação (como Lindsay Lohan), NÃO se fotografou sem roupa e depois divulgou as imagens na internet (Vanessa Hudgens e Miley Cyrus), NÃO mudou casa e de namorado a cada noite (Paris Hilton), com o risco de fazer algum filho rápido demais e perder a dignidade e as calcinhas (Britney Spears). Aqui está a radiografia de uma incrível garota. Até quando?

O evento mais mundano do qual participou recentemente foi a semana de moda de Paris e os paparazzi a importunam ao máximo na saída do cinema com os amigos. Como se não bastasse tudo isso, não faltam os rumores de supostos namorados de Emma Watson: “Não tenho mais o direito de ter um amigo, sou forçada a ter uma relação com todos os rapazes com quem converso. Uma semana, me fotografam com Daniel (Radcliffe, intérprete de Harry Potter), noutra com um amigo meu (Johnny Borrel, guitarrista dos Razorlight) e todos, exatamente todos, de acordo com a imprensa sensacionalista, são meus amantes. Mas conto com a inteligência de quem lê os jornais.”

A única história que tem um fundo de verdade, aquela com Joel, um garoto que não trabalha na indústria cinematográfica, já está acabada e Emma Watson se declara solteira: “É bastante difícil encontrar um cavaleiro com a armadura cintilante. E talvez nós, garotas, nem saibamos mais o que queremos. Quando saio com alguém, me comporto como mulher independente, até pago a conta, mas depois me arrependo porque no fundo adoro a cortesia.”

Em 24 de abril, estreia na Itália o desenho “O Corajoso Ratinho Despereaux,” no qual Emma emprestou sua voz a uma princesa. Me encontro com ela em Los Angeles para o lançamento do filme: camiseta azul, saia e um par de sapatilhas.

Da magia de Hermione à princesa do ratinho Despereaux…
Gravei sozinha, numa cabine escura e às vezes era realmente difícil. Em algumas cenas, a princesa é raptada: para dar vida a isso tive de fazer um grande esforço com a imaginação. Não é como no set de Harry Potter; lá posso me divertir de verdade e me prostrar de cabeça erguida em alguma cena de ação. São os momentos de que mais gosto.

Em julho sai “Harry Potter e o Enigma do Príncipe,” o sexto capítulo da saga de JK Rowling. Em fevereiro, você começou a gravar o sétimo filme, que será lançado em duas partes com uma distância de alguns meses. O que você fará depois?
Não sei quando terminaremos as gravações, mas sei que no outono vou estar na universidade, embora ainda não tenha me decidido sobre qual (no Twitter, uma entre tantas redes sociais, foi criado um perfil falso no qual Emma Watson teria anunciado que fora aceita em Yale. A única declaração oficial, de seu pai Chris e de um assistente, é de Friendster e Emma não falou sobre isso).

Você nunca parou de frequentar a escola, apesar de se empenhar por anos com os filmes.
Acho que estaria louca se não voltasse à escola: ela me mantém em contato com a realidade. Cada vez que termino um período de gravações, volto aos amigos e à vida normal. Acho que é isso que me faz ter os pés no chão: a escola e, é óbvio, minha família.

Você disse várias vezes que gostaria de ter aberta outras possibilidades além da carreira de atriz. É difícil escolher o que fazer quando adulta?
Hesitei um pouco mais que Daniel e Rupert (Grint, o ruivo Rony). Eles sempre souberam que queriam atuar. Comigo, foi diferente: tinha nove anos e era uma grande fã dos livros de JK Rowling, quando alguns senhores vieram à minha escola durante uma aula normal de teatro, para fazer um teste. Três semanas depois, recebi uma chamada para uma segunda audição e ganhei o papel.

Tudo isso sem ter uma aula, sem saber se queria ser atriz, me limitando apenas a gravar as falas na memória. Mas o fato de que tenha me acontecido uma coisa tão louca não significa necessariamente que o cinema é o caminho certo para mim. Ou, ao menos, é isso que sempre pensei. Agora me dou conta de que provavelmente é, e que se eu não continuar a ser atriz, devo escolher uma carreira tão absurda quanto. Um trabalho quase normal talvez seja melhor. Poderia fazer pinturas a óleo; gosto muito disso.

Alguém da sua família lhe levou a continuar nesse caminho?
Meus pais são advogados, toda a minha família é composta de estudiosos e ninguém nunca se apaixonou pelo cinema. Quando eu era menor, não víamos filmes em casa, tive que fazer um curso rápido por conta própria e começar a retomar tudo aquilo que tinha perdido. Não sabia quem eram Gary Oldman e Maggie Smith (duas lendas do cinema, que interpretam, respectivamente, Sirius Black e Minerva McGonagall na série de Harry Potter). O trabalho de meus pais, no entanto, tem me ajudado muito: ficam a cargo de cuidar de todos os aspectos econômicos e concretos daquilo que faço e de me aconselhar para o que é melhor.

Essa era uma das coisas que queria lhe perguntar. Recentemente, você fez um curso de administração de negócios. Também foi um conselho deles?
Não, foi uma escolha minha. Era um curso de 4 dias; tinha completado dezoito anos e não sabia o que fazer com meu salário. Não tenho porque gastá-lo, seria muito estúpido; não me serve no momento. Ainda vivo com minha família.

Essa também é uma escolha que lhe diferencia de muitas outras estrelas. Nunca teve o desejo de ter mais liberdade, de viver por conta própria?
Está brincando? Odeio passar roupa, e minha relação com meus pais é ótima. Durante as gravações, contudo, decidi alugar um apartamento para estar mais próxima do set. Passar de frente e do avesso era bastante complicado, sobretudo depois de um jornada de trabalho intensa.

Com que coisas você gosta de gastar o seu salário?
Ainda não comprei nada realmente caro. Falo sério: comprei um carro híbrido, um Prius, quando tirei minha carteira, e um computador portátil. São essas minhas grandes aquisições, embora alguns tenham me levado a sério quando disse que dava mesada a meus irmãos. Bem, queria deixar claro que não era verdade, quem dá mesada a meus irmãos são nossos pais.

Você nunca teve medo de deixar a fama subir à cabeça?
Na verdade, gosto de estar com meus amigos, fazer o que fazem os jovens normais. E, também, nenhum deles tem à disposição tanto dinheiro quanto eu. Então nossas noitadas se baseiam em idas ao cinema, ou jantares em qualquer lugar não muito caro.

Robert Pattinson, o protagonista de “Crepúsculo,” interpretou Cedrico Diggory na série de filmes de Harry Potter. Vocês ainda mantêm contato?
Não, não tenho o seu número, mas quero mandar uma mensagem para ele dizendo que ele está roubando minhas fãs! Têm dito que Crepúsculo será o próximo Harry Potter, e começo a me sentir um pouco desconfortável… Ei, um momento, ainda somos nós!

Você esteve na semana de moda de Paris. Você se sente uma vítima da moda? Como você gosta de se vestir?
Depende se devo ser elegante ou casual, mas gosto de seguir a moda. Quanto aos estilos, adoro os clássicos, como Balenciaga e Chanel, mas se devo estar confortável, prefiro mesclar peças vintage com itens de Gap ou Zara.

Você também sente a necessidade de estar sempre bonita para sair no caso de algum paparazzi lhe encontrar?
Não quero mentir: sinto muito disso. Gosto, mas porque me divirto tentando me expressar com a moda e espero que essa sensação não acabe nunca. Não quero acordar um dia e olhar com ódio meu armário cheio de vestidos!