Não categorizado

Vinte e nove livros

Desde março, o Potterish reserva todo domingo um espaço para que os fãs de Harry Potter entrem em contato com outras obras. As Resenhas são um reflexo do que todos nós vivenciamos após termos lido os sete livros de J.K. Rowling: a vontade de descobrir mais literatura.

[meio-2] Portanto, antes das Resenhas de Natal, vamos fazer uma retrospectiva das obras escolhidas por nossa pequena, mas competente, equipe de seis resenhistas. É possível que os livros reflitam um gosto geral do público de Harry Potter? Leia a extensão e descubra. E claro, deixe sua sugestão!


Foram 29 livros durante nove meses, indicados por seis pessoas fãs de Harry Potter. Olhando nossa caixinha de “tempo”, “restrições” e “finalidade”, constatamos que há um certo padrão nos livros das Resenhas. Por exemplo, a maioria das obras não é indicada para quem “tem dificuldades com pontos de vista alternativos”, 15 das 29.

Já 12 dos livros foram classificados com a finalidade de “pensar”, enquanto o tempo necessário para a leitura mais escolhido foi o de “pouco a pouco em intervalos durante a semana”, 17 vezes. Ou seja, a tendência das nossas Resenhas são livros ousados para sua época, que têm um razoável número de páginas e um tom mais sério.

Outros fenômenos literários também tiveram seu espaço aqui, como a análise de “Crepúsculo” (nosso recorde total de comentários), de “Crônicas de Nárnia” e “Sussurro”. Na categoria best-sellers, Dan Brown e Meg Cabot não poderiam ficar de fora.

Isso não significa que autores mais antigos tenham sido esquecidos. George Orwell foi quem abriu a seção, com seu provocante “1984”. O feminismo de Simone de Beauvoir, o clássico “O Pequeno Príncipe” e o romantismo de Jane Austen também foram lembrados. Sem deixar de lado, claro, “O Hobbit”.

Não muito popular na nossa seção, infelizmente, a literatura brasileira está representada apenas por seis livros nas Resenhas. No entanto, Lygia Fagundes Telles, Érico Veríssimo, Caio Fernando Abreu, Clarice Lispector, Pedro Bandeira e Arnaldo Jabor formam um time de respeito.

Ou seja, se quisermos balancear um pouco mais nossas Resenhas, podemos fazer mais textos sobre autores brasileiros, sem pontos de vista tão alternativos, que façam mais rir, emocionar e ficar na ponta da cadeira do que pensar e possam ser lidos num só fim de semana! Ufa! Porém, o mais importante é saber o que você, leitor do Potterish, deseja.