As Relíquias da Morte ︎◆ As Relíquias da Morte ︎◆ O Enigma do Príncipe ︎◆ O Enigma do Príncipe

Natalia Tena em entrevista ao LA Times

Potterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Natalia Tena em entrevista ao LA TimesPotterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Natalia Tena em entrevista ao LA Times
Em mais uma entrevista, Natália Tena, intérprete da divertida Tonks nas adaptações cinematográficas da série Potter, fala ao Hero Complex, do LA Times, sobre os últimos filmes, baseados no sexto e no sétimo livro de J.k. Rowling.
Como sempre, simpática e sincera, Nat afirma ter achado o roteiro de Harry Potter e as Relíquias da Morte brilhante, e em relação a Enigma do Principe, afirma que “muito foi cortado, e muita coisa foi acrescentada desnecessariamente”.

Ela ainda fala de sua relação com a obra literária e a sensação de ler o derradeiro livro, além do final de sua personagem no mesmo. Segundo a matéria, a atriz começa a filmar Relíquias da Morte em agosto.

Esta bela e divertida entrevista já foi traduzida pela nossa equipe e você confere na extensão!

Natalia Tena
Contagem regressiva para ‘Harry Potter’:
Natalia Tena fala verdades sobre o mullet (penteado de cabelo) de Tonks

Hero Complex – Denise Martin
08 de julho de 2009
Tradução: Dérick Moreira

DM: Qual foi a melhor parte de trabalhar em “Enigma do Príncipe”?
NT: Bem, eu só participei de uma cena e a filmamos no meio da noite. Eu estava fazendo stunts (uma ação acrobática ou perigosa em um filme), o que eu mais gosto. Eles queriam chamar dublês e eu disse: “Não, eu quero pular pelo fogo!” Algumas vezes você se sente meio estúpida. Lembro-me de estar perto do David Thewlis [que interpreta Lupin], isso às 3 horas da madrugada, e falando: “É David, lute com cobras de fogo invisíveis.” É basicamente como dançar sem música. Você se sente meio idiota às vezes, mas é engraçado.

DM: Tonks aparece somente em uma cena – a qual não vou estragar –mas na verdade é uma cena inexistente no livro, certo? Alguma idéia de como ela foi criada? [ Spoilers leves na sua resposta.]
NT: Eu não sei. Acho que eles queriam manter a Tonks no filme de algum jeito. No livro, ela fica deprimida o livro todo até finalmente ficar com Lupin, quando seu cabelo volta a sua cor original. No filme, eles me fizeram parecer bem estranha junto ao Lupin e por isso seu cabelo está um pouco escuro [ao invés do seu rosa favorito] e curto, embora isso não seja explicado. No “Enigma do Príncipe”, muito foi cortado, e na verdade acho que muita coisa foi acrescentada desnecessariamente. Mas não vi o filme ainda, tudo acaba se revolvendo no final.

DM: O Cabelo da Tonks está bem diferente dessa vez.
NT: Eu tinha um mullet (penteado de cabelo ao estilo xororó) amigo! Por muito tempo eu usei um mullet até alguém na rua dizer: “Querida, posso cortar seu cabelo de graça? Porque você está um pouco estranha.”

DM: Você começa a filmar “Relíquias da Morte” mês que vem. O que você pode nos contar sobre o roteiro?

NT: Eu li a primeira parte e é brilhante. Não tinha muita certeza sobre o último filme, mas neste eu fiquei, “é, eles acertaram.” Estou relendo o livro agora. Comecei a ter sonhos insanos novamente. Quando eu começo um filme potteriano, passo a ter esses sonhos. No último que tive estava em uma guerra, o céu estava lotado de vassouras e eu não conseguia encontrar minha varinha. Foi tão intenso. Sempre tenho sonhos malucos e intensos sobre guerras de bruxos quando estou fazendo os filmes.

DM: Você tinha lido os livros antes de ser contratada?
NT: Não, não tinha lido nenhum deles. Meus amigos eram obcecados, mas eu nunca tinha entrado na onda deles, provavelmente pelo fato deles serem obcecados. Eles foram comigo na minha audição para tentar traduzir a linguagem para mim, tipo explicar o que eram os trouxas e a Grifinória. Não fazia idéia do que estava acontecendo. Na terceira audição – já havia feito duas e não estava acertando – o próprio diretor me ajudou. Ele disse: “Vou te dar mais uma chance” – isso nunca acontece, a propósito – “Vou te dar mais uma chance porque acho que você é certa para o papel.” Àquela altura já havia feito minha lição de casa e lido os livros, então entrei e fiz a cena uma vez e ele gritou: “É isso!” E eles filmaram e eu consegui o papel.

DM: O que você acha que fez diferente?
NT: Acho que havia incorporado a Tonks mesmo. Antes eu não fazia idéia do que estava acontecendo. Antes da minha terceira audição, sentei num trailer e assisti a todos os filmes e adorei.

DM: Você se lembra de como se sentiu ao ler o ultimo livro?
NT: Muito intensa. De repente você vê meus pais no livro e a minha mãe supostamente é igualzinha a Bellatrix. Foi intenso. E adoro o fato de Tonks estar grávida. Que ela tenha engravidado no meio de todo esse caos. É como se ela tivesse achado uma ótima idéia se casar e ficar grávida e continuar a lutar.
Eu acabei de reler a parte onde Lupin tenta se juntar a Harry, Rony e Hermione em sua jornada e Harry se zanga com ele porque Harry perdeu seus pais e então ele diz que você nunca deveria fugir de sua esposa e filho. Foi algo muito legal da parte de Harry. Tonks está felicíssima e Lupin está surtando. Pergunto a você: Qual o problema com uma criança lobo estéril que cosegue mudar a cor do cabelo? Seria amável. Ela seria a criança mais legal da escola.

DM: Certo, mas as coisas não terminam muito bem para Tonks.
NT: Assim como muitas pessoas, amo um pouco de sangue e feiúra. Fiquei um pouco triste pela Tonks não ter uma cena de morte no livro! Estava torcendo para que Bellatrix me matasse em pleno ar enquanto eu enfiasse minha varinha nela. Mas aparentemente você só me vê morta. Mas adoro o fato de você poder ver meu filho anos depois.

DM: De volta ao roteiro de “Relíquias da Morte”. O que especificamente fez dele tão bom assim para você?
NT: Gosto do último porque é a hora do julgamento. Você consegue ver o valor de todos. Há um momento no qual Rony parte e eu falei: “Uau, o Rony não está afim de ir até o final com isso por um momento.” Eu também percebi no roteiro que mesmo o Harry sendo importante, são seus amigos os responsáveis por muita coisa. Na verdade, se ele não tivesse esses dois amigos ele definitivamente não estaria ganhando. Ele precisa que todos acreditem. É um conceito muito interessante porque aí você pergunta: bem, será que é trocável? Será que qualquer um poderia ter sido o escolhido?