Livros

Helena Bonham Carter considera Belatriz vulnerável

Potterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Helena Bonham Carter considera Belatriz vulnerávelPotterish :: Harry Potter, o Ickabog, Animais Fantásticos e JK Rowling Helena Bonham Carter considera Belatriz vulnerável

Numa nova entrevista de Helena Bonham Carter para promover o filme “Sweeney Todd”, dessa vez concedida à MTV norte-americana, a atriz falou sobre a vulnerabilidade de seus papéis maus neste filme e em ‘Harry Potter’. Confiram um trecho abaixo:

MTV: Você tem compaixão por Belatriz?
Carter: Por Belatriz? Sim. Todos que tendem a ser maus ou psicóticos, eles tendem a ser danados de um modo muito fundamental. Há uma vulnerabilidade, uma profunda vulnerabilidade, uma ferida.

MTV: As duas estão apaixonadas por esses homens horríveis.
Carter: É verdade, eu não tinha pensado nisso. Homens que não tem tempo pra elas e basicamente abusam delas. Definitivamente um relacionamento abusivo, sim.

MTV: Então Sweeney é o Voldemort da Sra. Lovett.
Carter: É verdade. E isso [ela acaricia a sua barriga grávida] é o pequeno Voldemort. Pequeno Sweeney. [Ela dá risadinhas.]

Cliquem em notícia completa para ler a entrevista na íntegra!

HELENA BONHAM CARTER
Helena Bonham Carter encontra ‘Grande Vulnerabilidade’ em seus papéis maus em ‘Harry Potter’ e ‘Sweeney Todd’

MTV ~ Jennifer Vineyard
18 de dezembro de 2007
Tradução: Raquel Moreno

‘Eu tive muita compaixão e tempo para Sra. Lovett’, a atriz diz de seu papel em ‘Sweeney Todd’.
Por

O que poderia ser melhor do que fazer uma moça louca em um filme do Harry Potter? Talvez fazer uma moça louca cantora em um novo filme dirigido por seu namorado – especialmente se acontece dele ser Tim Burton.

A nova versão do diretor em filme do musical da Broadway de 1979 “Sweeney Todd” é uma festa para os olhos e ouvidos – e um grande show sangrento para Helena Bonham Carter, que aparentemente ficou muito feliz em estrelar junto com Johnny Depp um dos seus musicais favoritos de todos os tempos.

MTV: Você quer fazer a Sra. Lovett desde que você era uma adolescente. Era só por que você queria colocar algum senso nela?
Helena Bonham Carter: [Ela ri.] Sabe do que mais? Eu amei “Sweeney Todd”, definitivamente. Eu amei o musical. Eu amei Stephen Sondheim. Então, sim, quando eu tinha 13, eu acho que eu queria. Eu tive o cabelo igual ao dela. Uma amiga minha costumava me chamar de Sra. Lovett. Esse era meu apelido! Eu era uma criança estranha, eu acho.

Então quando esse papel veio, eu pensei, ‘Ela é um papel incrível. Ela pode ser feita de muitos modos diferentes. ’ Ela foi feita de modo meio subversivo – Quero dizer, Angela Lansbury a fez de um modo especifico – mas ficou realmente legal no palco. Então a oportunidade de fazê-la em um filme, quando você pode fazer muitas outras escolhas, eu pensei que ela podia ser feita um pouco mais inteligente do modo que ela havia sido feita antes. Ela podia. E Tim também, a sua visão total era que ele queria que os dois [Sra. Lovett e Sweeney Todd] fossem novos, pois então haveria um pouco de esperança e romance. Então eu meio que pensei, ‘Bom, eu realmente quero trazer a tona o fato de que ela é uma mulher, e um ser sensual, sexual, e sua ânsia e amor e adoração com esse homem que nem a notava. ’

MTV: O máximo que ela pode esperar em suas fantasias mais selvagens é que ele ponha a mão na sua perna, o que ele faz na música “By the Sea”.
Carter: É, esse é o maior contato físico, como “E.T.”. É isso mesmo. Então, sim, há algo muito pungente sobre ela.

MTV: Sweeney Todd mata aleatoriamente homens inocentes na sua busca por vingança, enquanto ela esconde os corpos em suas tortas de carne e as serve para clientes que não suspeitam de nada. Mas o desejo por vingança de Sweeney talvez não fosse tão sangrento se não fosse pela sua pequena mentira. Você acha que o que ela faz é pior de um modo?

Carter: De um modo ela é mais repreensível, sim. Mas só por que ela o ama tanto. Ela simplesmente não consegue pensar em perdê-lo, e é por isso que ela mente. Ela é basicamente de um pouco mais imoral, ou amoral. Ela não pensa duas vezes quando põem um corpo numa torta. Ao passo que ele, você percebe que ele só está nesse fundo de poço por causa desta tragédia horrível que lhe aconteceu… Mas a vida foi dura com o fundo de poço da Inglaterra Vitoriana. Ela é uma sobrevivente resistente, pragmática, mas realmente cheia de energia e gosto e vida.

MTV: Como você pode preferir Sra. Lovett à outras vilãs que você já fez, assim como, vamos dizer, Belatriz Lestrange de “Harry Potter”?
Carter: É engraçado. É como, a primeira coisa que você pensa quando pega um papel mau pra fazer é que você pára de pensar que ele é mau. Você não pode fazer um papel mau se você pensar que você é mau. Você acha um modo. Quando você estiver incorporado, no ponto de vista deles, você não pode se julgar moralmente. Eu nunca pensei que ela era má. Eu tive muito tempo e compaixão com a Sra. Lovett.

MTV: Você tem compaixão por Belatriz?
Carter: Por Belatriz? Sim. Todos que tendem a serem maus ou psicóticos, eles tendem a ser danados de um modo muito fundamental. Há uma vulnerabilidade, uma profunda vulnerabilidade, uma ferida.

MTV: As duas estão apaixonadas por esses homens horríveis.
Carter: É verdade, eu não tinha pensado nisso. Homens que não tem tempo pra elas e basicamente abusam delas. Definitivamente um relacionamento abusivo, sim.

MTV: Então Sweeney é o Voldemort da Sra. Lovett.
Carter: É verdade. E isso [ela acaricia a sua barriga grávida] é o pequeno Voldemort. Pequeno Sweeney. [Ela dá risadinhas.]