Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

Das páginas para tela: como foram criados os animais de Os Crimes de Grindelwald

O supervisor de efeitos visuais que trabalhou em Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald revelou como são feitas as criaturas do filme em entrevista ao portal norte-americano The Art of VFX.

Nordin Rahhali, da Method Studios, esteve envolvido no filme durante 14 meses. Ele comandou um time de 143 artistas que foram responsáveis pela criação e animação das criaturas de computação gráfica. Eles também fizeram os efeitos especiais da cena em que Newt Scamander doma o Cavalo-do-Lago debaixo d’água, no hospital para criaturas mágicas localizado no porão de sua casa.

Os artistas criaram 18 criaturas diferentes, sendo a maioria delas concepções originais. Entre elas, 12 entraram no corte final do filme, como o Cavalo-do-Lago, o Agoureiro, a Leucrota e os filhotes de Pelúcio. “Confiaram muito no nosso processo de criação do visual e animação. Foi muito satisfatório ajudar a construir parte do folclore de Harry Potter, diz Nordin.

Os animais foram inseridos no filme digitalmente. No entanto, como o elenco precisava interagir com muitos deles, foi necessário utilizar marionetes, que dão à equipe noções de tamanho e de espaço. Em alguns casos, os animais foram representados por dublês. O elenco ensaiava e, em seguida, com a coreografia fresca em mente, os dublês saíam e os atores gravavam as cenas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os filhotes de Pelúcio

Durante a gravação das cenas com os filhotes de Pelúcio, a equipe de Nordin ainda não tinha o visual final das criaturas. Os atores trabalharam com pequenas bolsas de feijão, para terem noção de espaço e saberem para onde olhar. “O Pelúcio adulto é feito com penas lisas, mas a produção queria que os bebês tivessem um toque mais macio, assim como pintinhos têm penugens fofinhas”, conta o supervisor.

Warner Bros. Pictures/Reprodução

O Cavalo-do-Lago

Do ponto de vista técnico, as cenas com o Cavalo-do-Lago foram as mais desafiadoras do filme. Para garantir que a animação desse certo, havia no set cinco manipuladores de marionetes que se moviam em sincronia para dar uma referência física para Eddie Redmayne.
A versão final da criatura utilizada pela Method Studios não é muito diferente do visual desenvolvido pelo departamento de arte do filme. “Nós redesenhamos o rosto porque, quando começamos a fazer o modelo 3D, alguns dos movimentos faciais não pareciam verdadeiros. Levamos em consideração que Eddie [Redmayne] teria que interagir com o animal enquanto estávamos desenvolvendo-o”, diz o supervisor de animação.

O Cavalo-do-Lago é um demônio metamórfico que, depois de atrair cavaleiros para montá-lo, mergulha para o fundo da água e os devora (Foto: Warner Bros. Pictures/Reprodução)

Algumas cenas foram filmadas debaixo d’água. Para isso, Eddie usou um respirador e foi filmado em cima de um boneco com rédeas. “Estávamos, de certa maneira, trabalhando às cegas para decidir onde ele devia colocar as mãos e como ele devia interagir com o boneco. Precisávamos de um modelo de computação gráfica que fosse flexível para que parecesse verdadeiro o que o Eddie estava fazendo com o boneco”, explica.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Method Studios também foi responsável por Animais Fantásticos e Onde Habitam e outros sucessos como Guardiões da Galáxia Vol. 2 e o remake de Robocop.