A Câmara Secreta ︎◆ A Pedra Filosofal ︎◆ Eventos no Brasil ︎◆ O Prisioneiro de Azkaban

“Teria que me esconder se estragasse Harry Potter”, diz Chris Columbus na CCXP

Por Pedro Martins e Rodrigo Cavalheiro

Primeiro diretor de Harry Potter, Chris Columbus é o homenageado da quinta edição da Comic-Con Experience (CCXP). Na cerimônia de abertura da feira, em São Paulo, ele relembrou sucessos de sua carreira, como Esqueceram de Mim e Os Goonies. Harry Potter, entretanto, foi o centro da atenção do diretor e dos fãs à sua frente.

Entre as cinco cenas favoritas dos filmes de Columbus, escolhidas em enquete pelo público da CCXP, Harry Potter marcou presença duas vezes. Em segundo lugar, está a cena em que Dobby conhece Harry Potter. Em primeiro, está a cena em que a casa dos Dursley é invadida por cartas de Hogwarts. “Esta tem um lugar especial no meu coração. Ela foi filmada com três câmeras, e foi a única vez que pude operar uma das câmeras”, contou o diretor ao reassistir às cenas rodeado por fãs.

Após o painel de quinta-feira, Columbus participou de uma sessão de autógrafos surpresa e gratuita. Ele assinou pôsteres de Harry Potter e a Pedra Filosofal e de Os Goonies. A sessão aconteceu de novo na sexta-feira, também anunciada de modo surpresa.

Autógrafos grátis (Foto: Nuara Costa/Potterish)

Vira-Tempo

O entusiasmo de Chris Columbus com o Mundo Bruxo de J. K. Rowling foi determinante para sua contratação. Ele insistiu em ser o último entrevistado de uma lista com mais de 25 diretores cotados para o projeto, que incluía Steven Spielberg e Mike Newell, o futuro diretor de O Cálice de Fogo. Grande fã dos livros, sua filha o apresentou à série. Quando foi contratado, ele já estava envolvido com os personagens e suas jornadas.

“Mesmo depois de conseguir o trabalho, havia uma última coisa que eu precisava fazer: voar até a Escócia e me encontrar com J. K. Rowling”, relembra o diretor, que estava aterrorizado de perder o trabalho ao conversar com a autora. A reunião durou duas horas e, ao fim, Rowling disse: “Eu imagino o filme exatamente da mesma maneira que você.”

Apesar da aprovação da autora, a pressão não diminuiu. “Eu sabia que o mundo estaria prestando atenção em mim. Se eu estragasse Harry Potter, provavelmente teria que me esconder na Rússia ou em algum outro lugar distante”, relembra.

Não foi o que aconteceu. Dias após a estreia de A Pedra Filosofal, Columbus já estava dirigindo A Câmara Secreta. Ao estabelecer os principais elementos da identidade visual de franquia, que se tornaria a terceira mais rentável de todos os tempos, Columbus fez história no cinema.

Chris Columbus dirigindo Daniel Radcliffe (Harry Potter) e Rupert Grint (Rony Weasley) em A Pedra Filosofal (Foto: Warner Bros. Pictures/Reprodução)

Devido ao cansaço, ele não conseguiu dirigir O Prisioneiro de Azkaban, mas continuou como produtor até que, em O Cálice de Fogo, precisou se afastar. Um dos motivos foi o cronograma apertado, principalmente porque precisavam correr contra a puberdade dos atores. Somado a isso, depois de alguns anos na Inglaterra seus filhos queriam voltar para os Estados Unidos, o que pesou na decisão. “Eu sempre tive vontade de voltar e dirigir talvez o sétimo, mas depois de tanto tempo ninguém queria voltar para a Inglaterra”, revela.

“Eu sempre tive vontade de voltar e dirigir o sétimo filme.”
– Chris Columbus

As Crônicas de Natal

Seu trabalho mais recente é As Crônicas de Natal, da Netflix, em que Columbus foi produtor. Comparando-o a projetos anteriores, ele destaca a influência de Harry Potter. “Eu queria que o sentimento de chegar ao Polo Norte fosse igual ao de entrar em Hogwarts pela primeira vez”, disse sobre a história em que dois irmãos precisam salvar o Natal após derrubarem o trenó de Papai Noel.

Harry Potter na Comic-Con Experience

Além de Chris Columbus, a CCXP conta com a participação de Eduardo Lima, designer gráfico brasileiro que trabalhou em Harry Potter e Animais Fantásticos, e com uma loja do Mundo Bruxo em cuja entrada há uma réplica oficial da cabana de Hagrid e do hipogrifo Bicuço.

A ativação tem direção criativa e supervisão de Alan Gilmore, que trabalhou nos filmes e nos parques temáticos da franquia (Foto: CCXP/I Hate Flash)

A CCXP acontece até domingo (9). Ingressos ainda estão disponíveis na bilheteria do evento, com preços a partir de R$ 180.