Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald ︎◆ Livros

Depois de estrear nos cinemas, Os Crimes de Grindelwald chega às livrarias

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald está nos cinemas e nas livrarias. Escrito por J. K. Rowling, o roteiro do filme chegou às prateleiras em um livro com projeto gráfico sofisticado da dupla de designers Eduardo Lima e Miraphora Mina, do estúdio MinaLima, que também trabalham nos filmes.

Os designers tiveram plena liberdade criativa ao trabalhar no livro-roteiro. “Trabalhamos com Harry Potter há 18 anos. Fomos nós que criamos a linguagem gráfica do Mundo Bruxo, então a editora simplesmente confiou em nós – assim como [o diretor] David Yates e a própria Jo fazem”, diz Eduardo em entrevista ao POTTERISH durante a Comic-Con Experience (CCXP).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Eduardo Lima e Miraphora Mina trabalharam em todos os filmes do Mundo Bruxo (Foto: MinaLima/Divulgação)

A capa mais bonita de todas

O trabalho surpreendeu J. K. Rowling. Eduardo conta que recebeu uma cópia do de Animais Fantásticos e Onde Habitam, autografada pela roteirista, cuja dedicatória dizia: “Esta é a capa mais bonita de todos os meus livros.”


A tradução é dos roteiros é de Anna Vicentini, que também traduziu Harry Potter e a Criança Amaldiçoada (Imagens: Editora Rocco/Divulgação)

“Esta é a capa mais bonita de todos os meus livros.”
– J. K. Rowling

Eduardo e Mira criaram uma arte de capa que, apesar de ser repleta de referências do filme, não revela spoilers. Só depois de assistir ao filme é possível desvendar os segredos escondidos.

Ilustrações: MinaLima/Editora Rocco
Ilustrações: MinaLima/Editora Rocco

Prazo

Esconder os spoilers na arte das capas pode ser custoso, mas a maior dificuldade de trabalhar com os livros-roteiro é o prazo, que varia de dois a três meses. Para diagramar o texto, é preciso esperar o término da edição do filme, processo em que diversas cenas são alteradas, refilmadas ou cortadas. Além da capa, os livros têm dezenas de ilustrações – 25 para o primeiro livro, 32 para o segundo –, e os designers precisam criá-las antes de receber o texto final.

Prazo também assusta editoras ao redor do mundo. Assim que o livro é publicado em inglês, elas correm contra o tempo para lançar versões traduzidas sem perder o embalo do filme. A Editora Rocco conseguiu publicar a edição em português em 1º de dezembro, 15 dias após a estreia do filme.

Foto: Debra Hurford Brown/Divulgação

Escrevendo um roteiro

Embora tenha acompanhado a produção dos roteiros de Harry Potter, o primeiro que J. K. Rowling escreveu foi o de Animais Fantásticos e Onde Habitam (2016). “Apesar de ter uma imaginação extremamente visual, eu tive que aprender que muita coisa pode ser dita em cena sem usar uma única palavra”, contou à imprensa em 2016.

Para a autora, outra grande diferença entre escrever romances e roteiros é a natureza colaborativa do processo e, consequentemente, a pressão. “Quando eu visito os sets de filmagem e vejo mais de mil pessoas trabalhando em Animais Fantásticos, pensamentos aterrorizantes passam pela minha cabeça. Eu não posso quebrar um braço, porque o trabalho dessas pessoas depende de eu terminar de escrever o roteiro”, recorda. “Mas se eu não tivesse gostado do processo, não teria continuado. Estou amando”, disse Rowling, que já está terminou de escrever o roteiro do terceiro filme da franquia de cinco volumes.

Colaboraram (arte): Éric Rosa e Isabelle Imay

Leia também:
+ “Teria que me esconder se estragasse Harry Potter, diz Chris Columbus na CCXP