Personagens

A importância da maternidade em Harry Potter

A escrita de J.K. Rowling foi profundamente transformada pelo falecimento da mãe, que nunca soube da existência de Harry Potter. A ausência da pessoa mais importante de sua vida presenteou o Mundo Bruxo com inúmeras figuras maternas que, cada qual à sua maneira, foram essenciais para o triunfo de Harry. Neste dia das mães, o Potterish relembra e homenageia essas grandes mulheres. Leia a seguir!

Por Vinícius Bonafé

Lílian Potter

Na noite de 31 de outubro de 1981, Lílian Potter manifestou seu impulso protetor sem hesitar quando se estendeu diante do filho, olhou no fundo dos olhos do Lorde das Trevas e foi atingida pela Maldição na Morte. A pedido de Snape, Voldemort deu à Lílian a chance de se afastar de Harry, que era seu verdadeiro alvo. No entanto, quando ela se recusou, acabou criando para o menino uma proteção indestrutível, proveniente de uma antiga magia que combinava amor e sacrifício.

“– Ninguém sabe por que você perdeu seus poderes ao me atacar – disse Harry abruptamente. – Nem mesmo eu sei. Mas sei por que você não pôde me matar. Foi porque minha mãe morreu para me salvar. Minha mãe trouxa e comum – acrescentou, sacudindo-se de raiva reprimida. – Ela impediu você de me matar…”
– Harry Potter e a Câmara Secreta

Lilian Evans morre pelo filho Harry Potter.

Molly Weasley

O instinto materno de Molly se sobressai logo que o leitor a conhece, quando ela carinhosamente ensina a Harry como chegar na Plataforma 9 ¾. Naquele momento, ela o enxerga como um de seus meninos e, a partir de então, tenta encaixá-lo de qualquer maneira sob sua asa, cumprindo o papel que Lílian fora impedida de desempenhar. Posteriormente, ela faz o mesmo com Hermione.

Molly é marcada pela preocupação excessiva. Ela tem até um relógio mágico que mede o nível de perigo em que cada Weasley está. No entanto, seus nuances surpreende a todos quando a Segunda Guerra Bruxa se aproxima. Em As Relíquias da Morte, a mulher por trás de feitiços domésticos tão bem executados mostra-se, também, capaz de deter Belatriz Lestrange, braço direito de Lorde Voldemort, em um duelo memorável.

“– Que vai acontecer com seus filhos depois que eu matar você? – provocou Belatriz, tão desvairada como o seu senhor, saltando para evitar os feitiços de Molly que dançavam ao seu redor. – Quando a mamãe for pelo mesmo caminho que o Fredinho?
– Você… nunca… mais… tocará… em… nossos… filhos! – gritou a Sra. Weasley.”
– Harry Potter e as Relíquias da Morte

Molly mata Belatriz em Harry Potter 7

Narcisa Malfoy

Narcisa Malfoy prova que o amor materno não está ligado ao bem ou ao mal. Ele é único. Enquanto todos se preparavam para a grande batalha entre Harry e Voldemort, o único objetivo de Narcisa era manter seu filho em segurança. Quando Draco é designado pelo Lorde das Trevas para assassinar Dumbledore, Narcisa faz o possível para que ele obtenha sucesso e, sobretudo, saia ileso. Mais tarde, ela ousa trair Voldemort, confirmando a morte de Harry, mesmo o garoto estando vivo, por ele ter lhe contado que Draco também estava. Em seguida, completamente alheia ao que acontecia ao redor, ela e o marido adentram Hogwarts em busca do filho. Naquele momento, nada mais importava.

Narcisa duela junto ao seu filho em Harry Potter

Embora Lílian, Molly e Narcisa tenham sido as mães mais marcantes da série Harry Potter, outras figuras maternas estarão sempre presentes no coração do leitor. Petúnia Dursley, por exemplo, que embora odiosa só tinha olhos para Duda, e Ninfadora Tonks, cujo futuro junto ao filho lhe foi tirado pela Batalha de Hogwarts, são grandes exemplos da força e da coragem características da maternidade.

Veja também:

+ Lílian Evans: muito mais do que mãe e paixão platônica

+ Potterish no Youtube: Machismo no Mundo Bruxo

+ Qual heroína de Harry Potter é você?