Entrevistas ︎◆ Entrevistas ︎◆ JK Rowling ︎◆ Série Cormoran Strike ︎◆ Strike

“Nunca escrevi um livro com intenção de filmá-lo”, diz J.K. Rowling sobre Cormoran Strike

Mesmo antes do pseudônimo de J.K. Rowling ter sido revelado, a BBC já tinha interesse em adaptar O Chamado do Cuco para televisão. No último domingo (25), Vocação Para o Mal, terceiro temporada da série Strike, estreou na rede britânica. Em entrevista à emissora, Rowling explicou os desafios da adaptação de Cormoran Strike e os bastidores de Robert Galbraith.

“Foi uma forma de me desconectar de toda a bagagem que carrego sendo eu mesma. Mas recebemos uma ligação da BBC e eles queriam adaptá-lo antes de saber que era eu”, relembra Rowling, cujo segredo durou apenas três meses. “Nunca escrevi um romance com a intenção de filmá-lo”, diz, embora (quase) todos seus livros tenham sido adaptados para o cinema ou para a televisão. “Você está abrindo mão do controle, então é melhor você realmente confiar nas pessoas com quem está trabalhando. Esse é o ponto crucial para mim.”

Tom Burke e Holliday Grainger, que interpretam o detetive Cormoran Strike e sua parceira Robin Ellacott, receberam elogios ambos de crítica e de público. “Ele é um ator fantástico e pegou toda a fisicalidade do personagem. Strike é um amputado, então às vezes é difícil para ele se locomover”, diz a autora. “Eu não interagi muito com Jo Rowling antes das gravações, mas seus comentários me deram confiança”, disse Grainger em entrevista ao Potterish.

Em O Chamado do Cuco, a dupla investiga a morte de Lula Landry, uma modelo cujas circunstâncias de óbito levaram a polícia acreditar em suicídio. Seu irmão, no entanto, contrata Strike para provar o contrário. “Eu queria que seu primeiro caso tivesse grande repercussão”, explica Rowling.

O segundo volume, O Bicho-da-Seda leva o detetive à indústria editorial. Quando o escritor Owen Quine desaparece, sua esposa contrata Strike para trazê-lo de volta, acreditando que o marido tenha abandonado-a para chamar atenção. No decorrer da investigação, porém, Strike descobre que o desaparecimento trata-se de uma iniciativa de silenciá-lo por ter escrito um livro venenoso sobre todos autores e editores que conhecia.

“Vocação Para o Mal é muito diferente, pois vemos três histórias que se entrelaçam com a do próprio Strike”, Rowling explica. No terceiro volume da série, Robin recebe uma perna decepada pelo correio. Strike percebe que se trata de uma ameaça e os dois adentram a investigação dos fantasmas de seu passado que seriam capazes de tamanha brutalidade.

Ainda sem previsão de publicação, Lethal White, o quarto livro, deve ser o maior da série. No Twitter, Rowling explicou seu processo de escrita: “Eu planejo bastante. Para este romance em particular, o planejamento inclui uma vasta e complicada tabela de cores que mostra todos os suspeitos, com azul para pistas verdadeiras e vermelho para pistas falsas.”

Exibida apenas no Reino Unido, Strike teve uma média de oito milhões de espectadores por episódio, de acordo com o BARB, órgão que mensura audiência no país. Tratam-se de números expressivos; a título de comparação, a primeira temporada de Sherlock teve números similares em sua temporada de estreia.

O segundo e último episódio de Vocação Para o Mal será exibido no próximo domingo (4), às 21 horas (Horário do Reino Unido), na BBC One. A série chegará aos Estados Unidos em junho de 2018 no canal Cinemax, da HBO. No Brasil, ainda não há previsão de estreia.

Assista à nossa entrevista com Tom Burke e Holliday Grainger:

Colaboraram: Aline Michel, Beatriz Franco, Caroline Dorigon, Letsa e Pedro Martins.