Animais Fantásticos ︎◆ Listas

Animais Fantásticos | As inspirações mitológicas de J.K. Rowling

Além de instigar o imaginário infantil, mitos e lendas inspiram narrativas contemporâneas, como as de Rick Riordan, autor de Percy Jackson, e as de J.K. Rowling, autora de Harry Potter. Das 78 criaturas apresentadas no livro-texto Animais Fantásticos e Onde Habitam, 27 foram inspiradas em figuras mitológicas e folclóricas. Algumas delas, a exemplo dos dragões e dos centauros, foram descritas exatamente como retratadas na mitologia. Outras, no entanto, receberam da autora uma texturização mágica inédita. Leia a seguir!

Animais diferentes de seus correspondentes na mitologia

ACROMÂNTULA: Acredita-se que as acromântulas, aranhas monstruosas dotadas de fala humana, tenham sido inspiradas nas história de Aracne, uma jovem transformada em aranha após provocar a deusa Atena em um duelo de bordados, no qual teria representado todas as paixões desastrosas de Zeus, pai da deusa da sabedoria.

Acromântula: uma aranha gigantesca.

BASILISCO: O naturalista romano Plínio Segundo definiu o basilisco como um animal extremamente venenoso, de olhar fatal e aparência semelhante a de um galo. De acordo com Newt Scamander, o basilisco, gerado a partir de um ovo de galinha chocado por um sapo, é uma uma cobra verde-vivo gigante. Embora a aparência seja diferente, uma característica, porém, se manteve na criatura criada por J.K. Rowling: os olhos amarelos desse monstro são capazes de matar quem os encara.

Uma cobra gigante com olhos amarelos.

DUENDE: Os duendes, que resguardam Gringotes, são criaturas super inteligentes. Na mitologia irlandesa, no entanto, tratam-se de anões que atentam os humanos. No mundo trouxa, a expressão duende é utilizada erroneamente para designar criaturas semelhantes, como goblins, elfos e gnomos. Eles também são constantemente confundidos com seus primos, os leprechauns.

Pequenas criaturas com grandes narizes e orelhas pontudas.

ELFO DOMÉSTICO: Os elfos domésticos foram inspirados nos Brownies, parentes dos duendes e dos goblins que trabalham, apenas no período da noite, em troca de mimos e de comida. Os Brownies, porém, não pertencem a determinadas famílias, como em Harry Potter, e são descritos com cabelos castanhos encaracolados.

Pequenas criaturas com grandes olhos e orelhas pontudas.

FADA: As fadas são representadas de inúmeras maneiras ao redor do mundo. Elas já foram definidas como seres pequeninos, simpáticos e bonzinhos, mas também como criaturas malévolas e perturbadoras. O magizoólogo Newt Scamander, por sua vez, descreve-as como animais decorativos e de pouca inteligência.

FADA MORDENTE: As fadas mordentes foram inspiradas nas mesmas criaturas místicas que as fadas. J.K. Rowling, no entanto, criou para as mordentes uma aparência exótica: uma pele coberta de pelos, dois pares de pernas e braços e fileiras duplas de dentes afiados e venenosos.

GNOMO: No Mundo Bruxo, gnomos são pragas de jardim com cabeças desproporcionalmente grandes e duras e pés ossudos. Na mitologia, estão relacionados ao elemento terra e cuidam da natureza.

QUIMERA: O magizoólogo Newt Scamander descreve as quimeras como monstros com cabeça de leão, corpo de bode e rabo de dragão. Na mitologia grega, por sua vez, elas são caracterizadas simplesmente como híbridas de duas ou mais espécies de animais, além de soltarem fogo pelas narinas.

SEREIANOS: Os sereianos são a variação bruxa do que o mundo trouxa conhece como sereias, criaturas charmosas que utilizam o canto para atrair, distrair e naufragar marinheiros. No Mundo Bruxo, contudo, as sereias são apenas versões primitivas dos sereianos, com aparências não tão agradáveis.

Criaturas aquáticas com pele amarelada.

TRASGOS: Os trasgos são personagens do folclore português. Pequenos, levados, e sempre trajando vermelho, podem ser comparados ao saci-pererê, do folclore brasileiro. Em Harry Potter, contudo, eles são descritos como gigantes e cruéis, apesar da pouca inteligência.

Gigantes acinzentados.

UNICÓRNIO: Na mitologia, os unicórnios são cavalos (geralmente brancos) com um único chifre em espiral. Dóceis e sensíveis, eles são símbolos da pureza. Em Harry Potter, embora a aparência seja a mesma, seu chifre, sangue e pelo têm propriedades extraordinariamente mágicas, usadas tanto na confecção de varinhas como nas Artes das Trevas.

Cavalos

Ilustração de Olivia Lomenech Gill para Animais Fantásticos e Onde Habitam.

VAMPIRO: Os vampiros são criaturas das quais se têm notícia desde antes da pré-história. Eles foram popularizados pelo romance Drácula, de Bram Stoker, que estabeleceu os vampiros como seres elegantes e galanteadores. No Mundo Bruxo, porém, eles são feios, desastrados e não particularmente perigosos.

Robert Pattinson como o vampiro da saga Crepúsculo

+ Leia também: Entrevista com a ilustradora de Animais Fantásticos, Olivia Lomenech Gill

Animais iguais aos seus correspondentes na mitologia

CAVALO ALADO: Os cavalos alados do Mundo Bruxo foram inspirados pelos pégasos da mitologia grega. Há quatro espécies de cavalos presentes em Animais Fantásticos e Onde Habitam: as raças Etoniana, Graniana, Testrália, que conduz as carruagens de Hogwarts, e Abraxana, que conduzem as de Beauxbatons.

Cavalos alados de aparência esquelética.

CAVALO-DO-LAGO: Newt Scamander definiu o cavalo-do-lago como um demônio aquático metamórfico. Depois de atrair os cavaleiros para montá-lo, o animal mergulha para o fundo da água e os devora. A maior criatura de sua espécie, segundo o magizoólogo, encontra-se no Lago Ness, tratando-se do famoso monstro.

CÃO DE TRÊS CABEÇAS (FOFO): O Cérbero, como é chamado o cão de três cabeças na mitologia grega, é o guardião do reino dos mortos, responsável pela entrada e saída das almas. Em Harry Potter, a criatura foi utilizada para proteger o alçapão que guardava a Pedra Filosofal.

Grande cachorro preto com três cabeças.

CENTAURO: Com o tronco de um ser humano e os membros inferiores de um cavalo, os centauros são animais racionais, orgulhosos e munidos de muita força física. Também são criaturas muito leais ao seu bando. Em Hogwarts, eles possuem uma colônia e habitam a Floresta Proibida.

Criaturas metade homem metade cavalo.

DRAGÃO: Os dragões foram trazidos a Harry Potter do mesmo modo como são representados na mitologia mundial. Ainda assim, Rowling criou dez espécies diferentes deste animal. Quatro delas – o meteoro-chinês, o verde-galês, o focinho curto-sueco e o perigoso rabo-córneo húngaro – protagonizaram a primeira tarefa do Torneio Tribruxo, em O Cálice de Fogo.

Grandes criaturas que soltam fogo pela boca.

ESFINGE: Com corpo de leão e cabeça humana, as esfinges são inteligentes, algumas vezes perversas, e grandes criadoras de enigmas. Decifra-me ou devoro-te! Harry encontrou com uma delas no labirinto que compunha a terceira tarefa do Torneio Tribruxo.

Criatura com corpo de leão e cabeça de mulher.

Ilustração de Olivia Lomenech Gill para Animais Fantásticos e Onde Habitam.

FÊNIX: Tanto na mitologia grega quanto em Harry Potter, as fênix são pássaros que se desenvolvem até o momento da morte, quando se incineram e renascem das próprias cinzas, simbolizando a imortalidade e o renascimento espiritual.

Pássaro vermelho com propriedades mágicas.

GRIFO: Tanto na mitologia grega quanto no Mundo Bruxo, os grifos possuem corpo de leão, cabeça e asas de águia. Em Harry Potter, eles são muito bons em guardar tesouros.

GRINDYLOW: Os grindylows do Mundo Bruxo são demônios aquáticos de chifres e pele verde-clara, agressivos com bruxos e trouxas, mas domesticados pelos sereianos. Os do folclore surgiram no interior da Inglaterra para manter crianças longe de piscinas, pântanos e lagoas, que temiam serem agarradas e levadas para longe.

Pequenas criaturas aquáticas.

HIPOCAMPO: O hipocampo, assim como o grifo, é um ser híbrido proveniente da mitologia. Com corpo de cavalo e cauda de peixe, ele conduz a carruagem do deus Netuno. No Mundo Bruxo, os ovos do hipocampo são grandes e parcialmente transparentes.

HIPOGRIFO: Os hipogrifos são descritos como a fusão entre uma águia e um cavalo. No Mundo Bruxo, tais seres podem ser domesticados por profissionais.

Criaturas híbridas entre cavalos e águias.

IETI: Também conhecido como abominável homem das neves, o ieti, de acordo com Newt Scamander, é parecido com o trasgo e coberto de pelos. Apesar de ter medo do fogo, ele devora qualquer coisa que apareça em sua frente.

LEPRECHAUNS: Mais inteligentes do que uma fada e menos maliciosos do que um diabinho, um diabrete ou uma fada mordente, os leprechauns de J.K. Rowling são travessos. Seus correspondentes no folclore da Irlanda, contudo, são sérios e responsáveis, comumente relacionados ao pote de ouro no fim do arco-íris.

Fogos de artifício em forma de um homenzinho

LOBISOMEM: De acordo com Newt Scamander, humanos se tornam lobisomens quando são mordidos por outro lobisomem. Uma vez por mês, durante a lua cheia, o bruxo ou trouxa afetado se transforma em uma fera sanguinária. Ao redor do mundo existem inúmeras versões desta lenda. No Brasil, por exemplo, diz-se que o sétimo ou o oitavo filho de uma ordem do mesmo sexo se transforma em lobisomem.

Homem que se transforma em lobo na lua cheia

PÁSSARO-TROVÃO: O passáro-trovão é o símbolo de uma das casas de Ilvermorny, a escola de bruxaria dos Estados Unidos. Inspirado na águia que é símbolo da América do Norte, trata-se de uma ave com asas envoltas em relâmpagos, capaz de controlar o clima e gerar tempestades. Os nativo-americanos acreditavam que o pássaro estava ligado às forças da natureza e o enxergavam como símbolo de vida.

Grande pássaro mágico alado.

Colaboraram: Gabriela Benevides, Pedro Martins e Renato Augusto Ritto.