Aniversários ︎◆ Artigos

Lílian Evans: muito mais do que mãe e paixão platônica

Lílian Evans desempenhou papel vital na salvação do mundo bruxo ao se sacrificar pelo filho, Harry Potter, e ser o grande motivo por trás das boas ações de Severo Snape. Sua morte prematura, porém, faz com que ela seja lembrada apenas por esses dois fatores. É preciso compreender que a vida dela não começou (e terminou) naquela fatídica noite em Godric’s Hollow.

Nascida em uma família trouxa, Lílian se surpreendeu ao descobrir que tinha poderes mágicos. Em Hogwarts, encantou a todos com sua gentileza e inteligência. Mais do que a mãe de Harry, esposa de Tiago e amor não correspondido de Snape, Lílian era uma mulher fenomenal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante sua vida breve, Lílian comprovou a decisão do Chapéu Seletor de colocá-la na Grifinória. Incrivelmente corajosa, ela escolheu fazer o certo em vez do fácil quando Voldemort estava no ápice do poder. Juntou-se à Ordem da Fênix, desafiando-o pessoalmente mais de uma vez, e teve bravura o bastante para se casar com quem amava e tentar construir uma família em meio a um dos piores momentos da história bruxa.

A coragem dela existe desde os tempos de Hogwarts. Quando xingada de sangue-ruim por seu melhor amigo, Severo Snape, Lílian manteve-se de cabeça erguida. Tiago, à época o garoto mais popular de Hogwarts, arrogante e imaturo, também não foi poupado dos sermões da garota.

Gentil, mas nada submissa, Lílian não hesitava em se afastar de situações negativas. Ao longo de rápidas aparições nos livros, a personagem demonstrou muitas facetas. Ela apresentava uma das virtudes mais valorizadas pelo próprio Prof. Dumbledore: a coragem não apenas para enfrentar inimigos, mas também para questionar grandes amigos.

“– Não preciso da ajuda de uma sangue-ruim imunda como ela!
– Peça desculpa a Evans! – berrou Tiago para Snape, apontando-lhe a varinha ameaçadoramente.
– Não quero que você o obrigue a se desculpar – gritou Lílian, voltando-se contra Tiago. – Você é tão ruim quanto ele.
– Quê? Eu NUNCA chamaria você de… você sabe o quê!
– Despenteando os cabelos só porque acha que é legal parecer que acabou de desmontar da vassoura, se exibindo com esse pomo idiota, andando pelos corredores e azarando qualquer um que o aborreça só porque é capaz… até surpreende que a sua vassoura consiga sair do chão com o peso dessa cabeça cheia de titica. Você me dá NÁUSEAS.”

Harry Potter e a Ordem da Fênix

(Ilustração: Milton Rafael Castro/POTTERISH)

O ativismo e os valores morais de Líliam, somado ao talento que tinha, eram a combinação perfeita para a Ordem da Fênix. Suas virtudes eram tamanhas que impressionaram até o mais influente bruxo anti-trouxas do mundo, que tentou recrutá-la para seu grupo de Comensais da Morte. Seus princípios, no entanto, foram fortes o bastante para negar o Lorde das Trevas no momento em que ele se encontrava mais forte.

Lílian também sofreu com a irmã, Petúnia. Seus poderes, que ela sequer tinha controle, criaram um abismo entre as duas que nunca foi superado. Isso, porém, não a tornou uma bruxa amarga e cruel, como Severo Snape; pelo contrário: Lílian tinha o coração aberto para ajudar a todos.

“Ela tinha o dom de ver a beleza nos outros, mesmo, e talvez principalmente, quando a pessoa não conseguia enxergar isso em si mesma.”
– Remo Lupin em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Embora sua morte tenha sido um ato de puro amor e sacrifício, Lílian merece crédito por outros motivos. Ela foi uma bruxa extraordinária, cuja bravura se estendeu para grandes ideais morais e políticos. Ignorar isso seria um insulto à sua memória.

Leia também: