Animais Fantásticos e Onde Habitam

“Eu perdi a confiança em mim mesma”, diz Alison Sudol em relato sobre abuso sexual

Alison Sudol, intérprete de Queenie Goldstein na nova franquia de J.K. Rowling, Animais Fantásticos e Onde Habitam, fez ontem, 16, uma transmissão ao vivo em seu Instagram denunciando abusos sexuais que sofreu no início de sua carreira.

A atriz, que também é cantora e compositora, explicou que nunca quis falar sobre o caso publicamente, mas, movida pelas denúncias a Harvey Weinstein, criou coragem para compartilhar sua história, por achar que poderia ajudar outras pessoas que passaram por situações semelhantes.


Abalada, no vídeo Alison conta que, no fim da adolescência, conheceu um produtor disposto a ajudá-la com sua música. Imediatamente animada e agradecida pelo apoio de alguém estabelecido na indústria, os dois começaram a trabalhar juntos. No entanto, em determinado momento, o produtor não nomeado passou a deixá-la desconfortável ao demostrar segundas intenções. Embora o comportamento dele ficasse explicitamente mais sexual e frequente, a atriz relata que tentava esquecer o desconforto, pois não conseguia se afastar devido ao laço emocional que havia criado com o trabalho que estavam desenvolvendo. Era também um momento em que ela não estava conversando com o pai e, portanto, era reconfortante ter alguém mais velho, uma figura de autoridade, defendendo-a e apoiando-a.

Eu dizia tantos “nãos” para ele. Não. Não. Não. O tempo todo. Mas era estranho o quão pouco efeito esses “nãos” tinham.

Quando chegou o momento em que o produtor abusou sexualmente dela, Alison relembra ter sentido que sua vida nunca mais seria a mesma e que sua inocência havia sido tomada. Emocionada, a atriz conta como se identificou com os relatos do caso de Harvey, ao ver que as mulheres que o denunciaram também sentiam parcela de culpa pelos ocorridos.

“Eu não quero ser uma vítima. Eu não me vejo como uma vítima.”

Quando seu segundo produtor musical, ainda mais poderoso, também se comportou de forma abusiva no ambiente de trabalho, Alison pôs a se questionar se havia algo de errado nela que atraía homens com tal intenção. Em um nível grave de depressão, a atriz conta que descontava seus sentimentos na comida, para, de alguma forma, mudar seu corpo, no qual ela não confiava mais.

Durante o relato, a atriz ficou indignada com alguns comentários dos espectadores, chamando-a de “muito sexy” e até mesmo pedindo que ela ficasse nua.

Por fim, Alison alertou que uma forma de identificar comportamento abusivo é analisar o sentimento que ele cria na vítima. “Se você não se sente bem com isso, então não está certo”, explica. Ao fim da transmissão, emocionada, a atriz convidou todas as mulheres que sofreram abusos a levantarem suas vozes. “Vocês não estão sozinhas. Nós temos que nos juntar como mulheres. Nós temos que mudar o sistema.”