Seção Granger

Seção Granger: “Inverno Negro”, por Stefano Sant’Anna

Na última Seção Granger de outubro, Kaio Rodrigues assume a edição da coluna e escreve sobre “Inverno Negro”, livro de estreia do brasileiro Stefano Sant’Anna, publicado pela editora Empíreo.

“”Uma recomendação infanto-juvenil a todos os que buscam uma história simples e pontual, que cumpre bem a proposta primária de imergir o leitor em um universo fantástico.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para ler a resenha crítica na íntegra, acesse a extensão deste post.

“Inverno Negro”, de Stefano Sant’Anna
Resenha crítica por Kaio Rodrigues

Leonan Albuquerque vive no interior do Rio de Janeiro. Com problemas com a mãe e dificuldade de socialização, o garoto de 16 anos leva a vida mais sem graça do mundo, piorada por esporádicas crises de epilepsia que fazem dele a chacota da escola. Isso muda, porém, com a visita de um guerreiro que revela que todo seu passado é uma mentira. Levado a outro planeta, Leonan se descobre herdeiro do reino de Starlândia, cujo rei está desaparecido e as temíveis farpas do Inverno Negro avançam.

Caçado por inimigos cada vez mais potentes, nosso herói descobre ajuda nos irmãos Meydym: Pittsonn e Samyra lhe oferecem o apoio necessário para dominar o poder do éter e salvar sua família, antes que o inverno destrua todo o universo.

Escrito pelo brasileiro Stefano Sant’Anna, “Inverno Negro” segue rigorosamente a obviedade da Jornada do Herói: tirado de sua zona de conforto e lançado em uma situação completamente adversa, o protagonista precisa superar limites para, só então, enfrentar seus adversários.

A mitologia é muito bem articulada e traz certo frescor à trama. “Inverno Negro” cresce com personagens fortes, mas perde espaço na falta de identidade narrativa. Para os próximos volumes da série, é possível que o autor desenvolva mais diálogos e narrativa.

A escrita é despretensiosa, e a leitura, fácil. O crescimento da trama vem à medida que novos personagens e criaturas surgem, nos mostrando um universo inovador, mas que não perde referências clássicas da Fantasia. Uma recomendação infanto-juvenil a todos os que buscam uma história simples e pontual, que cumpre bem a proposta primária de imergir o leitor em um universo fantástico. Sem expectativas muito grandiosas, pegue seu casaquinho e venha você também dar uma olhada no “Inverno Negro”.

348 páginas, editora Empíreo, publicado em 2016.

Kaio Rodrigues é estudante de Letras da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, colunista do Potterish e editor da Seção Granger.