Animais Fantásticos e Onde Habitam

Pottermore entrevista o No-Maj Dan Fogler

As novidades sobre “Animais Fantásticos e Onde Habitam” não param.

O Pottermore divulgou na 3a feira uma entrevista com o ator Dan Fogler, que interpreta o No-Maj Jacob Kowalski no filme. Na conversa o ator fala sobre sua carreira e a chance de trabalhar no mundo bruxo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Se o universo de Harry Potter chama, você não hesita. Se você tem uma oportunidade de fazer parte dele, você embarca, segura e fica pelo tempo que conseguir”

A entrevista completa foi traduzida pela nossa equipe e você pode conferir na extensão da notícia

Dirigido por David Yates e produzido por David Heyman, “Animais Fantástiscos e Onde Habitam marca a estréia de J.K. Rowling como roteirista e estréia nos cinemas brasileiros em 17 de novembro de 2016.

Entrevista de Animais Fantásticos: residente No-Maj Dan Fogler
Pottermore – 18 de outubro de 2016

Traduzido por Caroline Dorigon
Revisado por Aline Michel

No-Maj Jacob entra na maleta de Newt

No-Maj Jacob entra na maleta de Newt

Comediante, cantor e ator de “Animais Fantásticos’, Dan Fogler fala com o Correspondente do Pottermore sobre sua carreira, a chance de trabalhar no mundo bruxo e seu figurino feita em casa que ele vestiu em seu teste.

“Se o universo de Harry Potter chama, você não hesita,” diz Dan Fogler, com seu sotaque rouco do Brooklyn que é sua marca registrada. “Se você tem uma oportunidade de fazer parte dele, você embarca, segura e fica pelo tempo que conseguir.”

O ator, que interpreta o No-Maj Jacob Kawalski em “Animais Fantásticos e Onde Habitam” de J.K. Rowling, achou que não teria chance quando foi para a audição para o papel.

No-Maj Jacob e Magizóologo Newt Scamander

No-Maj Jacob e Magizóologo Newt Scamander

“Fiz um figurino simples, feito do que eu achei que Jacob vestiria. Sabe, suspensórios e luvas sem dedos e um chapéu de jornaleiro remendado…” – Dan ri com entusiasmo ao lembrar – “Eu estava muito cabeludo e desgrenhado. Então, eu entrei e me senti muito bem em relação ao teste. Viajei ao Reino Unido e fiz o teste de vídeo, mas então meu agente me disse, “bem, eles verão um monte de gente”. Sabe, “fica para a próxima campeão, não se preocupe com isso!” Ouvi algumas pessoas fazendo testes (para o papel do Jacob), então parei de pensar nisso”.

Imagina a cena: Julho de 2015 e Dan estava na Comic-Con de São Diego vendendo seus próprios quadrinhos saguão lotado. Carregando enormes caixas com seu trabalho pela grande multidão, a última coisa em que ele estava pensando era em “Animais Fantásticos”.

“Eu me senti muito para baixo, em uma multidão de pessoas fantasiadas me puxando. Eu estava seguindo meu caminho contra a corrente como um salmão sozinho”, ele diz.

Foi quando seu telefone tocou.

“Eu atendi e eles, tipo, ‘Hey, você conseguiu o papel.” Foi incrível. Foi uma mudança na minha vida bem naquele momento. Um raio. Foi simplesmente inacreditável, como se tudo o que aconteceu antes foi um sonho”.

(Esquerda para a direta), Diretor David Yates e atores Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Alison Sudol, Dan Fogler, Colin Farrell e Ezra Miller.

(Esquerda para a direta), Diretor David Yates e atores Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Alison Sudol, Dan Fogler, Colin Farrell e Ezra Miller.

A Comic-Com de 2016 foi um pouco diferente para Dan. Desta vez ele foi de um painel de discussão para uma sessão de autógrafos e para uma Q&A ao vivo no Facebook com Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Alison Sudol, Colin Farrell e Ezra Miller. Ele assistiu um novo trailer de “Animais Fantásticos” ir ao ar pela primeira vez em frente de milhares de fãs gritando. Ele encontrou-se bem no meio do fandom de um dos maiores filmes do ano.

Dan construiu sua carreira na comédia, na música e no terror cult, atuando ao lado de atores como Christopher Walken, Jennifer Aniston, Jessica Alba e Aaron Eckhart. Ele ganhou um Tony Award em 2005 por seu desempenho no musical da Broadway “The 25th Annual Putnam County Speeling Bee”; ele é a metade da banda de rock cômico 2nd Rate e dublador de trabalhos como “Kung Fu Panda” e “American Dad”.

“Sabe o que é interessante em relação à minha carreira”? diz ele. “Tem sido uma ascensão devagar com longos períodos de estabilidade. Tive tempo para provar a fama, mas eu definitivamente me direciono para ser o tipo de ator que fica feliz por conseguir andar pela rua e ir até a loja da esquina e não ser incomodado. Não sei como vai ser quando o filme sair. Tudo que sei é que tentarei ser eu mesmo. Provavelmente irei apenas juntar-me à minha família e assar algo”.

Newt e Jacob

Newt e Jacob

Dan Fogler ama a história de como ele se tornou Jacob Kowalski. Quem, diga-se de passagem, não era exatamente como Dan havia imaginado no dia de sua audição. De fato, A figurinista ganhadora de um Oscar, Colleen Atwood tinha outras ideias para as roupas de seu personagem.

“Ah, não é nada como eu havia imaginado”, disse Dan. “Vim vestido de jornaleiro – era o que eu tinha. Mas o que Colleen montou era muito próximo ao terno de [Charlie] Chaplin, com coletes e camadas. Havia botões de diferentes cores e algumas bordas coloridas. Imaginei que era seu único terno; um terno emprestado que na verdade não servia direito, mas era tudo o que Jacob tinha. Fantasias como essas alimentam seu personagem com muita informação”.

Queen Goldstein e Jacob Kowalski visitam o bar "The Blind Pig"

Queen Goldstein e Jacob Kowalski visitam o bar “The Blind Pig”

Seu terno tipo Chaplin disse muito sobre Jacob a Dan: ele vivia em uma das eras favoritas de Dan – os anos 20; morava no Lower East Side de Nova York; era um homem comum que foi levado a um lindo caos que acontece quando mágica está presente. Neste ponto, Dan e Jacob não são tão diferentes.

“Foi realmente delicioso”, disse Dan sobre trabalhar em um filme de fantasia. “Eu estava rodeado por pessoas talentosas, incríveis e de alto nível e foi simplesmente um prazer ir ao trabalho todo dia apenas para ver o que todos faziam. Em cada cena havia um pouco de magia real.

“Com atuação, você tem essa força na tela do cinema e isso pode atingir uma pessoa – ou muitas pessoas – na plateia e isso as move. Isso é magia. Não sei como descrever de outra forma. É magia”.