Correspondente do Pottermore ︎◆ Entrevistas ︎◆ Katherine Waterston

Katherine Waterston e os passos de dança secretos de Tina Goldstein

Em uma nova entrevista da série realizada para promover “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, a Correspondente do Pottermore entrevistou a atriz Katherine Waterston, que interpreta Porpetina Goldstein, uma funcionária do MACUSA que encontra Newt durante sua passagem por Nova Iorque.

Na entrevista, a atriz foi questionada sobre os personagens de J.K. Rowling e surpreendida pela revelação de seus passos de dança secretos nos estúdios de gravação. Ela também aproveitou a oportunidade para falar mais sobre Tina, sua personagem e anseios.

A entrevista completa, já traduzida pela equipe, pode ser lida clicando em notícia completa.

“Animais Fantásticos e Onde Habitam” marca o retorno ao Mundo Bruxo de J.K. Rowling e também é o primeiro roteiro da autora. Estrelando Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Alison Sudol e Dan Fogler, o filme chega aos cinemas brasileiros em 17 de novembro de 2016.

As entrevistas de Animais Fantásticos: a dançarina secreta Katherine Waterston

A Correspondente do Pottermore
Traduzido por Juliana Boller
Revisado por Rodrigo Cavalheiro

Quinta-feira, 27 de outubro de 2016
FANTASTIC BEASTS AND WHERE TO FIND THEM

Katherine Waterston interpreta Tina Goldstein em Animais Fantásticos e Onde Habitam. Aqui, conversa com a Correspondente do Pottermore sobre os passos de dança secretos de Tina, e sobre o que gosta nos personagens de J.K. Rowling.
Katherine me recebe no topo do conjunto de três degraus estreitos que levam ao seu trailer. Ainda está vestida com o figurino, com as calças confortáveis e a blusa de pijama de Tina Goldstein. “A ideia é que preciso correr para fora de casa, direto da cama”, ela diz, sobre a cena que acabou de filmar.

Há uma maleta aberta no sofá, roteiros no chão, um único saquinho de chá deixado sobre o balcão da cozinha. É precisamente a suave desordem que esperaríamos ver no refúgio de um ator no set de filmagens.

Newt e Tina com as varinhas em punho

O rosto sereno de Katherine está minimamente maquiado e seu corte de cabelo marrom escuro parece ter uns tufos para os lados. Como sua personagem, sua aparência sugere um certo pragmatismo, bondade e seriedade.

Na verdade, a coisa mais adorável que vi durante o tempo que passei no set foi Katherine preparando-se para uma filmar uma cena intensa com Eddie Redmayne. Logo antes de ir para a frente das câmeras, ela tem um ritual para entrar na personagem: ela dança alguns passos de Charleston.

Caso não saiba, Charleston é uma dança dos anos 20, composta de alegres movimentos de pernas e braços, para frente e para trás, voltando sempre ao mesmo lugar. A dança evoca aqueles tempos lindamente.

gettyimages-3366997_masterDançarinas demonstrando passos de Charleston, por volta de 1926

“Ah, sim”, ela diz, rindo generosamente quando menciono o que a vi fazer no outro dia no set de filmagens. “Aquilo…”

Um momento se passa enquanto Katherine decide o quanto deve me dizer.

“É fundamental ter um ritual assim, pois em cada dia no set acontecem coisas inesperadas. Há muita informação a ser processada e muitas distrações, e somos contratados para manter o foco no meio de todo aquele caos”, ela diz.

“Ás vezes vem naturalmente; em outros dias é preciso sentir-se mais enraizado ao personagem ou à performance. Então em todo trabalho faço algo que me conecte ao espírito do personagem. Não deve sobrepujar o clima, apenas me fazer sentir como parte dela. É uma expressão física da vida interior dela”.

FANTASTIC BEASTS AND WHERE TO FIND THEMTina, Queenie, Newt e Jacob na mesa de jantar.

É sempre Charleston, pergunto, ou isso é especial para Tina Goldstein?

“Nossa, não, o Charleston é só para a Tina. Ela não tem muita diversão na vida. No filme ela se diverte, mas ela é bem solitária e isolada na vida e luta contra um autoquestionamento. Gosto da ideia de que ela tem essa dancinha dentro dela, esperando para sair, ela tem esse espírito em si”.

Desde que leu o roteiro, Katherine passou muito tempo colocando-se no sensível lugar de sua personagem. Quando conhecemos Tina no filme, ela perdeu o emprego de auror e está como que em um impasse em sua vida, a mulher de carreira sem carreira. Está vivendo com sua irmã, Queenie, em Nova Iorque. É ambiciosa, dedicada, forte e frágil ao mesmo tempo. É um ser humano profundo e complexo.

FANTASTIC BEASTS AND WHERE TO FIND THEMTina Goldstein com um panfleto dos segundos salemianos.

“Isso é o incrível sobre os personagens de J.K. Rowling”, Katherine me diz. “Sempre tem algo a mais sobre eles do que nós esperamos. A Tina não é só tímida e desajeitada, ela também tem muita coragem e convicção. Essas qualidades estão todas em uma pessoa, e isso me parece mais verdadeiro em relação ao que são os seres humanos, com base na minha experiência. Somos todos uma bagunça misturada”.

“O roteiro é inteligente, nesse sentido. É baseado na realidade. Normalmente, não respondo tão bem a coisas amáveis e inocentes. Eu penso ‘Vamos lá, fala sério’. Mas tem alguma coisa nesse roteiro e no modo como J.K. Rowling escreve…. É sensível sem nunca ser sentimental demais. Gosto de pensar que tem uma pessoa bem alegre dentro da Tina, mas que ela ainda não descobriu ainda como mostrá-la para o mundo. Sua vida não foi assim. Ela não tem tempo para isso, ainda não sabe como botar isso pra fora – está ocupada demais focando em seus sonhos para aproveitar a vida”.

Seria isso algo com que a Katherine se identifica? O quanto de Katherine há em Tina?

“Isso é algo com o que me identifico”, ela diz, pensativa. “Estava muito focada no meu trabalho, na casa dos vinte anos. Eu não saía tanto me divertindo por aí. Tem um pouco disso na Tina também. Ela sabe o que quer fazer e como chegar lá, mas não se diverte muito”.

FANTASTIC BEASTS AND WHERE TO FIND THEMTina e Newt visitam O Porco Cego (tradução livre), um bar clandestino

E é isso que os passos de Charleston significam: aquele vestígio de impetuosidade contida. Tanto Katherine como Tina são jovens mulheres decididas. São introspectivas, gentis e intensamente boas no que fazem. Mas há uma dançarina clandestina dentro das duas.

“Gosto de pensar que de vez em quando a Tina se enfia em algum lugar onde ninguém a conheça e arrasa na pista de dança por uns dez minutos e então diz ‘Ok, já foi o suficiente’ e vai dormir. E isso é sua válvula de escape. Ela está totalmente livre e logo depois ‘Ok, tenho que voltar ao trabalho’. Veremos se algum dia isso transparecerá”.

E eu gosto de pensar que a Katherine faz exatamente a mesma coisa, também. Gosto de pensar que é uma atriz meticulosa e minuciosa, que sai e manda ver em alguma pista de dança de tempos em tempos, entre as cenas.