Seção Granger

Seção Granger: “O ano em que disse sim”, de Shonda Rhimes

Aline Lima, publicitária e assessora de imprensa do Potterish, vem à Seção Granger deste domingo, 14, falar do primeiro livro de Shonda Rhimes, a criadora das séries “Grey’s Anatomy” e “Scandal” e produtora de “How to get away with murder”.

“Com uma narrativa divertida e repleta de referências às séries produzidas em seu escritório, o livro é, acima de tudo, uma conversa franca, com indicações, conselhos e até mesmo lições. Além das histórias cômicas e irreverentes, os ótimos discursos que ela se propôs a fazer nesse período também fazem parte do enredo, inclusive o da homenagem que recebeu como uma das mulheres mais poderosas de Hollywood.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para ler a resenha crítica na íntegra, acesse a extensão do post.

“O ano em que disse sim”, de Shonda Rhimes
Resenha crítica por Aline Lima

Conhecida por seu talento em criar histórias arrebatadoras, Shonda Rhimes carrega em seu currículo as séries de sucesso “Greys’s Anatomy”, “Scandal” e “How to get away with murder”. Em “O ano em que disse sim”, seu primeiro livro, a norte-americana de 46 anos mostra o seu lado esmagadoramente sincero, uma pessoa comum, que apesar de dar vida a inúmeros personagens marcantes, passa pelos mesmos dramas angustiantes: tímida, muitas vezes preguiçosa e, o mais importante de tudo, humana.

Autora, produtora e mãe de três filhas, ela nos mostra que a correria do seu dia a dia e a sua personalidade não a deixam aproveitar todos os convites que a vida lhe dá. Desde os que ela realmente queria aceitar, como encontros familiares e cuidar melhor da própria saúde, até aos mais complicados, como participar de talk shows e discursos em público.

O início de sua grande mudança e projeto que deu nome ao livro veio de sua irmã: “você nunca diz sim para nada!”. Com essa frase, dita durante uma conversa na ceia do dia de ação de graças, Rhimes notou que chegara o momento de dar uma reviravolta em sua vida dizendo vários “sim”.

A partir dessa decisão, Rhimes narra as dificuldades de aceitar tudo o que não era confortável, a apavorava, que evitava há anos ou que não queria enxergar. Mas, sobretudo, ela diz sim para si mesma, para ser feliz, se amar e brilhar!

Com uma narrativa divertida e repleta de referências às séries produzidas em seu escritório, o livro é, acima de tudo, uma conversa franca, com indicações, conselhos e até mesmo lições. Além das histórias cômicas e irreverentes, os ótimos discursos que ela se propôs a fazer nesse período também fazem parte do enredo, inclusive o da homenagem que recebeu como uma das mulheres mais poderosas de Hollywood.

Apesar de seu título soar como um clichê motivacional, “O ano em que eu disse sim” é um livro verdadeiro, íntimo e pode ser indicado a qualquer tipo de pessoa. Por mais que sejamos diferentes um dos outros, Shonda tem o dom de colocar sabedoria em forma de palavras.

254 páginas, Editora Record (Best Seller), publicado em 2016.
Título original: “Year of yes”.
Tradução: Mariana Kohnert.

Aline Lima é formada em Publicidade e Propaganda e colaboradora de diversas áreas no Potterish.