Animais Fantásticos e Onde Habitam

Katherine Waterston fala sobre sua audição para “Animais Fantásticos”

A revista Entertainment Weekly, em promoção à sua edição anual de de outono (primavera, no Brasil) sobre os futuros lançamentos cinematográficos, que chegou às bancas estadunidenses hoje, 12, trouxe mais uma prévia online: a audição da atriz Katherine Waterston para Tina Goldstein.

A atriz falou sobre o processo de seleção para o filme, e quando perguntada sobre como ela ficou sabendo do projeto, Katherine respondeu:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Do jeito normal em que as grandes coisas aparecem, por email. Você lê quem está envolvido, o que é e pensa “esse é um email legal, mas não vou conseguir esse trabalho que paga muito mais do que estou acostumada, não vai acontecer”. A vantagem de fazer algo assim é que você fica calmo, pois está convencida de que não tem como te escolherem. Então naquela audição, eu achei que não podia piorar. O diretor de elenco tinha comido muito bolo, e ele disse “Me desculpe, eu acabei de comer muito bolo”, e então ele teve uma indigestão durante minha audição não parecia estar prestando atenção. Eu pensei “Nossa, eu estou deixando ele entediado”.

O restante da notícia já foi traduzido pela nossa equipe e pode ser lido clicando em notícia completa.

“Animais Fantásticos e Onde Habitam” marca a estreia de J.K. Rowling como roteirista e chega os cinemas brasileiros em 3D e IMAX em 17 de novembro deste ano.

Katherine Waterston, estrela de Animais Fantásticos, pensou que tinha detonado sua audição

Por James Hibberd

Traduzido por Rodrigo Cavalheiro em 12/08/2016

ENTERTAINMENT WEEKLY: Como Animais Fantásticos entrou na sua vida?

KATHERINE WATERSTON: Do jeito normal que as grandes coisas aparecem, que é por email. Você lê quem está envolvido e o que é e você pensa “esse é um email legal, mas eu não vou conseguir esse trabalho que paga muito mais do que estou acostumada e não vai acontecer”. A vantagem de fazer algo assim é que você fica calmo porque você está convencida de que não tem como te escolherem. Então naquela audição, eu achei que não podia piorar.

EW: O que aconteceu?

KW: O diretor de elenco tinha comido muito bolo, e ele disse “Me desculpe, eu acabei de comer muito bolo”, e então ele teve uma indigestão durante minha audição, e ele não parecia estar prestando atenção. Eu pensei “Nossa, eu estou deixando ele entediado”. Eu fiquei muito surpresa de ouvir que eles queriam que eu fizesse um teste, e isso é um horror porque nessa parte você já está ligada ao projeto e você imagina e pensa sobre o personagem e porque você é a única pessoa que pode interpretá-la por causa dos motivos que você imaginou. Você começa a querer fazer as cenas.

EW: O que te deixou mais animada sobre o filme?

KW: É uma coisa radical de entrar, esse legado de Harry Potter. Mas tudo se resume ao roteiro, como qualquer outro trabalho. Isso é interessante? Isso é surpreendente? Esses personagens são fascinantes? E então ganância é sempre um elemento quando você lê um roteiro: Eu amo essa personagem de verdade? Não há um motivo ou razão para o que é interessante para algum ator. Apenas é ou não é. É meio como namorar. Ou você se conecta com alguém ou não. Não dá pra dizer o motivo. Eu apenas amei Tina e senti uma conexão com ela.

EW: Qual foi a coisa mais surpreendente sobre entrar nesse mundo que já foi estabelecido?

KW: É quase como quando você está num time de futebol ou algo parecido. Você tem fãs e eles acreditam em você, mas você ainda tem que ganhar o jogo. Tem gente com altas expectativas sobre o que estamos fazendo. Eu tenho que não pensar nisso para ser livre e me divertir todos os dias e não sentir que eu tenho a obrigação de acertar. Você quer estar relaxado. Você tem que aceitar que seu personagem vai ser comparado com Hermione. Você está preparada para isso? Não é algo que eu penso sobre. Então acho que não! Ela era maravilhosa.

EW: Você tem um animal preferido?

Eu tenho um preferido, mas eu acho que preciso ver como todas as cenas ficaram. Uma das coisas mais cativantes foi assistir [Eddie Redmayne] interagir com os animais. É tão lindo vê-lo. Ele imaginou todas as diferenças de interagir com todos os animais diferentes. Pode ser o preferido do mês, mas agora eu estou derretida pelo Picket [um Tronquilho].

EW: Assim como Eddie, você pode escolher sua varinha também.

KW: Tão maravilhoso. Geralmente, nos filmes, você se acostuma a ouvir “você vai vestir isso, vai segurar isso e se lembre do quão sortuda você é por estar aqui, então fique quieta”. E isso foi tipo: “O que você acha? Qual é a varinha da Tina?”, e eu fiquei tipo “Meu Deus”. Existe toda essa importância com as varinhas no mundo de Harry Potter sobre elas te escolhem, então foi ótimo fazer parte disso. Que varinha escolheria Tina? E então havia todas essas varinhas diferentes, e elas me contavam histórias diferentes. Se uma varinha toda ornamentada te escolhesse, isso faz você achar que vai ter um futuro incrível? Você vai se tornar uma bruxa importante? Ou se for uma varinha básica, isso te faz pensar, “oh, eu não vou fazer nada grandioso?”. Foi uma parte muito divertida. Naquele momento, eu estava tão imersa que era óbvio qual varinha seria a certa para mim. Mas eu pedi para que ela fosse mais pesada. Ela não tinha um sentimento de poder o bastante.

EW: O que fez dessa a escolhida?

KW: Eu não posso te contar porque eu a escolhi porque eu revelaria como é minha varinha, e eu não tenho certeza. E se eu explicar, eu vou falar demais sobre minha personagem. Posso te contar depois?