Animais Fantásticos e Onde Habitam ︎◆ Artigos do Pottermore ︎◆ Filmes e peças

POTTERMORE: Na cola de David Yates e sua equipe

O Correspondente do Pottermore sempre nos traz textos maravilhosos relacionados às novidades do Mundo Mágico de J.K. Rowling. Desta vez, ele foi aos sets de “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, observou e relatou bem descritivamente como é o trabalho de David Yates e seus Assistentes de Direção.

“Basicamente, é trabalho deles deixar que David Yates faça o seu próprio trabalho. Eles são os subchefe do chefe; os primeiros marinheiros do seu capitão; os vários Watsons do seu Sherlock Holmes. Eles se certificam de que tudo ocorra com perfeição para que ele possa se focar em conseguir a tomada perfeita, extraindo o melhor desempenho de seus atores e costurando o filme como uma bela tapeçaria de cenas. Ele não pode fazer isso e gritar as instruções de forma correta ao mesmo tempo, pode?”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para ler o texto na íntegra, acesse a extensão do post.

Leia também: Primeira foto de Harry, Gina e Alvo Potter em “Cursed Child” é revelada

O guia de produção do Correspondente do Pottermore: na cola de David Yates e sua equipe
O Correspondente do Pottermore – 31/05/2016

Traduzido por: Rodrigo Cavalheiro em 31/05/2016.
Revisado por: Pedro Martins em 31/05/2016.

É muito mais complicado do que simplesmente gritar “Ação!” e “Corta!”

Na verdade, David Yates nem grita verbos para o seu elenco e para a sua equipe. Geralmente, é o seu primeiro Assistente de Direção (AD) que o faz – neste caso, um jovem rapaz onipresente chamado Josh Robertson. Josh e os outros “ADs” gritam bastante e pedem muito por silêncio. Controlar o volume é uma das suas principais tarefas. E quando você pensa que uma tosse fora de hora pode arruinar uma cena e custar milhares para ser refilmada, isso é muito importante.

Basicamente, é trabalho deles deixar que David Yates faça o seu próprio trabalho. Eles são os subchefe do chefe; os primeiros marinheiros do seu capitão; os vários Watsons do seu Sherlock Holmes. Eles se certificam de que tudo ocorra com perfeição para que ele possa se focar em conseguir a tomada perfeita, extraindo o melhor desempenho de seus atores e costurando o filme como uma bela tapeçaria de cenas. Ele não pode fazer isso e gritar as instruções de forma correta ao mesmo tempo, pode?

Há quatro ADs no estúdio, e todos eles têm microfones auriculares que fazem tudo o que eles dizem parecer urgente. Em “Animais Fantásticos”, Josh trabalha junto com Tom Brewster, Danni Lizaitis e Katherine Hingst, como segundo, terceiro e quarto AD. Seus nomes vão aparecer bem perto do topo dos créditos finais do filme quando ele for lançado – você vai encontrá-los.

Todos os dias, David fica a maior parte do tempo atrás de um monitor, onde pode ver exatamente o enquadramento de cada cena e como a ação acontece nela. Ele calmamente se levanta para ajustar uma câmera ou sussurrar instruções para um ator. Ele é universalmente amado por sua conduta gentil. Para ajudar neste processo, os ADs se espalham, tomando posições em vários lugares do estúdio e mantendo a área limpa, quieta e calma durante e entre as cenas. Eles são os fornecedores do bom funcionamento, os possibilitadores de uma ótima direção.

Às vezes, eles são como monitores escolares em uma reunião, sussurrando “shhhhhhhh” e “quietos” até que um deles (Danni) perfura o ar com um retumbante “SILÊNCIO NO SET”. Outras vezes, eles agem como professores, conduzindo os figurantes, convocando os atores nos seus trailers, certificando-se de que todos os adereços estão em seus lugares, prestando atenção no cronograma e cuidando para que não ultrapassem o prazo. Eles murmuram instruções em seus microfones e correm entre as locações quando necessário.

Toda essa atividade deve ser invisível a David, enquanto ele trabalha meticulosamente no movimento correto da câmera para capturar uma cena, uma tomada, um sorriso, uma gargalhada presunçosa, o toque de uma varinha ou o brilho de um olho.

Ele é, ao mesmo tempo, obsessivamente antenado aos detalhes e capaz de ver todo o projeto do alto. Depois de dirigir os últimos quatro filmes de “Harry Potter”, esta é a sua quinta aventura na imaginação de J.K. Rowling, e ele conhece bem o território. Ele apenas precisa que uma equipe confiável mantenha o seu caminho limpo.