J. K. Rowling

Carta aberta para J.K Rowling

A atriz Carey Mulligan, conhecida por papéis em “Orgulho e Preconceito”, “Não me abandone jamais”, “Shame”, “Drive” e “Longe Deste Insensato Mundo”, leu a carta da mãe de uma menina com câncer escrita para [J.K Rowling].

Lida no programa Letters Live on Sunday, um evento em Londres onde celebridades são convidadas a ler em voz alta cartas admiráveis escritas ao longo do tempo, a carta para a autora deixou muita gente com os olhos cheios de lágrimas, uma vez que foi escrita por uma mãe cuja filha é fã de “Harry Potter” e graças aos livros pode lidar com o diagnóstico de câncer.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Infelizmente, a jovem já havia falecido quando a carta foi lida.

“Eu escrevo a você como mãe, a mamãe, de uma linda menininha. Eu estou certa de que você ouve pessoas te dizerem todo o tempo sobre como suas palavras, sua imaginação os ajudou, ou a seus filhos, de alguma maneira”.

As primeiras palavras da carta já são suficiente para fazer mesmo aqueles não que não leram “Harry Potter” se emocionar. E as palavras finais possuem o mesmo efeito, de fato.

“Você construiu Hogwarts como um lar para ela retornar. E para mim. “

Leia a matéria completa no modo notícia completa.

Carey Mulligan lê carta aberta de mãe de paciente com câncer para J.K. Rowling.

“Suas palavras construíram um castelo para que ela se mudasse quando o prognóstico piorou. Sra. Rowling, o câncer ameaçou tirar tudo da minha filha, e seus livros se tornaram a fortaleza que nós desesperadamente precisávamos para nos esconder”.

Por Helena Horton
Traduzido por: Rodrigo Cavalheiro em 15/03/2016.
Revisado por: Thays de Paiva em 16/03/2016.

A mãe de uma paciente com câncer escreveu uma carta incrivelmente comovente para J.K. Rowling.

Ela foi lida ao público no Letters Live on Sunday, que é um evento em Londres que convida celebridades a lerem em voz alta “cartas notáveis escritas através dos séculos e por todo o mundo”.

Carey Mulligan escolheu ler uma carta da mãe de uma paciente com câncer, que escreveu a J.K. Rowling sobre como seus livros ajudaram sua filha a lidar com o diagnóstico de câncer.

Chrissy Hart, que escreveu a carta, também disse que os livros ajudaram a lidar com a perda eminente de sua filha.

“Eles estão mexendo com um ser humano único e com valor, que merece ser feliz. Peça ajuda. Não lute sozinho. Grande abraço.”

– J.K. Rowling (@jk_rowling) 8 de fevereiro de 2016

A menininha cuja mãe escreveu a carta infelizmente já havia falecido há dois dias.

A Sra. Hart escreveu:

“Cara J.K. Rowling,

“Eu escrevo a você como mãe, a mamãe, de uma linda menininha. Eu estou certa de que você ouve pessoas te dizerem todo o tempo sobre como suas palavras, sua imaginação os ajudou, ou a seus filhos, de alguma maneira. Talvez eles tenham sido ajudados a sair da depressão por seus trabalhos, talvez tenham tomado coragem com o conhecimento de que Neville se tornou um herói, contra todas as possibilidades, talvez você tenha ensinado a um garoto que gosta de livros que há amigos a serem encontrados nas páginas de um romance.

“Eu quero compartilhar com você o que você ensinou à minha filha, que foi recentemente diagnosticada com câncer. Quando eu li a ela suas histórias, ela não diferenciou tão claramente o bem e o mal, mas sim, amou os personagens que cruzavam as linhas. Você a ensinou que para que cada sessão de quimioterapia haveria a oportunidade de voar através de um lago num hipogrifo. Para cada vez que seu coração pulasse com medo da dor, haveria eu a expulsando com um feitiço do patrono.

“Suas palavras construíram um castelo para que ela se mudasse quando o prognóstico piorou. Sra. Rowling, o câncer ameaçou tirar tudo da minha filha, e seus livros se tornaram a fortaleza que nós desesperadamente precisávamos para nos esconder.

“E as coisas que você me ensinou? Você me fez perceber que a coragem de uma mãe pode vir na forma de suas lágrimas. Eu posso não ter a habilidade física de protegê-la do que vai tirá-la de mim, mas eu posso ser amável e gentil como Molly, estoica em minha afeição como Minerva, protetiva e leal como Hermione, e esperando para dar as boas vindas a casa como Lílian.

“Mas a lição mais importante que você nos ensinou: câncer pode tirá-la de mim em algumas curtas semanas. Eu posso não ser capaz de livrá-la da dor. Mas para cada criança que foi embora muito cedo, pessoas vão se reunir, se amontoando num grande grupo, varinhas apontadas para o alto para iluminar o céu escuro com o amor que sentiram.

“Você construiu Hogwarts como um lar para ela retornar. E para mim.

“Por isso, eu devo permanecer eternamente grata a você, Chrissy.”

Carey Mulligan também leu a carta de Bertha Brewster, de 1913, para o The Telegraph, exigindo o voto. Ela repetiu seu papel de sufragista enquanto lia em voz alta.

A carta diz: “Senhor,

“Todos parecem concordar que é necessário parar os ultrajes sufragistas; mas ninguém parece saber exatamente como. Há duas, e somente duas, maneiras que isso pode ser feito. Ambas servirão.

“1 – Mate todas as mulheres no Reino Unido.

“2 – Dê o voto às mulheres.

“Sinceramente, Bertha Brewster”.