Animais Fantásticos e Onde Habitam ︎◆ Filmes e peças

POTTERMORE: “Animais Fantásticos” tem sua própria cidade de Nova Iorque

O Correspondente do Pottermore voltou hoje de manhã com mais um relato sobre “Animais Fantásticos e Onde Habitam”. Nesta visita aos estúdios do filme, o jornalista nos conta sobre a criação da cidade cenográfica de Nova Iorque nos anos em que se passa a história do magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne).

“Nós não apenas viajamos para os Estados Unidos sem deixar a Inglaterra. Nós viajamos para 1926 sem deixar 2015.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Continuem no modo notícia completa para ler o relato traduzido na íntegra pela nossa equipe.

“Animais Fantásticos” tem sua própria cidade de Nova Iorque
O Correspondente do Pottermore – 09/11/2015

Traduzido por: Rodrigo Cavalheiro.
Revisado por: Gabriela Oliveira.

Adivinha só: eu estou nas ruas de Nova Iorque, mas não saí da Inglaterra. Eu posso ver os pretzels, mas não posso cheirá-los e eu definitivamente não tenho autorização para tocá-los. Onde eu estou?

Estou no set de “Animais Fantásticos”, é claro. Vestindo um capacete de segurança, um colete de segurança amarelo neon e botas pretas enlameadas. Eu não disse que a indústria do entretenimento era glamorosa?

Agora, você sabe que o filme se passa em Nova Iorque porque J.K. Rowling te disse meses atrás com um tuíte: “Newt pretendia ficar em Nova Iorque por apenas algumas horas. Circunstâncias asseguraram que ele ficasse… pela duração de um filme, de qualquer maneira”.

Cineastas procuraram por todo o Reino Unido, mas perceberam que eles não têm uma cidade de Nova Iorque. Então eles fizeram uma.

Eu estou parado numa esquina, bato num carrinho-de-mão fictício e decido descobrir como fazer uma magnífica réplica numa distância tão longa e tão distante no tempo da original. Aqui vai uma dica: coloque as melhores mentes criativas no negócio para trabalhar.

O legendário designer de produção Stuart Craig, que trabalhou nos filmes de “Harry Potter”, lidera o time que construiu a Nova Iorque da década de 20. Ele trabalhou com Os Davids, o diretor David Yates e o produtor David Heyman, na estética geral desse filme. Ele foi indicado a 10 Oscars e ganhou três (por “O Paciente Inglês”, “Ligações Perigosas” e “Gandhi”). Sempre que eu pergunto a alguém no set por ele, as pessoas começam a sussurrar a respeito da sua genialidade. Mais falaremos sobre o Sr. Craig depois.

Agora, estou com a cenógrafa Anna Pinnock, que é responsável por arrumar as fachadas de Nova Iorque, todos os adereços e a mobília. Por todos nesse set serem ofensivamente talentosos, Anna também tem um Oscar – pelo seu trabalho em “O Grande Hotel Budapeste” em 2014. Ela foi nomeada quatro vezes (por “Assassinato em Gosford Park”, “As Aventuras de Pi”, “A Bússola de Ouro” e “Caminhos da Floresta”). Ela trabalhou em três filmes do James Bond, incluindo “Spectre”. Se você precisa construir uma réplica em tamanho real de uma cidade num lugar em que ela, na verdade, não existe, Anna é a mulher para esse trabalho.

Anna está elegantemente vestida como eu, com um capacete de segurança, colete amarelo neon e botas que combinam, dando-me um tour pela Nova Iorque que ela ajudou a criar num espaço no meio de um terreno lamacento. Nós começamos no Lower West Side, onde os tijolos são sujos, os pôsteres estão descascando das paredes e tudo é marrom claro, marrom escuro ou em algum tom de marrom. Todos os sinais e pôsteres foram desenhados pela extraordinária designer gráfica Mina Lima… mas mais sobre ela em outra hora.

Nós não apenas viajamos para os Estados Unidos sem deixar a Inglaterra. Nós viajamos para 1926 sem deixar 2015.

GettyImages-3288700
O cinema Strand na Broadway, Nova Iorque em 1925

Animais Fantásticos se passa nos loucos anos 20 e cada detalhe do set grita isso. Todos os letreiros das lojas, todas as manchetes dos jornais, todo menu de restaurante, cada fachada, cada roda, cada carrinho de comida, cada poste. Ah, os postes! Eles são verdadeiros, reais e funcionais – grandes estruturas pretas construídas com oito metros de profundidade para que elas não balancem ou caiam em ninguém importante.

É isso que eu amo sobre o jeito que Anna decorou Nova Iorque; ela decorou uma cidade de mentira com pedacinhos de uma realidade reconstruída. Ela teve uma equipe inteira pesquisando a época, é claro, para deixar tudo o mais autêntico possível. É um trabalho e tanto.

Há várias ruas pavimentadas e, se você parar no lugar certo, pode ver todo o caminho do Lower West Side para o Upper East Side.

Você pode ver o lado de fora do apartamento de Tina e Queenie, bem como restaurantes, uma igreja e todos os tipos de lojas. Conforme Anna me conta, eles tiveram que desfazer alguma dessas fachadas e transformá-las em edifícios completamente diferentes muito rápido quando ficaram sabendo de uma mudança na agenda de filmagens.

A logística desse trabalho – fazer uma cidade, destruir essa cidade, fazer uma sala, destruir essa sala – machuca meu cérebro.

Para minha sorte, nós chegamos dentro do set do apartamento de Tina e Queenie Goldstein menos de uma hora antes que ele fosse demolido. Eu sentei na cama delas, cutuquei o sofá delas, revirei seus livros e olhei nos seus espelhos. Mas isso eu terei que deixar para outra hora. Agora eu tenho que descobrir como voltar para Londres de 2015.

Até breve, amigos.

O Correspondente do Pottermore.