Artigos do Pottermore

POTTERMORE: Dando vida a Fawkes

Estamos traduzindo todos os artigos que a equipe de editores do Pottermore escreve e publica no site oficial, em inglês. As traduções, que saem todas as tardes no Potterish, permitem que os leitores não fluentes na língua inglesa também possam ter acesso a esse conteúdo incrível do novo Pottermore.

“Dudman e sua equipe construíram um pássaro que podia abrir as asas, mover-se em resposta a outros personagens e efetivamente movimentar-se sobre o seu poleiro. Dez controladores foram necessários para conduzir essa criatura complexa, que conseguia até chorar lágrimas ‘reais’.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Todos as criaturas que J.K. Rowling explorou em seus livros deram um trabalho danado para serem representadas nas telonas. Fawkes não foi diferente. Para conferir como foi dar vida à fênix do Professor Dumbledore, continue no modo notícia completa.

Por trás dos cenas: como os animadores deram vida a Fawkes


Traduzido por: Carolina Portela em 23/09/2015.
Revisado por: Aline Michel em 24/09/2015.

A versão da Fawkes voando no filme é uma criação digital, mas quando ele aparece na sala de Dumbledore, é completamente animatrônico.

Extraído de “Harry Potter das Páginas para a Tela: A Jornada Completa das Filmagens”


O supervisor de efeitos de criaturas Nick Dudman explica por que os cineastas tomaram essa decisão: “Os efeitos gerados por computadores fazem coisas que nós não conseguimos realizar fisicamente, mas o que fazemos com os efeitos práticos é criar uma sensação de interação que às vezes é perdida com imagens geradas digitalmente”.

Para criar o sofisticado modelo de Fawkes, Adam Brockbank forneceu ao departamento de Dudman diversos desenhos da fênix em diversas posições e interagindo com vários personagens.

Fawkes_Câmara_Secreta

“Apesar de não vermos Fawkes na tela em algumas das posições que eu desenhei,” diz Brockbank, “vê-lo com suas asas fechadas transmite informações básicas necessárias para a construção tanto do modelo digital quanto do modelo animatrônico.”

Com essas referências em mente, Dudman e sua equipe construíram um pássaro que podia abrir as asas, mover-se em resposta a outros personagens e efetivamente movimentar-se sobre o seu poleiro. Dez controladores foram necessários para conduzir essa criatura complexa, que conseguia até chorar lágrimas “reais”.

Dudman relembra o maior elogio que ele e seu departamento receberam por seu modelo de Fawkes. “Em certo momento, Richard Harris veio até mim e meu operador chefe do Fawkes, Chris Barton, e nos disse o quão impressionado ele estava com o quão bem treinado foi o pássaro.”

“Eu disse a Richard que Fawkes era, em tese, um boneco, mas ele não acreditou em mim. Então eu pressionei um botão de controle, dando vida a Fawkes. Richard ficou absolutamente impressionado. Não acredito que eu poderia ter recebido um elogio maior.”