J. K. Rowling

J.K. Rowling responde a comentários agressivos no Twitter

J.K. Rowling relatou ontem, através do seu perfil oficial no Twitter, indignação pela falta de respeito com que foi tratada quando decidiu apoiar a campanha que visava manter a Escócia, país onde vive há anos, como parte do Reino Unido.

“Eu fui chamada de ‘traidora’, ‘prostituta’ e ‘vadia’, me disseram para eu voltar de onde eu vim, fui ridicularizada por ser a favor de manter a Escócia como parte do Reino Unido”, disse ela a um usuário que aparentemente decidiu excluir sua conta na rede social desde então.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Rowling não só apoiou a campanha como também doou um milhão de libras esterlinas para ajudar na causa, que posteriormente obteve sucesso quando a população do país disse não à independência através do referendo o qual lhe foi proposto.

Diante de vários comentários os quais se opunham à sua liberdade de expressão, a autora fez alusão aos Comensais da Morte – personagens da série “Harry Potter” conhecidos por seu fanatismo na crença da superioridade dos “sangue puros” – e disse que “quando as pessoas começaram a discriminar os direitos dos outros em razão da pureza de seu sangue, as coisas se tornaram um pouco ‘Comensalescas’ para o meu gosto”.

Um outro usuário do Twitter, @Siobhan_BM, afirmou que Rowling “tem o direito de ter suas próprias opiniões, e liberdade para expressá-las, mesmo se discordamos delas” e enfatizou dizendo que “Ela continua sendo minha autora favorita”.

“Eu te amo”, respondeu a escritora. “Esta é a Escócia a qual eu achava que conhecia, bem aí. #LiberdadeDeExpressão.”