Artigos

A semelhança entre Cedrico Diggory e Edward Cullen e porque isso é a maior diferença entre eles

Não adianta bater o pé: cada um tem a sua opinião sobre cada tema. E a nossa colunista Gabriela Lutfi tem uma visão, digamos, muito clara sobre a saga Crepúsculo – da qual eu gosto, vejam só – e seus personagens.

Na coluna de hoje, ela faz uma comparação entre os personagens Cedrico Diggory e Edward Cullen, interpretados no cinema pelo mesmo ator, e traça um panorama sobre o que seria as visões de J.K. Rowling e Stephenie Meyer sobre o personagem “perfeito”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por Gabriela Lutfi

Gente, preciso tirar isso do meu peito: eu li os 4 livros da saga Crepúsculo. Me julguem.

Eu preciso tirar outra coisa do meu peito: eu vi os 5 filmes da saga Crepúsculo. Me julguem de novo.

Os motivos para ter colocado a mim mesma sobre essa tortura é simplesmente o fato de que eu sou teimosa como uma porta e eu me recusava a aceitar que algo tão ruim (na minha humilde opinião, tem gente que ama!) pudesse ser tão popular, e eu queria tentar achar o que todo mundo gostava tanto nessa história. Não achei.

Mas enfim! Não estamos aqui para falar de Crepúsculo em si, mas sim do personagem mais sexy, perfeito, metrossexual e brilhante (tu-dun-tsss) da saga: Edward Cullen.

De novo, caso vocês ainda não tenham percebido, eu amo polemizar, então vamos novamente para mais um tema que todos amam.

O que Cedrico Diggory e Edward Cullen possuem em comum além do mesmo ator, o Robert Pattinson?

Bem, o Cedrico, como muito de vocês sabem, é praticamente o cara perfeito. Além de ser um gatinho (desculpem, rapazes), ele era o aluno estrela da Lufa-Lufa, tirava ótimas notas, era monitor e apanhador (além de capitão) do time de quadribol! Fala sério. Se isso não é ser praticamente um deus grego, eu não sei o que é.

Agora o Edward. Ah, o Edward. Eu nem sei por onde começar. Bom, tirando o fato de que o Ed (para os íntimos) é um cadáver reanimado de 90 anos, ele é um cara perfeito também. Quando ainda era vivo, Ed era um excelente estudante e um pianista super famoso! Com apenas 18 anos! Isso sim que eu chamo de prodígio. Se ele já era um gênio sendo humano, sendo vampiro ele virou duplamente gênio. Obviamente, agora que ele não possui mais a necessidade de dormir, ele fez o quê? Estudar, é claro. Afinal, é o que todo mundo com 18 anos quer fazer. Todo ano, educadamente, Edward se matriculava em uma escola, se formava, ia para outra escola, se matriculava de novo, se formava de novo, e por aí infinitamente. Juro. Quantas benditas escolas existem nos Estados Unidos? Ninguém achou isso estranho?! Ainda, segundo a wikia de Crepúsculo, ele tem não um, mas dois diplomas de médico! Juro, o cara é formado duplamente em medicina. Como ninguém do conselho de medicina dos EUA nunca notou isso, eu não sei. Me ajudem.

Ok, ok. Me empolguei. O meu ponto é: Edward Cullen também é um cara perfeito. Perceberam? Ced e Ed (pegaram o trocadilho?!) são dois caras perfeitos. E eles amam a justiça. Cedrico acreditava na bondade das pessoas. Ele ajuda Harry no Torneio Tribruxo. Ele divide a taça com Harry! E Edward? Edward quer o melhor para Bella. Afinal, é o amor que o move! Ele quer vê-la bem. Ele dá uma Mercedes Guardian para protegê-la (eu achei um presente totalmente adequado que todo cara deveria dar para a namorada). Ele quer que todos ao seu redor não machuquem os humanos e vivam em harmonia.

Pois bem, agora que já falamos as semelhanças, vamos ver a diferença.

Ced é perfeito por motivos nobres. Nossa rainha consegue fazê-lo ser perfeito sem ser chato. Ele é até adorável, e possui suas certas falhas! Sabe, ele erra como qualquer ser humano. Na primeira tarefa do Torneio Tribruxo, Cedric sofre uma queimadura no rosto por causa do fogo do dragão, e durante a tarefa do labirinto, ele até se dá mal em uma parte. Isso que é fofo! Isso faz com que as pessoas simpatizem com ele. Ele erra como qualquer outra pessoa.

Já Ed? Ed nunca erra. Ele não errou ao escolher Bella. Ele não errou ao fugir dela para não machucá-la. Ele não errou ao engravidá-la (eu juro que estou morrendo de rir enquanto escrevo isso). Ed é tão perfeito, que ele é literalmente bizarro. Quem consegue simpatizar com um cara desses? Eu certamente não. Qual a coisa mais gloriosa que Ed fez nos quatro livros inteiros? Se apaixonar por Bella. E invadir seu quarto enquanto ela dormia (mas ninguém o crucificou porque é gatinho. Coloca um cara feio num quarto de uma menina pra ver se ela não grita).

Pois bem. No final das contas, o meu ponto é: existem dois tipos de perfeição. Ok. E porque a perfeição do Cedrico é legal, e a de Edward não é?

A questão é que são as pequenas falhas que fazem a pessoa melhor. Sei que é contraditório dizer que as falhas tornam as perfeições melhores (afinal, coisa que é perfeita não tem defeito!), mas sinceramente, quem gosta de tudo certinho? É fácil gostar de Cedric porque ele não é exageradamente correto. Ele tira notas boas e sabe falar as coisas certas nas horas certas? Sim, mas ele também faz piadas sem graça, ele tropeça, ele entende os problemas dos outros. Ele é humano.

Já Edward sabe exatamente o que fazer para deixar tudo perfeito, e ainda assim ele fica na bendita retaliação interna onde ele fala que é um monstro, que ninguém pode amá-lo, que ele deveria viver a vida (ou a morte) isolado de todos. É como se uma menina com corpo escultural chegasse para mim e dissesse que se acha muito magra e não importa o quanto come não consegue engordar uma grama. Eu não sei vocês, mas eu daria um soco na cara dela. Edward faz a mesma coisa: ele joga a perfeição dele na sua cara. Alguém gosta disso?

É o mesmo caso para Cristian Grey (sim, eu li 50 tons. Me julguem novamente). Mas isso aí já é história pra outra coluna!

Resumidamente, o meu ponto é que a J.K. Rowling e a Stephenie Meyer tiveram essencialmente a mesma ideia: montar um cara perfeito que fosse, ao mesmo tempo, uma inspiração e algo intimidador para outras pessoas. A diferença é que, enquanto Rowling conseguiu criar uma personagem cativante que fizesse as pessoas lamentarem sua morte apesar dele ter aparecido em apenas um livro, Meyer fez um personagem tão bom, mas tão bom, que ninguém conseguiu se identificar com ele.

P.S.: Outra coisa semelhante entre Ced e Ed é o topete.

P.S.2: Quem curte humor bizarro como eu, entrem no canal Screen Junkies do Youtube e procurem o vídeo “The Twilight Saga – Just The Stares”. É sensacional. (Preciso dizer que o Honest Trailler de Harry Potter também é incrível!)

P.S.3: Queridos fãs de Crepúsculo, não me linchem. Amo vocês.

Eu contei para a Gabriela Lutfi que gostei de Crepúsculo, e ela não me julgou. Mas vocês podem julgá-la nos comentários.