Artigos

Sobre pais e filhos

“Harry, você tem os olhos da sua mãe… Mas é idêntico ao seu pai”. Ao longo da série, nós enjoamos de ler isso, dito das mais variadas formas vindo dos mais diversos personagens. Harry Potter é, de fato, muito parecido com Tiago Potter.

Ocorre que Monique Calmon, aproveitando bem a sua função de colunista do Potterish, não se conforma com essas características dadas assim, sem devaneios. Neste domingo de carnaval, ela nos traz uma especulação polêmica sobre essa semelhança entre Harry e seu pai. Antes de cair na folia, leia e nos diga se você concorda com Monique!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por Monique Calmom

– Um engano normal – disse Dumbledore gentilmente – Imagino que já esteja cansado de ouvir dizer, mas você é extraordinariamente parecido com Tiago. Exceto nos olhos… você tem os olhos de sua mãe. (Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, cap. 22, pág. 342).

Caros leitores,

Espero que vocês, assim como eu, gostem de teorias mirabolantes sobre o mundo mágico de Harry Potter, pois essa coluna está cheia delas. Vocês já se perguntaram por que Harry parece tanto com seu pai, e por que esse fato é mencionado tantas vezes nos livros? Talvez seja só “porque sim”, porque filhos muitas vezes se parecem com os pais. Mas talvez JK Rowling tenha pensado em motivos mais profundos para criar seus personagens assim.

Acredito que o primeiro motivo que JK Rowling teve foi permitir que Harry pudesse se identificar com a figura paterna, mesmo tendo passado tão pouco tempo de vida junto a seu pai. Fisicamente, é incrivelmente parecido com o pai; também tem os olhos da mãe, e, como diz a sabedoria popular, os olhos são as janelas da alma. Algumas semelhanças de personalidade com os pais são o fato de também ter ido para a Grifinória, e, assim como Tiago, ser muito propenso a entrar em apuros (quase uma atração magnética), porém herdou um pouco mais de responsabilidade da mãe em não procurá-los de propósito.

Por outro lado, talvez seja também para os amigos e admiradores de Tiago e Lílian se identificarem com Harry. Por exemplo, Remo e Sirius conseguiram superar a tristeza de perder dois de seus melhores amigos ao verem no pequeno bruxo tantos traços bons de seus pais. Confiaram que Harry tinha a bravura e a capacidade de enfrentar Lorde Voldemort, e por isso tiveram forças para lutar ao seu lado e protegê-lo.

Para encerrar esse texto, apresento aqui minha teoria mais louca. Quando li pela primeira vez “O Enigma do Príncipe”, ao descobrir que Lílian e Snape foram amigos, e que Snape era apaixonado por ela, acreditei por um segundo que poderia ter surgido um clima de romance correspondido entre os dois. Imaginem então a revelação de Snape: “Harry… I’m your father.”. Para evitar tal confusão de paternidade, nossa querida autora teria dado traços marcantes ao filho de Tiago, sanando assim de vez a dúvida.

OK, a colunista agora parou com os devaneios. (Em minha defesa, existem fics sobre o tema!) Mas o que acharam? Comentem com suas próprias teorias!

Em uma coisa todos nós concordamos: uma vez nascido em julho, Harry Potter não seria fruto de um romance de carnaval.