Artigos

Luna Lovegood e como a vida pode ser extraordinária

Restam poucas dúvidas de que Luna Lovegood é uma personagem inspiradora. Ela não se importa com a opinião dos outros e vive a própria felicidade, esquecendo-se dos preconceitos e da forma horrorosa como, às vezes, os outros agem para com ela. Luna é um exemplo de que não ligar é, de vez em quando, o melhor caminho.

Na coluna desta semana, excepcionalmente publicada no sábado, Débora Jacintho vai buscar na série alguns dos mais interessantes exemplos de superação de Luna para inspirar você. O mundo será um lugar melhor quando todos nós tivermos um pouquinho mais dessa personagem em nossas personalidades! Leia e registre o seu comentário.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por Débora Jacintho

“Luna acreditava em coisas tão extraordinárias…” Esse é o pensamento que invade Harry, na conversa com Luna após a morte de Sirius. E, realmente, Luna pode ser considerada excêntrica, ou diferente, por acreditar em diversas coisas que não têm provas. Diante disso, muitos alunos a apelidaram de “Di-Lua Lovegood”, por viver sempre no mundo da lua, sonhadora e por ser até um pouco esquisita. Porém, a nossa Luna não se importa com o que falam dela, e mantém sua personalidade forte e seu jeito único. E, até quando os alunos escondem suas coisas, ela não fica irritada, e encara a situação com naturalidade, com o pensamento de que as coisas sempre voltam no fim.

Acreditar em coisas extraordinárias, acreditar em coisas que nosso racional diria que seria impossível, mas ainda assim acreditamos. Podemos começar dizendo que simplesmente acreditamos nesse mundo maravilhoso criado por J.K. Rowling. As coisas mágicas que escolhemos acreditar dão um toque especial à nossa personalidade, e passam a fazer parte de um mundo que é só nosso. Isso, de alguma forma, nos protege de desistir diante de adversidades, e nos permite seguir em frente sempre.

“As coisas sempre voltam” – e se sempre voltam, então não precisamos nos desesperar, respiramos fundo e esperamos que tudo volte aos eixos certos. As fases ruins são passageiras, e depois delas, depois da tempestade, o sol voltará a brilhar ainda mais intensamente. É com serenidade e paciência que Luna escolhe levar a vida, mesmo quando passa por dificuldades, como o tempo em que passou presa na Mansão Malfoy, junto com o Sr. Olivaras. Ela conforta os que estão ao seu redor, e tenta mostrar o seu jeito de ver as situações.

A autenticidade é, também, um dos pontos marcantes de Luna. Ela é o que é e não se importa em seguir padrões de comportamento ou de opinião. Ela segue suas convicções e faz o que gosta de fazer, independentemente de ser considerada estranha por isso. Qual o problema em usar um chapéu em forma de cabeça de leão (que ruge!) no jogo de Quadribol? Por que não seria natural ir a uma expedição na Suécia para capturar um Bufador de Chifre Enrugado? Podemos levar essas lições para o nosso mundo, e tentar levar a vida mais levemente, sem ficar tão presos a estereótipos e modelos já montados.

Acredite, viva intensamente, tenha os melhores sonhos do mundo e seja feliz, assim como a nossa Luna consegue ser, mesmo diante de problemas e situações difíceis. Veja a vida com mais zonzóbulos, mais bliberentes e mais Bufadores de Chifre Enrugado. Enxergue coisas extraordinárias onde as pessoas comuns só veem coisas simples. Use brincos de rabanetes e colares de cerveja amanteigada sem se preocupar com que outras pessoas poderão dizer.

Esta coluna é pra você, e quero que você aproveite o seu aniversário ao máximo, como se fosse a Luna! 🙂

Débora Jacintho me pediu que guardasse segredo sobre a dedicatória, mas saibam que a Luna é a personagem preferida da namorada dela.