Filmes e peças ︎◆ O Prisioneiro de Azkaban

Daniel Radcliffe é premiado e fala, em entrevista, sobre projetos

O ator Daniel Radcliffe participou, na terça-feira, dia 8, da premiação anual da revista britânica gay “Attitude”, no prédio das Cortes Reais da Justiça, no centro de Londres, onde venceu o prêmio de melhor ator.

No ano passado, Radcliffe havia sido capa da revista, falando sobre seu então trabalho, “A Mulher de Preto”, e temas como homofobia. Já no fim da premiação, o ator posou para algumas fotos, que podem ser vistas neste link, cortesias do SnitchSeeker.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, o ator concedeu, recentemente, uma entrevista ao site CraveOnline, na qual falou sobre seus recentes trabalhos, como “Kill Your Darlings” e “Horns”, e também do novo projeto de J.K. Rowling e das mudanças feitas no enredo de “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban”, e que pode ser lida traduzida logo abaixo.

DANIEL RADCLIFFE
Daniel Radcliffe em “Kill Your Darlings

CraveOnline – Fred Topel
15 de outubro de 2013
Tradução: Gabriel Guimarães

CraveOnline: Você ouviu alguma coisa de Elijah Wood desde sua aparição no “Colbert Report?
Daniel Radcliffe: Desde que eu o chamei para a briga? Não, eu não sei se ele tem um meio de me contatar. Na verdade, ele tem, porque ele sempre pôde me contatar com Alex Aja, que o produziu em “Maniac” e dirigiu “Horns”, que eu fiz. Então se nós quisermos dar um jeito nisso, há uma conexão. Talvez Alex poderia atuar como meu promotor.

Você teve uma ótima cena com David Rasche como o Dean. Você já viu “Sledge Hammer”?
Não, eu não vi. Alguém estava me falando disso. Acho que talvez John Krokidas, nosso diretor, estava falando sobre isso comigo quando ele estava na filmagem, porque eu o reconheci de um monte de coisas. Claro, “In the Loop”. Ele está brilhante neste. Ele tem um senso de humor seco. Ele é ótimo, muito seco, obviamente um improvisador brilhante. Na verdade, e talvez você tenha que checar isso com John ou Dane, em muitas das cenas onde ele está interpretando Dane fora do escritório de Dean os diálogos foram, em grande parte, improvisados, e eu os acho uma coisa grandiosa. Isso estava simplesmente fluindo para fora dele, foi ótimo.

Podemos confirmar que Allen Ginsberg estaria dançando, no filme, ao redor de sua casa com uma vassoura?
E você sabe o que mais, acho que se o rádio estivesse ligado, ele já tinha feito. Essa foi uma das cenas que foram um pouco estranhas porque a filmamos ouvindo “Ain’t Nobody Here But Us Chickens”, do Louis Jordan, e como nós estávamos dançando-a, eu meio que sabia que a canção provavelmente não seria a usada no filme porque eu não acho que ela fosse muito apropriada para o período. Então eu estava tentando dançar a música, mas também tentando dançar de uma forma que combinasse com qualquer música.

O quanto você gostou de usar uma máquina de escrever antiga?
Tudo bem, eu gostei. O meu não é o melhor exemplo. As teclas estavam emperrando bastante. Foi ótimo, mas eu acho que se eu fosse convidado a escrever algo nela, provavelmente ficaria muito frustrado, mas elas são coisas lindas. Essa é uma das coisas. Apanhei um par dos óculos de Ginsberg do filme e levei uma máquina de escrever, então tenho uma em casa porque elas são simplesmente belas máquinas antigas. Amo qualquer coisa bem-feita como essa.

Agentes de elenco estão ansiosos para vê-lo em diferentes tipos de papeis neste momento?
Acho que sim. Certamente aparentam estar. Certamente aparentam estar me dando oportunidades ao menos para mostrar que posso fazer outras coisas. Até agora, tenho o prazer de dizer que este não tem sido um problema. Acho que só tem a ver em dar demonstrações reais de vontade. Se você mostrar que está disposto a correr riscos e fazer outras coisas, então acredito que as pessoas vão continuar a dar esperançosamente a mim essas oportunidades.

Você teve que batalhar por este papel ou algum dos outros papeis que você interpretou desde “Harry Potter”?
Este e o de “Horns” foram definitivamente um desses. Fiz o teste para esse e foi uma espécie de projeto vai e vem por um bom tempo devido ao financiamento do filme. Definitivamente tive que convencer a mim mesmo para este e, na verdade, para “Horns” somente por meus pensamentos iniciais, já que Alex tinha imaginado o personagem sendo talvez cinco anos mais velho que eu. Então eu definitivamente tive que entrar nessas reuniões e me convencer que eu era o homem certo para o trabalho.

Cheguei a ver “Honrs” em Toronto.
Oh, legal.

Foi legal fazer um filme baseado em um livro que não foi tão admirado tanto quanto “Harry Potter”?
Sim, certamente, embora eu tenha que dizer, todo livro tem um seguidor. Nada tão grande quanto “Harry Potter”, mas este livro permaneceu entre os mais vendidos do The New York Times por um longo tempo, então você ainda tem definitivamente o peso das expectativas atrás de você e você fica meio, oh Deus, como as pessoas vão reagir a isso? Você sempre tem que mudar as coisas em adaptações e fazer as coisas mais concisas para um filme. Então não foi algo do qual eu particularmente me preocupei.

Não fui ver “The F Word” em Toronto. Que coisas diferentes podemos esperar de você neste filme?
Acho que neste filme, o fato de ninguém jamais ter me visto realmente em uma comédia romântica antes e eu o acho realmente, realmente um bom exemplo do gênero. É muito, muito esperto e realmente divertido, e eu acho que os homens na verdade vão gostar, o que é algo que eu acredito que não aconteça sempre em comédias românticas. Estou ansioso para que as pessoas o vejam. Tem muito de mim mexendo no meio, sendo estúpido e interpretando um personagem que é muito mais parecido comigo que qualquer coisa que eu já fiz antes.

Disseram que J.K. Rowling está escrevendo outro filme, e também pode haver um filme de quadribol.
Sério? Qual é o filme de quadribol? Não ouvi nada sobre esse.

Isso veio depois do anúncio inicial. Outro filme complementar poderia lidar com quadribol. Eu poderia imaginar um filme de quadribol como um filme de esportes desse mundo.
É, talvez.

Você acha que eles vão eventualmente retornar ao Harry em algum momento?
Não tenho ideia. Não tento deduzir o que Jo Rowling fará. Para ser honesto, não tenho ideia. Sei que não estou envolvido com esses, mas ignoro se transmito apreensão acerca de uma suposta participação.

Meu filme favorito de “Harry Potter” é “O Prisioneiro de Azkaban”, pelo qual os fãs mais dedicados me odeiam por causa de algumas das adaptações que eles fizeram.
Sério? Acredito que o terceiro filme é o favorito de muitas pessoas.

Tem a ver com o Mapa do Maroto, o qual o Professor Lupin leu e eles não explicaram no filme como ele poderia fazê-lo. Há uma explicação diferente no livro. De qual lado você fica nessa questão?
Não tenho ideia. Literalmente não sei. Não consigo me lembrar do momento no livro. Eu não estava envolvido nas adaptações. Tinha 14 anos quando o filme foi feito, então não havia ninguém chegando para mim para ver o que eu estava pensando. Vou ter que pesquisar sobre isso e encontrar qual era a controvérsia, porque eu não sabia disso.