Artigos

Sobre animais e pesquisadores fantásticos

Todos nós ficamos radiantes com as notícias que saíram há alguns dias: Animas Fantásticos & Onde Habitam, um dos livros anexos da série, será adaptado para o cinema! E com direito à participação especial de seu autor do mundo mágico, Newt Scamander.

Orlando Louzada, um colunista-biólogo, ficou especialmente feliz com a notícia. Na coluna de hoje, ele nos fala um pouco mais sobre Scamander e sua obra. Deixe um pouco de lado os seus pufosos e não se esqueça de ler o texto que nosso colunista preparou para a ocasião.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por Orlando Louzada

Juro solenemente que nem eu próprio tenho ideia do tamanho de minha felicidade. Na verdade, a maioria de nós está feliz, devido às ótimas notícias envolvendo a Warner, J. K. Rowling, e “Animais fantásticos & onde habitam”. Mas eu tenho um motivo especial para estar muito feliz (não, não é o que está pensando. Meu frasco de Felix Felicis ainda encontra-se intacto) com tais notícias: Newt é meu personagem favorito.

Sim, sei que é estranho, afinal ele quase não aparece nos sete livros, a não ser em pequenas menções, mas criei por ele um tipo de admiração inexplicável e especial. Newton Scamander, além de ser da Corvinal, como eu, possui como profissão algo que me fascina, a magizoologia. Julgo ter podido ser esta, a minha melhor escolha, jovem e indeciso com o mundo, após terminar os estudos em Hogwarts. Além disso, em uma das raras menções ao Brasil, em toda literatura de Rowling, é Newt quem aparece, estudando Lesmas-de-fogo na Amazônia.

Newton era filho de uma criadora de Hipogrifos de luxo famosa no mundo bruxo. Ao crescer, tornou-se membro do Ministério da Magia em um emprego que o possibilitava viajar por todo o mundo. Como todo bom corvino, digo, curioso, aproveitou este fato para reunir material para sua obra mais famosa, e conhecida até mesmo no mundo trouxa, “Animais fantásticos & onde habitam”. Tal obra é utilizada para instruir e introduzir jovens estudantes no incrível mundo da Magizoologia, por meio de Trato das Criaturas Mágicas. Mas o fato de o autor viajar pelo mundo, recolhendo material, embora este não seja seu propósito, faz-me pensar em outra ilustre mente da história da humanidade, que você em algum momento já ouviu falar: Charles Darwin. Sempre me peguei relacionando os dois, lendo a obra de um deles. Eu os imagino descalços, com as calças dobradas até os joelhos, prontos para se aventurarem no charco mais próximo, a procura de impressionantes criaturas, sob o céu nublado de outono do Reino Unido.

Darwin também viajou pelo mundo com outro propósito, que não estudar a vida e publicar um livro com seus resultados. Ele era integrante da tripulação do famoso Bleagle, mas como geólogo. As vezes me pergunto se Rowling se inspirou nele para criar Newt.

Em seu livro, Newton cita e explica fantásticos animais, além de suas importantes características, o que me permite certo entusiasmo e ansiedade pelo filme que está por vir. Como será contado, quais serão os atores… Será que Luna fará alguma aparição? Afinal ela também é naturalista, e esposa de Rolf Scamander, neto de Newt.

Bem, deverei esperar, e de um jeito bem divertido. Estarei na Amazônia nos próximos meses, procurando por moluscos com certas propriedades inflamáveis. Quem liga pra algumas queimaduras?

Orlando Louzada teve a ideia para esta coluna a bordo de um testrálio, enquanto retornava de uma viagem à Noruega, onde estudava barretes vermelhos.