Aniversários

Feliz aniversário, Daniel Radcliffe!

No dia 23 de julho de 1989, em Londres, nascia Daniel Jacob Radcliffe, que hoje completa 24 anos de vida. Filho único de Alan Radcliffe (agente literário) e Marcia Gresham (agente de elenco, envolvida em muitos filmes da BBC), Daniel  expressou seu desejo de se tornar ator já aos cinco anos de idade.

Como sofria de dislexia, revelou um mau desempenho na escola, a Sussex House School, em Knightsbridge, e por causa disso dizia várias vezes a sua mãe que não levava jeito para nada, fazendo Marcia se convencer e o deixar fazer audições para que ele ganhasse mais confiança em si mesmo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Feito isso, Daniel fez o seu primeiro papel em frente as câmeras, a adaptação para a BBC-TV de David Copperfield (1999) onde ele interpretou o jovem David e contracenou pela primeira vez com Maggie Smith. Logo depois fez uma participação no filme O Alfaiate do Panamá.

Apesar do seu imenso entusiasmo com o cinema, Radcliffe só conseguiu dar asas à sua carreira quando conseguiu o papel de Harry Potter. Ele fez os testes, mas achou que não tivesse passado. Foi uma semana depois, quando estava saindo do banho e entreouviu seu pai conversando com um tal de David, que ele descobriu que conseguira convencer os produtores do filme. Ganhara o papel possivelmente mais disputado da história do cinema.

Todos que conhecem Dan, seja da equipe técnica, seja do elenco, o consideram um garoto extremamente simpático e descontraído. Desde o iní­cio das gravações do primeiro Harry Potter, Dan gosta de pregar peças, como, por exemplo, mudar o idioma do celular do Robbie Coltrane, ator que interpreta o Hagrid, para turco. Esses momentos, no entanto, são apenas de descontração, pois Daniel leva seu trabalho muito a sério. Chris Columbus, o diretor do primeiro e segundo filme, declarou que ficou encantado com o talento de Dan, e achou que ele tinha a inteligência de alguém de 35 ou 40 anos.

Ao crescer mais um pouco, sua paixão se convergiu à música. Gosta muito de bandas de rock alternativo, e aprendeu a tocar baixo com o seu ator favorito, Gary Oldman. Além dessa paixão pela música em si, ele declarou algumas vezes que quando precisa interpretar cenas onde Harry está muito nervoso ou muito triste, ele recorre às músicas para mudar bruscamente o seu humor e conseguir “entrar no clima” do personagem.

Quando questionado se a fama lhe é desfavorável, Radcliffe nega. No início fora difí­cil se acostumar a todas as grandes mudanças, visto que fazer parte de uma mega-produção como essa traz consigo alguns detalhes indesejáveis, como ter aulas particulares nos sets por ter que faltar à escola, e ter que se acostumar às pessoas ansiosas o espionando o tempo todo nos bastidores. Depois, no entanto, ele conseguiu se acostumar a esses detalhes, tendo conseguindo tirar nota A em seus três AS-levels que fez em 2006, mas resolveu tirar férias dos estudos para se dedicar a sua carreira em 2006 e 2007. É claro que junto ao fator costume, pode considerar também um considerável aumento de salário – seu salário aumentou em 10 vezes ao assinar o contrato de Prisioneiro de Azkaban – crescente a cada novo filme.

Isso tudo, no entanto, não fez com que a sua personalidade mudasse. Assim como Harry, Daniel tem passado anos de sua adolescência cercado de fama e dinheiro, e tal qual o personagem das histórias de Rowling, Daniel continua humilde. Ele freqüentemente recebe presentes de aniversário e Natal, e vem pedindo para que ao invés disso, seus fãs façam doações à Demelza House, um hospital que acolhe crianças com câncer e suas famílias. J.K. Rowling, ao saber disso, ficou sensibilizada com a atitude do ator, e como uma homenagem ao hospital, deu o nome de Demelza a uma das novas artilheiros do time da Grifinória.

Apesar de Daniel amar interpretar Harry, ele diz que as vezes é preciso tentar interpretar outros papéis, para mostrar a si mesmo de que é capaz de fazer aquilo. Entre o lançamento de Harry Potter e o Cálice de Fogo e Harry Potter e a Ordem da Fênix, Dan fez uma pequena aparição no seriado Extras da BBC, onde representou uma versão barbaramente ridí­cula de si mesmo, e participou também das gravações de December Boys, onde interpretou um dos quatro irmãos órfãos que tinham esperanças de ainda serem adotados. Foi neste filme que Dan teve a primeira chance de fazer cenas de beijos e sexo, mas nada se compara ao imenso impacto causado pela sua participação na peça Equus. Dan incorporou, dessa vez, um adolescente psicótico que tem adorações por cavalos e chega a cegá-los enquanto tem relações sexuais com os animais. Para isso, ele teve que subir no palco completamente sem roupa e interpretar cenas de sexo na frente de centenas de pessoas.

Além de atuar, o ator expressou vários outros desejos. Ainda na indústria do cinema, ele já mencionou se interessar por direção e edição, confirmou que também adora escrever, já se mostrou fascinado e inclinado para a música, tanto na questão de instrumentos – como guitarra – como na vocal, até mesmo dançando Daniel já mostrou que tem talento, quando em Março de 2011, regressou à Broadway com o musical How to Succeed in Business Without Really Trying. Em Fevereiro de 2012 estreou A Mulher de Preto, e neste ano voltou aos palcos com a peça The Cripple of Inishmaan, além de participar dos filmes Horns, The F Word e Kill Your Darlings.

Feliz aniversário, Daniel!