Artigos

Sacrifício de Lílian

Talvez não haja magia mais forte que o amor de mãe. Mesmo Harry Potter, a quem não foi permitido o convívio materno, deve à sua mãe a eterna gratidão da vida, que diretamente, Lílian Potter lhe deu duas vezes

Monique Calmon nos fala hoje sobre o amor de Lily e do sacrifício feito por ela para salvar seu filho da morte. Leia a coluna e deixe seu comentário!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por Monique Calmon

Uma questão que sempre me intrigou em Harry Potter foi o sacrifício de Lílian por seu filho. Ao lermos os livros, descobrimos que Lily morreu protegendo Harry, e por isso ele sobreviveu. Essa revelação é feita a Harry em uma importante cena do primeiro livro, após ele ter perguntado a Dumbledore por que Quirrel não pôde tocá-lo ao tentar recuperar a Pedra Filosofal. Dumbledore responde: “Sua mãe morreu para salvar você. Se existe algo que Voldemort não consegue compreender é o amor. Ele não entende que um amor forte como o de sua mãe por você deixa uma marca própria. Não é uma cicatriz, não é um sinal visível… ter sido amado tão profundamente, mesmo que a pessoa que nos amou já tenha morrido, nos confere uma proteção eterna. Está entranhada em nossa pele. Por isso Quirrel, cheio de ódio, avareza e ambição, compartindo a alma com Voldemort, não podia tocá-lo. Era uma agonia tocar uma pessoa marcada por algo tão bom.”.

Mas e James? Também não morreu por Harry? Não enfrentou Voldemort, tentando impedir que ele chegasse até os dois? Por muito tempo tive essa dúvida, creio que perdi algumas conexões durante minha leitura. Após um pouco de estudo dos livros, finalmente consegui entender o complexo feitiço que tornou Harry o único bruxo a sobreviver a uma Maldição da Morte. Vou explicar.

Descobrimos no “Enigma do Príncipe” que Snape, que sempre amou Lily, pediu para que Voldemort não a matasse. E, de fato, Voldemort iria acatar tal pedido e poupá-la da morte. Só queria matar Harry, o Eleito, e enfim teria o caminho livre para dominar o mundo mágico. Ou seja, se Lily se acovardasse, teria sobrevivido, pelo menos naquele momento, e Voldemort imperaria. Entretanto, ela escolheu morrer protegendo seu filho; seu sacrifício invocou uma magia protetora antiga que nem o Lorde das Trevas tinha conhecimento, e assim começa a história que tão bem conhecemos.

Em relação a essa súplica de Snape por poupar a vida de Lily, um questionamento muito válido seria se Voldemort chegou a desconfiar da lealdade de seu Comensal. Será que ele não percebeu uma possível “fraqueza” em Severo? Talvez seja por “não compreender o amor” que Voldemort ignorou esse fato, e continuou a acreditar em Snape.

A James, no entanto, não foi dada a mesma possibilidade de escolha. Voldemort o mataria de qualquer modo. Snape não fez questão nenhuma de pedir que sua vida também fosse salva. Por isso, apesar de James também estar protegendo seu filho, as circunstâncias não eram tais que possibilitassem uma proteção tal qual Lily forneceu a Harry.

Portanto, Lily poderia ter vivido, mas escolheu dar sua vida por Harry. E foi com essa sua coragem de mãe que Harry recebeu proteção por tanto tempo. E James e ela se tornaram pais presentes até mesmo após a vida. Aos meus leitores, espero que essa reflexão tenha sido útil caso mais alguém carregasse essa mesma dúvida que eu em relação ao sacrifício de Lily.

Monique Calmon sempre acreditou no amor de Snape por Lily.