Aniversários ︎◆ J. K. Rowling

Feliz aniversário, Harry Potter e J.K. Rowling!

A criatura e o criador. Harry Potter e Joanne Rowling. Nomes mundialmente famosos responsáveis por quebrar padrões e estigmas da literatura mundial, e cujos donos compartilham a mesma data de aniversário. Ele nasceu em 31 de julho de 1980, em Godric’s Hollow, ela em 1965, em Yate.

Desde sua infância, Joanne gostava de ler histórias como O Vento nos Salgueiros e O Cavalinho Branco. Escrevia desde pequena, mas foi apenas em junho de 1990, quando voltava de Manchester para Londres, após procurar sem sucesso um apartamento, que surgiu em sua mente uma personagem que mudaria o curso da literatura juvenil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vinte e dois anos depois, podemos afirmar que a influência de Rowling foi tamanha ao ponto de mudar drasticamente a vida de toda uma geração ao redor do mundo. Hoje Jo é venerada pelo sucesso de vendas fenomenal dos livros Harry Potter e pelas portas que abriu nas mentes de crianças e jovens a favor da leitura. Mas não podemos nos esquecer nunca que a autora é um exemplo de generosidade a ser seguido.

Pelo fato de nos orgulharmos com todas as suas ações, não hesitamos em dizer que sim, a tia Jo é nossa heroína, assim como Harry foi e continua sendo nosso herói. Nossos eternos Rei e Rainha. E para homenageá-la, esse ano pedimos para cada membro da nossa equipe de colunistas escrever um texto contando como parabenizaria a autora e o que daria de presente de aniversário. Mas e você? O que diria? O que daria? Confira os textos da nossa equipe em notícia completa e conte-nos, nos comentários, o que você faria.

Veja também em notícia completa um apanhado de vídeos legendados e traduções de entrevistas com a autora. Esperamos assim fazê-los se sentir mais próximos dessa pessoa que, mesmo ausente, é sempre tão presente em cada detalhe de nossas vidas.

Parabéns, queridos Harry e Jo!

ANIVERSÁRIO DO HARRY POTTER E DA J.K. ROWLING
31 de julho de 2012

Vídeos legendados
2011 – Documentário “Who Do You Think You Are?”
No documentário, Jo explorar as raízes francesas de sua mãe, Anne Volant Rowling, e tem revelações surpreendentes sobre seus antepassados.

2011 – Discurso de Rowling na premiere londrina de HP7.2
A autora agradece ao elenco, a equipe técnica e aos fãs.

2011 – JK Rowling fala sobre o filme HP7.2
Jo fala sobre como Chris Columbus e Stuart Craig conseguiram trazer o Salão Principal de forma tão perfeita para as telas, e como foi terrível vê-lo destruído depois de tantos anos.

2010 – JK Rowling no Oprah Winfrey Show
Jo falou sobre o término da série, o relacionamento com o pai, o modo de lidar com a fama, a pressão da imprensa, o poder do dinheiro, a cobrança para superar os livros de HP, disse que continua escrevendo, e contou que um dia poderia voltar a escrever sobre Potter.

2008 – Discurso de JK Rowling na formatura de Harvard
JK Rowling em discurso na cerimônia de formatura de Harvard, durante os quais fez algumas piadas, falou sobre fracassos, imaginação e seu trabalho na Anistia Internacional.

2008 – JK Rowling premiada no British Book Awards
Vídeo de Rowling recebendo prêmio no British Book Awards, onde recebeu o Outstanding Award pelo conjunto de sua obra.

2007 – Documentário “A Year in the Life”
O cinegrafista James Runcie acompanhou JK Rowling durante um ano -no qual a autora terminou de escrever o último livro da série, Harry Potter e as Relíquias da Morte – para criar o documentário “J.K. Rowling… A Year in the Life”, que foi ao ar na TV britânica.

2007 – JK Rowling no Today Show
Jo revela o nome da personagem que ela poupou da morte no sétimo livro, diz que pretende fazer uma enciclopédia das personagens no futuro, que possuem história para se contar mas tiveram suas narrativas cortadas no livro, e muito mais.

2007 – JK Rowling no NBC Dateline

2007 – JK Rowling é entrevistada no Blue Peter
Rowling responde perguntas sobre Harry Potter e as Relíquias da Morte, o parque temático O Mundo Mágico de Harry Potter e “previsões” feitas por previsões de John Barrowman, Anthony Horowitz, Lizo Mzimba e Melissa Anelli sobre o que poderia acontecer no último livro da série. Também vemos neste vídeo o momento que Jo recebeu seu crachá ouro da Blue Peter e depoimentos de fãs da série.

2007 – JK Rowling é entrevistada por Jonathan Ross
Jo fala sobre os últimos dezessete anos que ela passou com o menino bruxo, dez dos quais como uma obra publicada, com elementos que foram baseadas em pessoas que ela conhecia na vida real. Também falou sobre sua primeira reação ao ver sua série se transformando em filme e a construção do parque temático de Harry Potter.

2006 – JK Rowling no Richard & Jude Show

2002 – Documentário “Harry Potter and Me”
Este documentário fala sobre tudo que envolveu Harry Potter, como as primeiras idéias e esboços, suas publicações e o fenômeno mundial que se tornaram os livros. Foi produzido no ano de 2002 com a autora JK Rowling. A britânica fala sobre sua carreira, infância, adolescência, dificuldades financeiras, mostra rascunhos dos livros e muito mais.

1999 – JK Rowling no programa 60 minutes

Entrevistas em texto
“A Vida Antes de Harry”, Radio Times
“Chá & Bolo com J.K. Rowling, Words with JAM

TEXTOS DOS COLUNISTAS

Por Bianca Costi Farias

O que poderia dar para uma das mulheres mais brilhantes e criativas da atualidade? Que presente ela poderia gostar de ganhar? Sempre fui péssima com presentes, mas agora posso fazer um esforço. Presentes devem ser dados com o coração, devem ter um valor muito mais sentimental do que material. Especialmente quando se vai presentear alguém como nossa queridíssima Jo Rowling.

Pensei em algo que pudesse valorizar seu maior dom: sua infinita capacidade de imaginar. Mas o que eu poderia dar que valorizasse isso? Talvez algo que se relacionasse ao mundo fantástico que ela criou, e algo que a lembrasse do carinho que todos sentimos por ela. Mas mais uma vez me perguntei: O QUÊ?

Um presente para Jo não precisa ser algo muito “pomposo”, afinal. Talvez algo humilde, porém de coração, pudesse ser perfeito. Chegando nessa conclusão, pensei em um ótimo presente. Algo tão simples que só pode ser dado com muito carinho, um carinho que qualquer fã sente pela pessoa maravilhosa que ela é. E algo que pudesse possibilitar o crescente desenvolvimento de sua enorme imaginação, tudo ao mesmo tempo.

Acho que muitos de nós, ao lermos os livros, já desejamos um presente como esse. Muitos devem ter pensado “Por que nós trouxas não podemos usar isso no nosso dia a dia?”. Tornaria nossa vida escolar muito mais interessante, e, com certeza, nos faria sentir em Hogwarts.

Enfim, para Joanne Rowling, nossa rainha, eu dou algo que espero que aproveite e use muito. Espero que a ajude a expandir suas ideias, e que isso gere algumas novas histórias.

Meu presente: rolo de pergaminho (de vinte metros), pena (com seu nome gravado) e tinteiro.

Que ela nunca pare de imaginar.

Por Bruno Barros

Presentes de aniversário, por si só, já são problemáticos, agora, um presente de aniversário para J. K. Rowling é centenas de vezes mais problemático. Tento pensar em algo que transmitisse uma mensagem de agradecimento e ao mesmo tempo fosse algo útil, porque sabemos muito bem como é ganhar um presente e ter que dar aquele sorriso meio torto enquanto agradecemos.

A simplicidade mostra muito mais afeto, alegria, pois são nos momentos mais simples em que a felicidade é encontrada, portanto tomo como exemplo dois acontecimentos de nossa fantástica história. Dumbledore diz a Harry que via segurando um par de meias de lã quando olhava ao Espelho de Ojesed, é claro que sabemos que é uma mentira, mas estas meias ajudaram Dumbledore a se refugiar dos fatos do passado. Dobby, o elfo livre, que após receber um pé de meia foi liberto da escravidão e tornou-se fiel a Harry Potter até o fim.

O conforto, a simplicidade, a liberdade, tantos significados em um simples par (ou pé) de meia. Mesmo que elas não sejam tão incríveis que tantos outros possíveis presentes para Jô, seria divertido presenteá-la com um par de meias. Mirabolante? Talvez. Eu nem ao menos sei o número do sapato dela, mas se eu errasse, ela poderia pendurá-las na lareira quando o Natal chegasse.

Débora Jacintho

Quase às vésperas de seu aniversário, JK Rowling emociona milhões de fãs do mundo inteiro com sua aparição na abertura das Olimpíadas de Londres, lendo um trecho de Peter Pan. Nada mais justo e coerente para nossa
rainha do que esta leitura, representando a fantasia e imaginação de tantas crianças (e também de adultos, claro!). JK mudou a vida de milhões de pessoas, que cresceram com seu universo mágico. Mesmo com o final da saga no cinema, a admiração que sentimos por esta diva não diminuiu nem um pouco, e nos emocionamos muito com uma simples leitura de alguns segundos.

Neste seu aniversário, gostaria de lhe dar de presente um pouco de Pó de Pirlimpimpim, para viajar até o mundo mágico da Terra do Nunca. Mais do que apenas o Pó de Pirlimpimpim, o presente incluirá o sorriso e a gratidão de todos os fãs pelo mundo maravilhosamente mágico que ela criou.

Tia Jo, te convido então para embarcarmos juntos, e seguir até a “segunda estrela a direita e rumo ao amanhecer!”. Chegaremos até a terra em que se mantém viva toda a magia e fantasia. Você é responsável por esse sentimento mágico em milhões de pessoas no mundo todo, e por isso te dou de presente essa viagem a ser feita junto com todos os fãs. A sua magia sempre estará presente em nossos corações, e propagaremos esse seu Pó Mágico por várias gerações. Você nos emociona bastante em qualquer momento, queremos retribuir te emocionando ao manter viva a fantasia de seu universo.

Por Heitor Garcia

Saltitante e alegre, uma garotinha com os cabelos loiros e desarrumados caminhava por uma trilha ladrilhada com as mais exuberantes pedrinhas em meio a uma fantástica floresta. O vento, sempre sorrateiro, percorria seu caminho entre os carvalhos ali presentes, dando um ar sombrio e misterioso ao local. As magníficas margaridas e hortênsias expeliam seus perfumes, competindo entre si para decidir quem possui o melhor aroma.

O sol espalhava seu intenso calor e brilho, afastando o frio de até pouco tempo atrás, dando um fervoroso “bom dia!”, e revelando, assim, a encomenda que a menininha sorridente portava: uma caixinha branca como a lua, decorada com um laço de seda azul perfeitamente posto. Trajando vestes exóticas, a menina não parecia se importar com mais nada além da missão que lhe fora conferida.

Mas, mais tarde, o tempo parecia, enfim, ter atingido Luna Lovegood, pois ela parou de espiar sonhadoramente os pequenos animais que produzia em sua imaginação e voltou a caminhar serenamente na direção de uma bela casa no meio da floresta. Chegando lá, bateu duas vezes na porta e, recebida pela dona do lugar, sorriu entusiasmadamente.

– Bom dia, Sra. Rowling! Acho que encontrei alguns gnomos no seu jardim. Eles são tão adoráveis!

– Eu cuidarei bem deles, Luna! – sussurrou, ainda rindo, Joanne Rowling. – O que a traz aqui, querida?

– Eu vim entregar uma coisa para a senhora… Um presente.

– Um presente?

Luna esticou a pequena caixa na direção de Jo e ajudou-a a desamarrar a fita que envolvia o pacote. Dentro, havia um objeto envolto em mais um belo pedaço de seda azul. Antes que Joanne pudesse retirar o tecido que cobria o objeto, Luna falou:

– É do Heitor, Sra. Rowling, em nome de todos os seus fãs…
Os olhos das duas se fitaram, antes que Jo baixasse os seus e, descobrisse dentro da caixa um belíssimo coração feito à mão num tecido fino, costurado cuidadosamente em cada detalhe. Quando voltou a erguer a cabeça, as lágrimas caíam pelo seu rosto.

Por Igor Ferreira

Eu tinha acabado de sair para as ruas de Londres. Fazia um calor enorme e a luz alaranjada dos postes começava a se acender. Mas a única pessoa que insistia em vir visitar-me o pensamento estava a poucos quilômetros dali, aniversariando, tão perto e tão distante, atrás de belos muros cobertos por hera em Edimburgo, junto com aqueles que…

Opa! Num minuto eu estava caminhando e, no seguinte momento, estatelado no chão. Nem havia percebido que a porta da loja havia se aberto e já estava batendo de lado com uma mulher um pouco mais baixa que recuou e bateu contra a parede da loja. Antes que eu pudesse me levantar, uma mão pousou em meu ombro e uma voz doce e enérgica perguntou se eu estava bem. Mas… eu… conheço… essa voz!

Eu me virei e, sem mais nem menos, Joanne Rowling estava de frente para mim, olhando para mim, se preocupando comigo. Levantei meio que bambo e a olhei nos olhos… as palavras bonitas me faltaram e eu apenas pude dizer, além de que estava bem, “Jo, eu te amo! Obrigado por Harry, obrigado por tudo!”. Sem dar conta da minha idiotice, ela, sorrindo, disse “Obrigada” e, então, percebi que um carro esperava-a na beira da calçada. Ajudei-a com as sacolas e, bati a porta do carro, que demorou tempo suficiente para eu encontrar minha carteira aberta e caída perto do meio-fio. Eu me vi olhando para mim mesmo, aos onze anos, faltando um dente, e completamente vestido de bruxo, com o brasão da Corvinal preso à capa. Assim, acometeu-me a ideia de que estar tendo a oportunidade de fazer o que queria ali naquela calçada, eu estava deixando-a escapar. De súbito, tirei a foto da carteira e bati rápido no vidro do carro.

“Sim?” – ela baixou o vidro traseiro do carro e encarou-me. Nesse momento minhas pernas tremeram, mas fui firme.

“Você me deu a minha infância, como a várias outras crianças. Quero que se lembre disso.”– estendi, assim, a foto para ela. Jo a recebeu e olhou, periciando cada detalhe. Por um momento, vi seus olhos se encherem de lágrimas e brilharem contra a luz da noite.

“Certamente eu me lembrarei disso.”

“Feliz Aniversário, Jo.”

“Este é o melhor presente que eu poderia receber hoje. Obrigada.”

Afastei-me do carro com um sorriso no rosto e, enquanto ela sorria para mim em meio a uma lágrima que teimou em rolar, o veículo ganhou distância. De certa forma, eu sabia que meu dia terminara bem e que aquela mulher que eu idolatrava jamais se esqueceria de mim.

Por Larissa Azevedo

O que eu posso dar de presente a uma pessoa que tem tudo? Tive que pensar um pouco até decidir que presente eu daria para a pessoa que escreveu uma das melhores sagas de todos os tempos. Decidi que meu presente seria um Lembrol, por que se algum dia a Joanne esquecer de acender a luz quando tudo estiver escuro, ela se lembre de que existem milhares de fãs que devem uma infância, uma vida à ela. E que não se esquecem, sequer um segundo, da magia que ela proporcionou nas nossas vidas e que são eternamente gratos por isso.

Por Luiz Guilherme Boneto

Não conheço o preço da fama, porque não conheço a fama. Contudo, apesar de todas as glórias que traz o fato de ser uma celebridade, imagino que deva ser péssimo não poder sequer sair à rua para fazer coisas simples.

Se é assim para qualquer celebridade, que dirá JK Rowling, consagrada autora de Harry Potter, que por acaso, aniversaria hoje. Conhecida em todo o mundo, Jo bem deve saber que há ao redor do mundo milhões de pessoas que ficariam encantadas em vê-la ao vivo – eu entre elas.

Neste aniversário, meu presente é muito simples. Relembrando-me dos Contos de Beedle, o Bardo, quero entregar-lhe uma capa da invisibilidade, não apenas para que Jo possa sair tranquila pelas ruas, mas para que possa visitar fãs queridos sem alarde e conhecer alguns eventos que as pessoas criam em honra de Harry Potter, o menino que sobreviveu, e ainda que simples, têm grande simbologia.

Por Monique Calmon

Lá estava eu, na primeira fileira do auditório, com seis outros fãs, todos nervosos de estarem tão próximos a JK Rowling. Ela, sentada a uma mesa no meio do palco, era o alvo de todos os fotógrafos e jornalistas presentes. O locutor a parabenizava pelo aniversário, que seria no dia seguinte. Em um momento, dirigiu-se eloquentemente a nós:

– … E representando seus fãs mundo afora, sete sortudos vieram a esta conferência para fazer-lhe uma pergunta, e lhe desejar um aniversário muito mágico!
Fui a primeira a ser chamada. Tinha uma missão a cumprir, um presente especial a entregar. Levantei-me, carregando uma enorme caixa vermelha, amarrada em fita dourada. Entreguei-a a Jo, que agradeceu com um sorriso bondoso.

– Promete que não vai abrir aqui? – perguntei, rapidamente. Percebi que ela já desfazia o laço, mas, surpreendida, parou.

– Prometo. – respondeu ela, e voltei ao meu lugar. Percebi olhos espantados sobre mim, mas logo a atenção se voltou a um menino que trazia um sapo consigo.

Ao fim do dia, em seu quarto, Joanne se deparou com a caixa vermelha que ganhara, ainda fechada. Abriu-a e dentro viu um chapéu muito velho. Desapontada, largou-o na mesa e foi deitar. Percebeu que o relógio marcava meia-noite. “Parabéns para mim”, pensou. De repente, uma voz estranha ao seu lado fez seu coração disparar, uma música, que era cantada indiscutivelmente pelo chapéu:

“Um simples chapéu velho
É o presente que desejaram lhe dar
Mas não subestime meus poderes
Pois a muitos lugares posso guiar

O que você escreveu já foi vivido
Mas um feitiço de memória
Deixou tudo escondido
Para no inconsciente vagar

Mas toda mágica deixa traços
E toda amizade deixa laços….

Se no passado mais que tinta
Tentaram em vão apagar
Não se surpreenda ao constatar
Que o mundo mágico existe
Que o bem persiste
E que sempre haverá lugar

Para corajosos e ambiciosos
Inteligentes e leais
Pois o castelo de Hogwarts
Não sumirá jamais!”

Após a cantoria, uma incrível sensação de paz invadiu sua mente, como se não houvesse mais preocupações no mundo. Tudo estava bem. Adormeceu instantaneamente, e acordou muitas horas depois, com a lembrança muito peculiar de ter visto o chapéu ao seu lado cantar. Ele agora estava completamente inanimado, e a lembrança parecia loucura. Tentou ignorá-la, obviamente tudo havia acontecido apenas em sua mente. Mas quase pode ouvir as palavras de um velho amigo:

“Claro que está acontecendo em sua mente, mas por que isto significa que não é real?”

Por Natallie Alcântara

Em primeiro lugar, quero desejar a você um feliz aniversário. Gostaria de te dizer várias coisas, mas nenhuma palavra parece ser boa o suficiente.

Sei que muitas pessoas já devem ter lhe falado como amam Harry Potter e como amam você por ter escrito Harry Potter. Não sou diferente delas, mas quero evitar ser repetitiva. Então, vou simplesmente contar a minha trajetória de fã, para que você entenda o quanto sua série teve, tem e sempre terá na mente dos jovens. Eu tinha 14 anos quando conheci Harry Potter. Sempre fui uma leitora voraz, mas além dos contos de fadas, nunca havia parado para ler histórias mais substanciosas e por isso nunca me dei conta do que estava perdendo. Até seu livro cair em minhas mãos. E foi através das histórias dos mundos trouxa e bruxo que eu conheci o gênero que viria a se tornar o meu favorito: o gênero da fantasia.

Desde a primeira vez que li o primeiro livro, soube que essa era uma história muito especial. Não só pelo fato de começar logo com uma pobre criança órfã sendo deixada na casa de parentes afastados, mas pelo fato de o órfão ainda precisar lidar com o resultado do assassinato dos pais. Eu li e me apaixonei. Ao longo de 7 anos, seus livros me proporcionaram momentos variados de tristeza e diversão e também de reflexão, ensinando lições importantes que vou levar para a vida toda. No entanto, preciso te dizer que a principal influência que seus livros tiveram na minha vida foi nas minhas escolhas de carreiras profissionais.

A história do menino bruxo abriu minha mente para o mundo da literatura fantástica, me levando a ler outros autores consagrados. A história dos mundos bruxos e trouxa me fizeram querer conhecer mais a fundo a história do mundo, por isso sou historiadora. Mas principalmente, ler Harry Potter me fez perceber o quanto ler é importante e o quanto seria bom trabalhar com esse instrumento de cultura e informação. Por isso escolhi ser bibliotecária.

Eu estou falando tudo isso para demonstrar o quanto Harry Potter é importante para mim. E você, a criadora de um mundo tão encantador, merece tudo que existe de bom neste mundo. Por isso, no seu aniversário, gostaria de lhe dar dois presentes. O primeiro deles é: muito obrigada por criar uma história incrível, com personagens tão adoráveis! Um simples obrigado parece não expressar exatamente o que eu gostaria de dizer, parece ser pouco, então gostaria de entregar a você esse pingente. Feito de ouro, no formato de um livro aberto, com uma lâmpada (de ouro branco) incrustada sobre o livro, são os símbolos da Biblioteconomia, foi feito especialmente para você, como presente de uma bibliotecária que adora o que faz, e que vê no seu livro uma maravilhosa maneira de estimular a leitura e fazer com que cada vez mais jovens se apaixonem por um mundo tão maravilhoso: o mundo da fantasia.

Muito obrigada por criar Hogwarts. Obrigada por existir.
Um Feliz Aniversário, de uma fã que te ama.

Por Nilsen Silva

É difícil pensar em um presente de aniversário para J.K. Rowling. Praticamente um Beatle da literatura, ela foi a primeira autora da história a se tornar bilionária. Também, vendendo mais de 400 milhões de livros e cativando leitores em 200 países com uma das histórias mais fantásticas que já tive o prazer de ler, isso é o mínimo esperado. Então me ocorreu a seguinte pergunta: o que uma simples estagiária de comunicação como eu poderia comprar que possivelmente a satisfaria?

Fiquei imaginando como seria encontrar com ela e lhe entregar o tal presente. Eu gostaria que nosso encontro acontecesse em algum lugar íntimo, como uma cafeteria, mas não vazio. Acho que eu entraria em pânico se estivéssemos completamente a sós. Pensando bem, acho que eu entraria em pânico só de olhá-la ao vivo. O que dizer? Como agir? Que roupa vestir? Eu entregaria o presente e iria embora? Mas que presente eu lhe daria, por Deus?

Depois de muito imaginar, concluí que, não importa o presente, ela ficaria satisfeita. Fosse a primeira edição rara de um livro que ela adore ou um sapato caríssimo de salto alto. O carinho dos leitores é o retorno do seu trabalho, é o que alimenta o ânimo e a criatividade para continuar escrevendo. Eu também escrevo e sei que, por mais que eu faça isso por mim mesma – pelo meu amor pelas palavras -, também faço para quem lê. É incrível a sensação de ver os comentários e até mesmo as discussões que o seu ponto de vista pode proporcionar.

O meu presente de aniversário para J.K. Rowling não pode ser embrulhado; ele só pode ser sentido. O meu presente de aniversário é um sonoro muito obrigada e um abraço apertado. Só quem sente o mesmo sabe que isso não se compara a qualquer outra coisa que eu poderia dar.

Por Orlando Louzada

O que dar para a pessoa que te deu de presente a melhor infância possível? Certamente nossa infância e adolescência não teriam sido as mesmas sem Harry Potter. Jo trabalhou duro para criar nossos heróis de tinta e papel, que nunca serão esquecidos. Essa mulher fez nosso tempo de criança ser mágico. Um menino que sobreviveu, uma sabe-tudo, um rei dos cabelos de fogo, e uma legião de fãs ao redor do mundo; essa mulher fez muitos de nós deixarmos os vídeo games, deixar a tv um pouco desligada, para soltarmos nossa imaginação ao lado de personagens incríveis que, logo, virariam mito. Isso me lembra uma pessoa. Um certo brasileiro que também fez muitas crianças, no tempo de nossos pais, perceberem que mágica mesmo é a nossa imaginação. Se J. K. lia “O vento nos salgueiros” e “O cavalinho branco” quando criança, nossos pais, tios, irmãos mais velhos, enfim, liam as aventuras de um menino corajoso, uma garota de nariz arrebitado e uma boneca muito, mas muito mesmo, falante.

Toda a obra de Monteiro Lobato certamente virou clássico no nosso país, e até fora dele. Não consigo pensar em presente melhor para dar à Rainha Jo nesse dia mais que especial. Um encontro de culturas. Joanne conheceria a infância de milhares de crianças através desses livros. Talvez até encontrasse uma jiboia nas histórias, e se lembrasse daquele certo vidro, que um dia sumiu. Talvez achasse uma certa semelhança entre o Reino das águas claras e o lago dos sereianos. Quem sabe até daria uma de chapéu seletor para tentar classificar os personagens em quatro casas bem brasileiras: O tatu, a jiboia, o tucano e a onça. A nossa literatura levaria Joanne a algo diferente de Shakespeare, Agatha Christie, Jane Austen, Arthur Conan Doyle…

Tenha um excelente aniversário, tia Jo, também desejo que tenha muita inspiração (sabemos como é difícil escrever em certos momentos da vida) para que nos dê mais presentes maravilhosos com Harry foi. Perdoe-nos se às vezes nos desagradamos com o fato de ter acabado. Agora percebemos que realmente foi melhor assim, afinal a magia está em nós. E também Harry, Rony e Hermione tem que viver a vida deles, não é?

P.S.: O tucano pica.

Por Sheila Vieira

Querida Jo,

Sua participação na cerimônia dos Jogos Olímpicos de Londres me emocionou bastante. Ver que você foi reconhecida como uma das maiores autoras da história do seu país, diante de todo o mundo, foi uma vitória para cada um de nós. Todos que se apaixonaram pela escrita por sua causa. Que cresceram junto com seus personagens e encontraram neles algo que não havia em nenhuma outra obra de ficção.

Mas ainda acho que não é suficiente. Você merece um pouco mais. Por isso, conjurei com minha varinha uma medalha de ouro e estou enviando o pacote através de corujas. Espero que ela chegue bem a sua casa, sem nenhum risquinho, totalmente brilhante. Coloque-a em seu pescoço e sinta o gosto da vitória. Seus adversários durante a vida foram muitos, mas você superou todos. Essa é sua recompensa.

Como em todas as vezes que um atleta brasileiro sobe ao pódio, sinto que cada conquista sua também é um pouco minha.

Feliz Aniversário.