Sem categoria

Leia o relato de uma integrante do Mugglenet sobre ‘Harry Potter: A Exposição’

No inicio desse mês tivemos a primeira parada de Harry Potter: A Exposição na Ásia. O local escolhido, Singapura.

A exposição conta com um grande acervo de acessórios, figurinos e cenários que se apresentaram nas telas dos cinemas durante uma década. Uma integrante do fansite estrangeiro Mugglenet teve a oportunidade de visitar a exposição no primeiro dia, e preparou um relato de tudo que viu, que incluiu desde mandrágoras raivosas nas estufas até o grande banquete no Salão Principal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“[…] Enquanto eu deixei a exibição de mãos vazias, minha mente está certamente girando por toda a incrível jornada que acabei de experimentar. Atingida por admiração, e pelas estrelas, também, eu agradeço ao MuggleNet por ter me permitido embarcar nessa nostálgica e ainda sim despertadora excursão, e olhar para a equipe por trás dos filmes de Harry Potter com um respeito renovado […]”

Tendo feito várias paradas nos últimos anos, a exibição permanecerá por lá até o dia 30 de setembro e depois migrará rumo a outro país.

Leia o relato traduzido de Nicolette Mok no modo notícia completa.

HARRY POTTER: A EXPOSIÇÃO
Resenha de Nicolette Mok

Mugglenet
02 de junho de 2012
Tradução: Juliana Torres

Museu ArtScience, Marina Bay Sands, Singapura

Uma “homenagem à arte e ao artesanato”, “contando a história da criatividade humana”, são as palavras de Eddie Newquist (Oficial Criador Chefe da Global Experiences Specialists, Inc.) e Nick Dixon (Diretor Executivo do Museu ArtScience, Marina Bay Sands, Singapura), Harry Potter: A Exposição promete levar os visitantes à jornada incrível enquanto eles revivem o conto atemporal de J.K. Rowling nessa parada do tour em Singapura.

Exibindo artefatos que vem diretamente dos sets dos oito filmes, a primeira parada asiática da amostra tem algo extra nas lojas para os fãs aqui – todas as Horcruxes foram coletadas e estão em exibição, com exceção de Harry, é claro, e Robin Stapley (Diretor de Criação de Harry Potter: A Exposição) vai te contar isso. Porém, vamos falar disso mais tarde, pois a repórter aqui os entediará com pequenos detalhes da sessão de perguntas e respostas para a imprensa.

Sessão de perguntas e respostas

Presentes na sessão de perguntas e respostas estavam Newquist, Dixon, Stapley e – vocês acertaram – James e Oliver Phelps, os maravilhosos e estonteantes caras que interpretaram os gêmeos Weasley nos filmes. Vocês podem apenas imaginar como essa tiete ficou, levando em conta que quase nunca há um evento Potteriano em Singapura. O tempo disponível para perguntas foi limitado, mas os cinco homens graciosamente responderam com o máximo de informação que conseguiram. Como descobrimos em breve, a amostra era de fato um “trabalho de amor” (sem remuneração) com os estúdios Warner Brothers, que generosamente doaram os artefatos originais dos filmes para dar a todos os fãs a oportunidade de conhecer, de primeira mão, o artesanato requintado dos adereços. Os homens por trás da exibição, certamente, fizeram o possível para garantir que a maior variedade de memorabilia estivesse disponível, permitindo aos visitantes uma jornada mais completa ao mundo de Harry. Os gêmeos Phelps, também, não mostravam nada além de admiração pelos itens na exposição, falando da atenção que foi dada a cada detalhe em cada fantasia, adereço, set. Especialmente, eles falaram sobre os produtos da Gemialidades Weasley, que era embalagens realistas e não apenas caixas vazias. Esses pequenos detalhes como “se-piscar-vai-perder” são, de fato, as coisas que justamente a exibição abrange. Não é apenas uma jornada pela memória dos fãs, é também o reconhecimento de dez anos de tremendo esforço colocado na tentativa valente de fazer justiça a prosa mágica de J.K. Rowling.

Seleção

Logo era hora de embarcarmos no tour guiado, liderado por efervescentes Newquist e Stapley. Fomos introduzidos numa sala com luz fraca, onde nosso silêncio apreensivo foi quebrado por uma voz alegre de um de nossos guias, nos convidando para a Cerimônia de Seleção, mas antes nos lembrando amigavelmente que nossos aparelhos comunicativos trouxas não funcionariam na arena onde estávamos prestes a entrar. O Chapéu Seletor então impressionou alguns fãs sortudos os selecionando para casas para as quais eles haviam expressado certa parcialidade.

Expresso de Hogwarts

Fomos então levados a um quarto completamente escuro, onde a única iluminação vinha de oito telas que mostravam os pôsteres dos filmes. Assim que as portas se fecharam atrás de nós – com um bang dramático, eu devo acrescentar – uma música calma começou a tocar. Qualquer noção do mundo exterior foi banida de nossas mentes, e nós ficamos completamente imersos no mundo de Harry Potter enquanto Hedwig’s Theme ecoava em nossos ouvidos e clipes dos filmes passavam nas telas. Mas claro, nós estávamos lá para mais surpresas, quando a lateral da sala se levantou repentinamente e revelou nada mais nada menos que o verdadeiro Expresso de Hogwarts, cercado majestosamente por um vapor crescente, resplandecendo em sua glória lustrosa. Estávamos no caminho para Hogwarts.

Salão Comunal da Grifinória

Nosso próximo destino nos recebeu com uma parede adornada por numerosos quadros que se moviam, incluindo da Mulher Gorda. Um salão caseiro e circular, coberto por memorabilia vermelhas e douradas – sem dúvida havíamos entrado no Salão Comunal da Grifinória. O que eu amei mais foi um quadro de avisos que trazia notas feitas a mão por estudantes, desde itens perdidos até avisos de recrutamento, dando um toque de realismo ao Salão. Esse é um detalhe adorável que eu realmente não reparei nos filmes! Foi interessante notar que, de acordo com nossos guias, esse quadro funcionou de duas maneiras, pois sua parte de trás servia como quadro-negro para a sala da Professora McGonagall.

Dormitórios Masculinos da Grifinória

O Salão Comunal levava ao dormitório masculino e lá conhecemos alguns hábitos de Harry e Rony. As duas camas pareciam bagunçadas e desarrumadas – suponho que os elfos domésticos não tiveram a chance de ir lá limpar ainda! A parede do lado da cama de Rony estava coberta por pôsteres do Chudley Cannon; enquanto isso, o baú de Harry estava aberto ao pé de sua cama, mostrando itens como uma caixa descartada de chocolates batizados de Romilda Vane, e o Mapa dos Marotos.

Salas de Aula

Bem descansados pelo nosso tempo na Torre da Grifinória, estavam na hora das aulas! O próximo cômodo exibia artefatos de todas as aulas de Hogwarts,desde livros até figurinos que os professores tinham que usar no set. Aliás, o time GES passou duas semanas inteiras no Salão Principal nos estúdios Leavesden para juntar os artefatos para a exibição. As folhas de teste, a varinha (a maior de todo o elenco, talvez para combinar com sua personalidade) e artigos de papelaria lilases do professor Lockhart eram um espetáculo para ser visto, mas nem mesmo isso conseguia se equiparar a um quadro ornamentado em tamanho real dele, que era o centro de sua exposição. Os outros professores de Defesa Contra a Arte das Trevas também receberam seus próprios espaços na exibição, com o de Remo Lupin dominado por um bicho-papão se agitando dentro de um velho guarda-roupa, amavelmente manchado pela equipe de filmagem e vibrando com tanta intensidade que nós estávamos quase certos de que iríamos enfrentar nossos maiores medos. O “escritório” de Umbridge era uma cena direta do set, com paredes rosas, cadeiras e até mesmo tinta. Seu figurino rosa estava orgulhosamente exposto em sua mesa, com as elegantes vestes negras de Cornélio Fudge ao lado. Outras memorabilia como pergaminhos e penas abarrotavam sua mesa, e eu fui impressionada especialmente pelos aviõezinhos de papel do Ministério da Magia que tinham realmente texto neles.

Essa repórter ouviu as estufas de Herbologia antes mesmo de vê-las. Uma fileira de Mandrágoras formava a atração principal, e gemiam a ponto de romper os tímpanos quando eram puxadas. Nós, trouxas, não recebemos nenhum protetor de ouvidos, infelizmente, mas sobrevivemos para contar a história!

O clima escureceu de forma palpável enquanto nos aproximávamos do domínio dos professores Snape e Slughorn, as masmorras de Poções. Fluídos insidiosamente coloridos estavam estocados numa miríade de frascos e tubos de ensaios de formatos estranhos. Uma caixa de bezoar estava aberta, enquanto algo com aparência sinistra de carne humana estava dentro de grandes jarros. O espaço da professora Trelawney, entretanto, era relativamente pequeno, com apenas itens de Adivinhação como uma xícara de folhas de chá no display. Nós mal tivemos tempo para tentar ler as folhas quando fomos arrancados para a próxima parada – a quadra de Quadribol!

Quadribol

A quadra se revelou um paraíso para fãs de Quadribol, tanto bruxos quanto trouxas. As vestes de Quadribol dos times nacionais da Bulgária e da Irlanda – como também as da Grifinória, Sonserina, Lufa-lufa – estavam presentes orgulhosamente entre diversos troféus que incluíam, por alguma razão, um “Diploma de Transfiguração”. As Nimbus de Harry e Draco também estavam em exibição, porém eu adoraria mesmo colocar minhas mãos numa Firebolt. Completando essa mostra, havia um baú com bolas de Quadribol diretamente dos filmes, vários jornais de Quadribol, um programa da 422ª Copa Mundial de Quadribol, e alguns pares do que pareciam ser Omnioculars. O destaque da “quadra”, entretanto, era a área interativa onde essa repórter se divertiu horrores arremessando Goles de tamanho real nos aros!

Hagrid

Depois do Quadribol vieram duas sessões inteiras devotadas a Hagrid – seu trecho de abóboras do Prisioneiro de Azkaban, e esse largo espaço que formava de maneira realística sua grande cabana. Figurinos que os próprios atores usavam reencenavam a cena da suposta execução de Bicuço, com o boneco de Macnair olhando ameaçadoramente para os pequenos figurinos que Daniel Radcliffe, Rupert Grint e Emma Watson vestiram tantos anos atrás. Bicuço, o de verdade que foi feito para o filme, ficava orgulhoso no fundo, completo com penas que foram, segundo nossos guias, trabalhosamente inseridas pelos seus criadores. A cabana de Hagrid, por outro lado, dava a impressão real de seu tamanho; nós fomos convidados a nos afundar em sua enorme poltrona sem fim. Outros artefatos incluíram seu guarda-chuva rosa, uma cópia de Criaturas Fantásticas e Onde Habitam e o ovo de Norberto, que dominava a sala de jantar. Engradados e outras quinquilharias adornavam suas paredes e seu teto, dando um aspecto um tanto desordenado à cabana, que, junto com um cheiro esquisito, contribuiu com toda a experiência.

A Floresta Proibida

Lá na Floresta Proibida, a atmosfera aconchegante se alterou drasticamente, e nós praticamente andamos na ponta dos pés através de uma névoa real, cautelosos com as criaturas sinistras que estavam em exibição. Centauros magnificentes, um terrível Rabo-Córneo Húngaro, um dos descendentes de Aragogue, e até mesmo um adorável bebê Testrálio estavam posicionados entre as folhagens da Floresta. Entretanto, se eu já achei essa sessão assustadora, a próxima que nós entramos foi com certeza sinistra.

Arte das Trevas

A exibição “das Trevas” era composta por mementos dos vários encontros de Harry com Voldemort e outras forças das trevas durante a história. Havia as vestes de Quirrel, relíquias dos obstáculos feito pelos professores para proteger a Pedra Filosofal, e a Pedra mesmo do primeiro filme. O segundo estava representado por uma estátua de um Colin Creevey petrificado que foi usada no filme, posicionada ao lado das vestes da Sonserina de Tom Riddle. A estátua do Anjo da Morte do cemitério de Little Hangleton do quarto filme também estava na exibição, junto com algumas roupas desmazeladas de Azkaban, e Monstro. Uma forma imaterial de Dementador flutuava sobre nossas cabeças, fazendo com que aqueles com corações mais fracos dessem pulinhos de susto. Nossos guias também nos fizeram ficar num lugar especial onde, com a ajuda de efeitos sonoros impressionantes, nós ouvimos o próprio Voldemort sussurrando em nossos ouvidos…

Como se fosse uma fila, nós fomos encaminhados à exibição dos Comensais da Morte, onde as vestes de Belatriz e de Voldemort estavam ao lado de várias máscaras de Comensais da Morte de diversos filmes, como também a adaga de Belatriz das Relíquias da Morte, uma coisinha linda e letal. Uma Marca Negra, digitalizada para parecer como uma fumaça fina, flutuava sobre os artefatos intensificando a sensação agourenta.

E finalmente, finalmente, nós vimos as cobiçadas Horcruxes – disponíveis ao mesmo tempo para o público pela primeira vez. O anel original, a taça, o medalhão, o diário e a tiara dos filmes ordenados magnificamente, exibindo todo um esplendor intrínseco. Nagini, entretanto, permanecia fielmente ao lado das vestes de Voldemort. Harry, claro, estava visivelmente faltando.

Salão Principal

Nós então passamos por algumas paredes com pôsteres de “Procurado” exibindo os Comensais da Morte, e avisos públicos com instruções de segurança de ‘Enigma do Príncipe’, antes de chegar ao suntuosamente decorado Salão Principal, completo com velas flutuantes! Alguns Decretos Educacionais do reinado de Umbridge ofereciam uma leve diversão, enquanto as cores e símbolos das casas suspensos davam uma aura de grandeza ao Salão. As portas, paredes, e painéis pareciam autênticos, e nós fomos informados de que moldes foram tirados para ter a escala que traria os fãs o mais perto possível dos sets originais.

Outros artefatos no Salão Principal seguiam temas específicos, e cantos aleatórios eram devotados a partes pequenas, porém importantes, dos filmes. A taça do Torneio Tribruxo e uma cópia de A Vida e As Mentiras de Alvo Dumbledore estavam de um lado, enquanto as vestes de Fred e Jorge estavam do outro junto com um monte de deliciosamente coloridas Geminialidades Weasley que incluíam aparentemente Mata-Aulas genuínos. Um jogo de tabuleiro de Quadribol do filme O Prisioneiro de Azkaban também estava exposto, junto com artigos do Profeta Diário, com textos completos. Estavam juntos os figurinos de Tonks, Sirius, Dumbledore e McGonagall e também o boneco que “interpretava” Dobby, ao lado de uma pequena caixa que continha as Relíquias da Morte. Notavelmente, a Pedra da Ressurreição era muito menor do que eu imaginava que seria, mas era da mesma maneira um artesanato requintado. A sessão do Baile de Inverno, decorada opulentamente, exibia figurinos ostensivos e a escultura central de gelo mostrada no quarto filme. Então veio o próprio herói da Grifinória, Neville Longbottom – seu figurino ao lado da espada de Godric Gryffindor e de uma Fawkes completamente crescida e magnífica.

Minha parte favorita do Salão Principal, porém, não foi outra que não a área de jantar no meio. Carnes com aspecto genuíno, sorvete e pudins adornavam a mesa, nos transportando virtualmente direto para um banquete em Hogwarts. Os tons decadentes não paravam por aí, pois bolsas de produtos da Zonko’s e da Dedosdemel também estavam expostas, com jarras de doces, caixas de Delícias Gasosas, Sapinhos de Chocolate e o gosto nos tentando extremamente.

Loja de Souvenirs

Brevemente, nós fomos guiados através de um corredor cheio de quadros nos aplaudindo, completo com efeitos sonoros. Uma loja de souvenirs em seguida, com memorabilia potteriana com preços exorbitantes debaixo de placas como “Gambol & Japes” e “Borgin e Burkes”, completando a experiência total. Foi certamente um teste de autocontrole que essa repórter exerceu usando cada centímetro de disciplina para não esvaziar sua carteira numa réplica da varinha de Sirius Black!

Enquanto eu deixei a exibição de mãos vazias, minha mente está certamente girando por toda a incrível jornada que acabei de experimentar. Atingida por admiração, e pelas estrelas, também, eu agradeço ao MuggleNet por ter me permitido embarcar nessa nostálgica e ainda sim despertadora excursão, e olhar para a equipe por trás dos filmes de Harry Potter com um respeito renovado.