J. K. Rowling ︎◆ Livros

Prefácio de J.K. Rowling para o livro Dear Me: A Letter To My16-Year-Old Self

Essa semana foi lançado um livro nos Estados Unidos intitulado Dear Me: A Letter To My Sixteen-Year-Old Self (Prezado Eu: Uma Carta Para Mim Mesmo aos 16 Anos de Idade), cujo prefácio é escrito por J.K. Rowling, a autora de mais prestígio na história da literatura atual.

Como já havíamos notíciado, no livro, mais de 70 nomes conhecidos deixam uma carta para si mesmo aos 16 anos de idade, entre eles Alan Rickman (Severo Snape), Stephen King, James Franco e John Waters. Abaixo, você lê o emocionante depoimento de Jô Rowling para o livro:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este é um livro pequeno, extraordinário, baseado em uma idéia simples, mas maravilhosa: O que você diria para si mesmo se estivesse cara a cara com você aos dezesseis anos de idade? Uma das muitas coisas que me deixou encantada e me tocou quando li as cartas que se seguem é a comunhão de nossas experiências humanas. Quase todo mundo que escreveu, quer a sua carta seja alegre ou triste, parece ter olhado para trás em seus egos mais jovens com compaixão, lembrando o quão vulnerável e perigosa é a idade dos dezesseis anos, para toda a diversão e liberdade que é suposto implicar.

A mensagem esmagadora deste corpo de letras parece ser: Seja você mesmo. Ser mais fácil em si mesmo. Torne-se a si mesmo, tão plenamente quanto possível.

A tentativa de isolar aquelas lições de vida que eu poderia passar de volta para a garota que eu costumava ser, é um exercício verdadeiramente esclarecedor. Isso me fez olhar para a minha filha de dezessete anos de idade, e me lembrar, que de uma forma mais poderosa do que nunca, como a vida é crua e viva para ela, da mesma forma que tem sido apenas de forma intermitente para mim como adulta. Eu não voltaria aos dezesseis para qualquer coisa que me oferecessem, ainda assim eu reconheço que lá tem algo que eu perdi ao longo do caminho, algo que eu tinha a perder para ficar sã.

Você pode ter escolhido este livro por interesse em algumas das pessoas fascinantes que contribuíram. Eu não acho que você vá ficar desapontado. A grande coisa sobre essas cartas é que elas são extremamente reveladoras, seja ela curta, longa, cheia de conselhos práticos ou reflexões metafísicas.

Quaisquer que sejam suas motivações em comprar este livro, obrigada. Um dólar por cópia beneficiará Doctors Without Borders.

Finalmente, deixe-me convidá-lo a usar as páginas em branco no final do livro para escrever sua própria carta para si mesmo aos dezesseis anos de idade. Acho que você vai achar mais instigante e interessante do que imagina, assim como todos nós.

“Dear Me: A Letter To My 16-Year-Old Self” já encontra-se em pré-venda no site da Amazon, e você ainda pode conferir a imagem da capa do livro através desse link. Mais informações você não deixa de encontrar no Ish.