Artigos

A mística do Halloween em Hogwarts

No dia 31, todos os bruxos do mundo celebram o seu dia! Os trouxas também gostam da festa, mas de um jeito um pouco estranho: vão de casa em casa pedindo doces ou então aprontam uma “travessura” (qualquer que seja o significado disso). Mas o Halloween de Harry Potter tem algo de diferente.

Se você reparar, vários fatos fundamentais na história de Harry aconteceram em 31 de outubro. Não lembra? Leia nossa nova coluna, relembre outros Dia dos Bruxos que não foram citados e diga como você vai comemorar!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



por Sheila Vieira

Uma coisa muito bacana dos livros de Harry Potter é que, por mais que as tramas, alguns personagens e o foco principal da narrativa mudassem a cada volume, havia uma sequência de datas marcantes que nos situavam na história. Por exemplo, sempre éramos acolhidos pelo livro no aniversário de Harry. Curiosamente, no dia mais importante de sua vida, ele geralmente ficava sozinho ou com pessoas que não se importavam minimamente com a sua existência.

A chegada em Hogwarts, o Natal, os exames finais… o HALLOWEEN! Tudo dava uma sensação de viver aquela realidade, passar por todas aquelas fases e chegar a um final morrendo de vontade de recomeçar e descobrir como será o próximo aniversário do Harry. Mas vamos pensar apenas no Halloween, ok?

No primeiro ano, todos os alunos se empanturravam comida que os elfos (se bem que só saberíamos mais deles mais para frente) faziam, particularmente as coxas de frango devoradas sem piedade pelo Rony. Então surge o Quirrell dizendo que um troll estava solto pela escola e todos entram em pânico.

Enquanto os alunos eram guiados pelos professores, Harry e Rony se lembram de Hermione, que chorava no banheiro após sofrer “bullying” do seu futuro marido. Eles decidem buscá-la e encontram com o troll. Após salvarem a Miss Granger e enfrentarem a primeira de inúmeras broncas, os rapazes reconhecem que gostam da até então mala sabe-tudo e temos a formação do Trio.

Em “Câmara Secreta”, acontece algo importante para a trama e para nós, leitores. O Halloween foi manchado pela reabertura da Câmara através da futura esposa de Harry, Gina. Antes disso (os filmes ignoraram, mas nós não), eles estavam no aniversário de morte de 500 anos de Nick Quase-Sem-Cabeça. Com a data de 1492 que Rowling deixou escapar (ou não), soubemos que o “presente” era 1992. Ou seja, que Harry havia nascido em 1980.

O ataque à Mulher Gorda foi o grande “bafo” do Halloween em “Prisioneiro de Azkaban”. Foi importante por trazer pela primeira vez a ideia de que forças externas poderiam sim ameaçar a segurança de Hogwarts e surpreender Dumbledore e Snape. O ato de Sirius Black também despertou bastante a curiosidade de Harry de saber qual era a sua ligação pessoal com o prisioneiro.

O último acontecimento bizarro de Halloween foi em “Cálice de Fogo”, o dia do sorteio para o Torneio Tribruxo. Aparentemente um dia normal, de festa, em que Harry não deveria ser protagonista, e o destino o coloca no centro das atenções. O cálice o escolhe, arrisca sua vida e indiretamente o coloca frente a frente com Voldemort pela primeira vez desde o encontro quando Harry tinha um ano de idade.

A complexidade da história e a sucessão de fatos ligados ao desfecho da obra impediram que houvesse outros momentos marcantes no Halloween de Hogwarts. Porém, é notável a intenção de Rowling de dar um primeiro empurrão na narrativa central da trama daquele volume no Halloween. É como se a parte anterior fosse um ritual acolhedor (Dursley, aniversário, Harry retorna ao mundo bruxo de um jeito estranho, ida para Hogwarts, primeiras aulas) e o Halloween fosse um ponto de virada para o verdadeiro mistério e para a descoberta de mais uma peça num quebra-cabeças que unia as vidas de Harry e Voldemort.

Como a morte dos pais de Harry… no Halloween.

Sheila Vieira finge que é atacada por um troll em todo 31 de outubro.