As Relíquias da Morte ︎◆ Parte 2

Lembrol: Falta 01 dia para Relíquias da Morte parte 2!

Minha história HP

Há duas situações marcantes na minha vida, na qual a série da JK Rowling fez uma grande diferença. A primeira salvou minha vida e a segunda abriu as portas da leitura.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ano era 2002, eu passava por uma grande mudança em minha vida pessoal, eu com 27 anos estava me separando do pai de minha filha, na época com 7 anos.
Foi um momento horrível onde tudo o que eu mais queria era sumir, fugir, estar em outro lugar. Não tinha o hábito de ler, mas quando assisti o filme “Harry Potter e a Câmara Secreta”, me interessei tanto que resolvi comprar o próximo livro da série, “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban”.

Como podem ver comecei a ler os livros a partir do terceiro, tarde para a maior parte dos potterianos. Porém quando mergulhei naquele universo à parte, no mundo maravilhoso da literatura da JK, com os seus detalhes, dramas e tramas, num enredo que me envolvia e me levava para bem longe; longe de todas as minhas dores e problemas, eu não queria voltar. Queria morar em Hogwarts, beber suco de abóbora, comer doces de caldeirão, fazer feitiços e poções e até mesmo voar em uma vassoura…

Naqueles anos a seguir posso dizer que a série, a história de Harry Potter salvou minha vida, me devolveu a capacidade de sonhar e viajar para mundos tão diferentes da minha dura realidade e voltar a ser feliz.

Por fim minha vida se arrumou, mudei e passei a morar com minha filha, mais próxima da minha mãe e dos meus irmãos. A minha paixão pelos livros da série, que eu lia e relia várias vezes, assim como os filmes, despertaram a curiosidade em meus sobrinhos que viviam muito próximos de mim e na época tinham idade entre 9 e 14 anos. Eles também resolveram ler, devoraram (e quase destruiram meus livros) e a paixão da leitura se expandiu em minha família.

Uma das maiores satisfações que tive foi quando minha cunhada me disse em relação aos seus dois filhos uma menina de 10 e um menino de 14: “Tu conseguiste o que eu nunca consegui; fazer com que meus filhos lessem livros.” E que livros! Quando a Ordem da Fênix foi lançada com suas mais de 700 páginas (eu já tinha lido na net), mas ainda assim devoramos em dois dias.

Durante estes últimos 9 anos desde que esse mundo mágico entrou em minha vida, pude enfrentar os meus medos de maneira mais simples e amena. Como entender que uma depressão é culpa tão somente dos dementadores? Que chocolate é um extraordinário remédio para a tristeza? E que o Amor é a magia mais poderosa que existe no mundo?

Hoje tenho 35 anos e orgulho de ser fã desta obra maravilhosa criada por uma mãe como eu, que se separou, passou trabalho, mas por amor a sua família trabalhou, lutou e conquistou a vitória. Enfim essa é a minha história, talvez não seja algo de tão extraordinário aos olhos de outras pessoas, mas na minha vida foi marcante e vai ficar para sempre. Afinal Hogwarts sempre vai estar lá para aqueles que precisarem.

Helenize dos Santos Ribeiro, 35 anos, Uruguaiana – RS.