Colunas ︎◆ J. K. Rowling ︎◆ Luiz Guilherme Boneto ︎◆ Mariana Rezende ︎◆ Personagens ︎◆ Sheila Vieira

Feliz Aniversário, Harry Potter e J.K. Rowling!

Chegamos ao dia 31 de julho, o mais importante do “calendário potteriano”: a data do nascimento de J.K. Rowling e de sua maior criação, Harry Potter. A autora britânica completa 46 anos, enquanto o bruxo comemora 31 primaveras (ou melhor, verões). Duas pessoas que mudaram nossas vidas e nos inspiram há anos.

Alguém pode perguntar a Rowling o que ela fará para celebrar, mas infelizmente não podemos fazer o mesmo com Harry. Portanto, alguns dos colunistas do Potterish decidiram imaginar como seria o aniversário do marido de Gina Weasley. Leia a extensão e escreva nos comentários como você acha que Harry comemorou!





Por Luiz Guilherme Boneto 

Harry despertou cedo naquela manhã. Olhou para o lado, tentando focalizar o grande relógio da parede à luz fraca da manhã. “Minha visão está piorando”, pensou ele, tateando à caça dos óculos na mesinha de cabeceira. Gina ainda dormia profundamente, e pudera; era domingo, e não passava das sete da manhã. Harry sentiu-se totalmente desperto e irritado: pretendia dormir até mais tarde, justamente por ser domingo, e também por ser seu aniversário.

Tirando novamente os óculos, Harry aconchegou-se ao lado de Gina para tentar adormecer novamente. Mas quando estava quase conseguindo dormir, um grande estrondo assustou-o e a porta do quarto escancarou-se com força; Tiago, Lilian e Alvo adentraram o quarto, numa luta para ver quem seguraria a bandeja de café da manhã repleta de guloseimas que, no momento, era mantida no alto por Tiago.

– Sou eu quem vai dar o café da manhã do papai!
– Tiago, me dá!
– Sou eu quem vai dar!
– Ei! – berrou Harry, sobrepondo-se à balbúrdia. – Chega!

Os três se viraram para ele, sorrindo, e começaram a cantar canções de aniversário, agora acompanhados por Gina, que ainda tentava desgrudar os olhos sonolentos.  Juntos, eles comeram tudo o que os três garotos prepararam para Harry, que desistindo de tentar dormir, levantou-se e vestiu-se, alegre, para festejar mais um aniversário ao lado da família. Como fazia todos os anos, ele se lembrou irresistivelmente dos aniversários que passava ao lado dos Dursley, totalmente em branco. E olhou ao redor, para a sua família, para as pessoas que mais amava no mundo. Ou melhor, para quase todas. Ainda faltavam Rony e Hermione naquele distinto grupo. Mas com certeza, os amigos (e cunhados) não iriam demorar a chegar.

Por Sheila Vieira

 Profeta Diário, 31 de julho de 2011 

Entrevista do dia

Os mais novos podem não se lembrar, mas certamente já ouviram falar sobre ele. Com apenas um ano de idade, ele sobreviveu ao ataque do Lorde das Trevas. Já adolescente, derrotou novamente o bruxo mais temido da história após ter vivido anos com parte de sua alma presa a ele. Completando hoje 31 anos de idade, Harry Potter tem uma vida atribulada como auror, mas encontrou tempo para conversar rapidamente com o Profeta Diário. Confira a entrevista:

Como você pretende comemorar seu aniversário, Sr. Potter?

Geralmente, nos meus aniversários, eu tento fazer coisas tranquilas, mas acabam inventando uma festa para mim. Quando era pequeno, o dia 31 de julho nunca foi muito festivo. Meus tios trouxas não comemoravam e sempre acontecia algo importante que desviava meu foco, então me acostumei a comemorar apenas com as pessoas mais próximas. Desta vez, pretendo arrumar um tempo e visitar um lugar para onde não vou há algum tempo, a antiga casa dos meus tios em Surrey. Queria ver quem está morando lá, se mantiveram o armário embaixo da escada, onde dormi durante minha infância. Só olhar o lugar.

Todos sabemos que o Sr. derrotou o Lorde das Trevas em Hogwarts. Qual é a sua relação com a escola hoje em dia?

Ah, ainda tenho bastante contato com Hogwarts, porque há muita gente da minha geração trabalhando lá, como o Neville Longbottom, que virou professor de Herbologia. É até engraçado pensar que as pessoas que viveram momentos muito importantes comigo estão agora sob o comando da situação. Em pouco tempo, meus filhos estudarão lá, será muito emocionante vê-los seguindo meus passos.

Como o fato de ter impedido o domínio do Lorde das Trevas tão novo mudou a sua vida? O Sr. gostaria de não ser famoso?

É difícil dizer, porque, desde que conheci o mundo dos bruxos, aos 11 anos, sempre convivi com pessoas dizendo meu nome e meus feitos, mas eu nunca me senti tão importante assim. Claro que assumi as minhas responsabilidades e riscos, mas tive muita ajuda. Acho que o meu maior feito foi ter cultivado tantas boas pessoas ao meu redor, que me ajudaram a tomar as decisões certas. Se há algo que eu gostaria de ensinar aos meus filhos, é isso: valorize aqueles que estão ao seu lado. Porque assim, mesmo nas horas mais difíceis, você se sentirá fortalecido.

 

Por Mariana Rezende

Tudo estava fresco e imóvel naquele começo de manhã. A respiração de Ginny ao seu lado permanecia estável, assim como o avançar da claridade pelas frestas criadas entre as cortinas. Passar vários dias ensolarados ao lado de Ginny – ao invés de simplesmente usá-los para descrever o quão bem ela beijava – acabara sendo muito melhor do que as suas fantasias mais otimistas durante a adolescência. A rotina lhe era muito bem-vinda, pois indicava que tudo estava bem. Que nada apareceria de surpresa, sem nem pedir licença, para alterar os acontecimentos.

E naquele exato momento três coisas aconteceram simultaneamente, provavelmente movidas pelo puro prazer de vê-lo com cara de paspalho: três crianças invadiram o quarto, berrando como se não houvesse amanhã, um prato se espatifou na cozinha e a sombra de duas corujas – seguidas de mais duas – passaram despercebidas pela janela, encobertas por muitos pezinhos e mãozinhas; e abraços, e “feliz aniversário, papai!”. Harry tinha a sensação de que havia sido atingido na cabeça por um balaço (talvez devido à cotovelada dada por Ginny, ao acordar assustada com tudo aquilo), e o animal em seu peito vibrou com puro júbilo enquanto ele tateava o criado mudo à procura de seus óculos. Assim que o mundo entrou em foco, recebeu um cartão de aniversário onde todos eles apareciam retratados como bonecos meio magrelos e tortos (fazendo-o lembrar de um certo garotinho de joelhos ossudos que dormia embaixo das escadas). Embalado pelo coro de “Parabéns a você” desafinado que emanava do cartão – uma das especialidades de Ginny – Harry sorriu.

A sala havia sido tomada por corujas. Ao contrário do que o Tio Válter um dia acreditou, o correio bruxo funcionava aos domingos e, neste domingo, dezenas de admiradores dedicaram os primeiros momentos do dia para rabiscar num pergaminho os votos de felicidade para Harry Potter. Na cozinha, Teddy recolhia os últimos caquinhos do prato espatifado com uma agilidade proveniente dos anos de prática. O café-da-manhã feito por ele estava muito acima do esperado para um garoto de 13 anos, o que apenas incentivava Harry a convidá-lo mais vezes para passar a noite durante as férias.

A festa n’A Toca foi exatamente como você imaginou. Crianças corriam para todos os lados, travessas obesas repletas de comida faziam as mesas rangerem, Hermione tentava convencer um Ron relutante a tirar uma carteira de motorista e a falta de espaço apenas tornava tudo mais aconchegante. E Harry continuava sem saber que diversos bruxos das mais variadas idades também se reuniam em festas ao redor do país – quem sabe até ao redor do mundo – para celebrar. Porque não importava quanto tempo tivesse passado desde a fatídica Batalha de Hogwarts, ou quantos outros fatos importantes tenham aparecido no meio do caminho. Nenhum 31 de Julho existiu sem um brinde em nome de Harry Potter: o menino que sobreviveu.

Luiz Guilherme Boneto, Sheila Vieira e Mariana Rezende prepararam um bolo caso Harry apareça.