As Relíquias da Morte ︎◆ Parte 2

Cenários, artes conceituais e três novos TV spots de HP7.2!

Muitas novidades do último filme da série Potter. Para começar, três novos TV spots de Relíquias da Morte parte 2 foram lançados, todos contendo diversas novas cenas do filme, inclusive uma fala de Dumbledore muito esperada. Além disso, confira neste link novas fotos dos cenários do oitavo filme, divulgadas pelo diretor de arte Stuart Craig para o ArchitecturalDigest.com. Leia em notícia completa os comentários de Craig sobre os cenários, com tradução do ScarPotter.

Confira os TV spots abaixo:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

POR DENTRO DE HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 2
O designer de produção Stuart Craig nos leva a um passeio exclusivo pelos sets do filme

Imagem 1: O sétimo filme de Harry Potter termina na praia, no lado de fora da Chalé das Conchas de Bill e Fleur Weasley, e o novo filme nos mostra a casa em si. “Eu tentei achar uma lógica em qualquer coisa que fosse no set e de alguma forma eu senti que era errado (o Chalé das Conchas) ser muito extravagante, muito imaginário,” disse o produtor de design Stuart Craig. “Então esse Chalé tem uma lógica. Se você realmente quer construir uma casa na praia, o que você faria? Bem, você usaria materiais locais. E esses materiais seriam ou pedras, ou conchas. As paredes são grandes cascas de ostras e o telhado é feito de uma grande vieira de conchas. Você pode ver como isso funciona para envolver e espalhar a água. Eu estava meio que satisfeito com a lógica que nós encontramos aqui, debaixo dessa estrutura.”

Imagem 2: Na busca de uma das Horcruxes de Voldemort, Harry, Ron e Hermione visitam o Banco Gringotes no Beco Diagonal. Craig e sua equipe projetaram o banco para refletir grandiosidade e fortuna. “Bancos são tradicionalmentes símbolos de estabilidade,” ele explica. “Eu sei que a história recente desfez tudo isso, mas a intenção da arquitetura do banco – é transmitir essa sensação de confiança, de estabilidade, de segurança. Então o hall do nosso banco, como nenhum outro, é feito de mármore e grandes colunas de mármore. E isso tem uma força enorme.”

Imagem 3: O conceito de desenho de Gringotes mostra a visão dos designers para o set, complementando com os gnomos banqueiros e patronos bruxos. “O fato de que os duendes são banqueiros e contadores nos balcões nos ajuda com o sentimento de grandeza e segurança, além das grandes proporções,” Craig diz. “Essa era parte da diversão no set: nós exageramos no tamanho disso, nós exageramos no peso, e nós até mesmo exageramos no brilho do mármore.”

Imagem 4: Para chegar no cofre de Bellatrix Lestrange, Harry, Ron e Hermione viajam em um carrinho mágico nos trilhos que passam através das passagens secretas embaixo do banco. Esse desenho mostra a descida até o alto da tumba estável.

Imagem 5: Um enorme dragão guarnece a entrada do cofre dos Lestrange. “Ele é muito debilitado, tendo passado a sua vida inteira no subterrâneo”, diz Craig. “Mas ele é enorme – 64 pés de comprimento. Essa é a arena, e as pequenas passagens entre as colunas é onde estão os cofres, então eles [Harry, Rony e Hermione] precisam dar a volta no dragão para chegar no cofre.”

Imagem 6: Ao arquitetar o interior do cofre, Craig confrontou-se com um desafio de criar um ambiente cheio de objetos que se multiplicassem quando tocados. “Nós fizemos, literalmente, milhares de peças para ela [a cena], que foram metalizados a vácuo para que sejam de ouro e prata brilhante”, diz ele. “E John Richardson, o supervisor de efeitos especiais, manejou um piso que foi capaz de se elevar a níveis diferentes, por isso não ocorreu uma espécie de sobrecarga de tesouro nele. Após isso, foi reforçado com os efeitos visuais.”

Imagem 7: Harry, Rony e Hermione escaparam do cofre em Gringotes montados num dragão, cavando vários níveis do banco, incluindo o salão de mármore mostrado nesse desenho conceitual. Craig observa que, como os sets, as criaturas evoluíram. “Harry Potter, durante o seu período de dez anos, ficou muito ligado à tecnologia. No início, teríamos feito a maioria das coisas fisicamente, mesmo se algumas criaturas fossem esculpidas em tamanho grande e operadas como criaturas animatrônicas. Perto do fim do processo, tornam-se construções digitais e brilhantemente reais.”

Imagem 8: Após fugirem do banco, o trio viaja até Hogsmeade para descobrir algum caminho para Hogwarts. O destino é a famosa loja Dedosdemel, que, anteriormente, foi uma passagem secreta popular para Harry, mas que agora está selada.

Imagem 9: A Casa dos Barcos em Hogwarts, descrito por J. K. Rowling como um porto subterrâneo, foi concebido cinematograficamente como um edifício cheio de luz para o filme. Apresentando influências góticas, o conjunto é o sítio de uma reunião dramática entre Voldemort e Severo Snape.

Imagem 10: A decoração em Quatrefoil e as colunas em cluster, ambos elementos populares na arquitetura gótica, são utilizados na construção do escritório de Dumbledore. “Haviam muitos períodos, estilos e mudanças que podíamos usufruir. O filme todo foi um grande show de história da arquitetura gótica”, diz Craig.

Imagem 11:
Parte da Batalha de Hogwarts se passa no Hall de Entrada de Hogwarts, o qual foi redesenhado para a cena. “Esse é um exemplo de como as coisas evoluem e como Hogwarts pode mudar de um filme para outro”, diz Craig. “Na batalha final, batalhões de estátuas são animadas para tomar parte na batalha, então tivemos que mudar o cenário do Hall de Entrada.”

Imagem 12: Um dos confrontos entre Harry e Voldemort se passa em uma passarela de uma torre. “Essa foi uma maneira de fazer um espaço interior/exterior simultâneos, onde pode-se mover de um para o outro, o que é sempre mais interessante”, explica Craig. “Essa longa passarela central nos deu uma oportunidade de fase nova com o confronto entre Harry e Voldemort.”