As Relíquias da Morte ︎◆ Filmes e peças ︎◆ Parte 2

Arthur Melo aponta qualidades e falhas do teaser trailer

Na quarta-feira passada o teaser trailer do filme Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 foi enfim divulgado online antes do horário previsto e, em seguida, amplamente comentado pelos fãs em todos os sites e mídias sociais existentes.

Hoje o nosso crítico de cinema Arthur Melo comenta sobre o material apresentado há quase uma semana. Ele aponta as qualidades do vídeo, mas também cita as falhas que, talvez pela velocidade com a qual as cenas foram exibidas, alguns podem ter deixado passar. Confira um trecho abaixo:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De qualquer forma, há coisinhas que devem ser vistas. Mas isso já não se refere ao trailer em si, mas ao filme. Uma delas é o quão incrível eu acho o fato de conseguirem fazer estátuas se moverem com exatidão, mas não sabem fazer uma flor brotar da palma da mão de alguém com perspectiva e graciosidade. A montagem dessa pequena criação ficou ruim; literalmente malfeita. É visível que aquilo foi adicionado por um computador que mal soube posicionar um objeto virtual em um plano real. Realmente absurdo.

Leia o texto completo na extensão – e caso o conteúdo não o agrade, pedimos para que respeite o autor e nossos visitantes e evite xingamentos nos comentários.

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 2
Crítica sobre o teaser trailer do filme

Potterish.com ~ Arthur Melo
02 de maio de 2011

Antes de começar, peço desculpas pela demora com o texto. Claro que seria muito mais legal se esses comentários tivessem sido publicados na quinta-feira, dia seguinte ao lançamento do trailer, mas dessa vez não consegui cumprir a minha própria meta. Me atrasei. Desculpem.

Esse será um texto ainda mais pessoal do que o anterior (é, aquele que era sobre um assunto X e que, por eu ter citado um termo Y, tornou os comentários dos leitores em um verdadeiro campo de batalha), portanto, os meus comentários extremamente particulares serão colocados em um espaço separado, ao final do texto. Assim, se você quiser concordar, discordar ou xingar (sabendo desde já que se você fizer este último há uma probabilidade de 110% do seu comentário ser deletado ou ignorado), poderá fazer isso em duas instâncias.

O trailer
por Arthur Melo

Há algum comecinho de qualquer vídeo de todos os oitos filmes da série que são mais acertados do que esse? Nunca “Hedwigs Theme” foi inserida de uma maneira tão coerente com tudo o que vimos até então e o que será visto. E isso só revela duas coisas. Primeira: John Williams, você samba na cara dos outros compositores. Segunda: Um único tema sobreviveu aos três outros compositores e se tornou hegemônica nos filmes apesar dos inúmeros outros temas inseridos, sendo ela a única capaz de, apenas alterando o tempo, resgatar onze anos e traduzir sua importância em meros segundos que introduzem um longa derradeiro. Isso para mim é resultado de alguém que é muito bom no que faz (gente mediana de trilha sonora minimalista que vence a atual ordem de Oscars de Trilha Sonora não produz essas coisas – lamento).

O que vem em seguida é um bocado de rápidos flashes que começo a imaginar que os editores desses vídeos colocam de propósito porque sabem que todo fã-site vai fazer um quadro-a-quadro dessas coisas, porque só isso explica (mentira, é para criar aquela ilusão idiota que todo trailer de filme faz ao jogar um emaranhado de imagens antes que você possa processar no seu cérebro e crer que aquele produto tem muito a oferecer – não estou julgando, só comentando). Mas o que é exposto empolga. Bastante. O vídeo se fale de uma excelente montagem e de bons tiros de imagens totalmente novas do filme; algumas inesperadas e outras ansiadas. E, muito diferente do trailer da Parte I, tem o seu ponto alto próximo ao fim, após uma leve pausa no despejo de cenas de ação – o que torna o trailer muito mais emocionante. Em desfecho, encerra com energia com os disparos dos Comensais contra uma debilitada Hogwarts.

Dessa vez, não tenho tanto do que reclamar (tá, quem falar que está chocado porque normalmente eu sou chato e sempre arrumo algo para falar mal, então bora rever o que eu apontei de errado antes e veja que, se eu não o tivesse feito lá atrás, não teria credibilidade nenhuma para agora me dar ao direito de dizer: “está tudo ok”. Afinal, esse seria só mais um vídeo em que eu estivesse todo encantado por ser fã, correto?). De qualquer forma, há coisinhas que devem ser vistas. Mas isso já não se refere ao trailer em si, mas ao filme. Uma delas é o quão incrível eu acho o fato de conseguirem fazer estátuas se moverem com exatidão, mas não sabem fazer uma flor brotar da palma da mão de alguém com perspectiva e graciosidade. A montagem dessa pequena criação ficou ruim; literalmente malfeita. É visível que aquilo foi adicionado por um computador que mal soube posicionar um objeto virtual em um plano real. Realmente absurdo. Outra bizarrice é em como o Quadribol evoluiu tanto em Enigma do Príncipe, mas em uma fração de segundos está muito claro que o voo de Olívio Wood não tem a mesma dinâmica e fluência; a interação entre Wood na vassoura com o ambiente não acontece. E, também, o que significa Harry e Voldemort caindo de um penhasco? Não, não. Não me refiro àquilo dentro da história, sei que não havia no livro e que acrescentaram no filme por um motivo que ainda não conheço, mas alguém realmente achou real aquilo ali? Está gritante o uso de um fundo verde (o cromaqui) para a montagem da cena.

Em um primeiro momento, até pensei “não estão finalizados os efeitos, são sequências de tempos atrás”. Contudo, no ano passado eu também achei que o Dobby não estava pronto, como bem me lembrou um amigo, mas estava. E, ok, ainda assim foi indicado ao Oscar na categoria, mas que estava estranho, estava.

De maneira comparativa, o trailer é dos melhores. Mas a qualidade do material que o originou, pelo menos tecnicamente, pode ser aprimorada – e torço para que esteja. Afinal, todo mundo aqui quer sair do cinema e banalizar ainda mais a palavra “épico” (cutuquei a ferida).

Comentários pessoais:
● Achei super legal que a Warner prometeu, junto à ABC, que imagens inéditas do trailer seriam publicadas antes do horário de lançamento do mesmo naquele dia. O que achei mais legal ainda é que as imagens divulgadas (que de fato estavam no trailer) já tinham sido vistas por nós em dois outros vídeos divulgados há algumas semanas, sendo a única imagem totalmente nova (a do Harry com a varinha) não acrescenta em nada ao que já temos. O que aquela imagem te diz sobre o filme? Harry nunca empunhou uma varinha e apontou para alguém em todos os outros sete filmes mesmo. Realmente…

● “O melhor trailer de todos os tempos”. Tá, isso é para nós, fãs. Tem muita gente não-fã de Harry Potter que achou o vídeo apenas legal. E-SÓ. Apenas tenham consciência disso e não saiam impondo o gosto e opinião de vocês como verdade incontestável. Não é certo, não é educado.

● Eu vi algo assim no Tumblr: “O que você mais está ansioso para ver em Harry Potter 7.2: ( ) A Batalha Final, ( ) A história de Snape, ( ) Minha filha não, sua vaca, ( ) Neville matando Nagini, ( ) Gringotes, (X) O beijo de Rony e Hermione”. SÉRIO MESMO? Sério mesmo que vocês acham o beijo de Rony e Hermione mais interessante do que tudo isso? Um fucking beijo? Agora até me irritei. Entendo que gosto é gosto. Mas aí já é demais, é reduzir demais a importância dessas coisas. Dá vontade até de esquecer o que disse aqui em cima e me impor. Mas sou educado, “apenas calo-me”.

● “A Academia vai ter que dar o Oscar de Efeitos Visuais dessa vez”. Tudo bem, eu entendo que todos querem isso. Mas ninguém viu o filme. Não batam o pé e já enfiem a certeza na cabeça de vocês. Está muito cedo e neste ano há muitos concorrentes fortes na categoria. E, se formos tirar por falhas como as que comentei no texto, não vai rolar de novo. Eu entendo que há esse desejo há tempos, mas sempre é bom não achar que tudo já está ganho, ou o baque e a decepção depois são muito maiores. Torçam pelo melhor, mas se preparem pelo pior.